Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

28 de janeiro de 2015

A Viagem do Elefante













Foi – de alguma forma continua a ser – o álbum de banda desenhada mais mediático – interpretem com peso, conta e medida este adjectivo - lançado no nosso país em 2014.
Justifica-se? Continuem a ler.

27 de janeiro de 2015

Kallilea, de Luís Diferr, em crowdfunding






Kallilea, o mais recente projecto do português Luís Diferr, acaba de entrar em financiamento através de crowdfunding pela editora Sandawe.
Fresco de reconstituição histórica, com um toque de erotismo, entre Roma e A Guerra dos Tronos - na palavra do editor – conta a história de uma amazona, vendida como escrava num mercado romano.
Sem mais demoras, fica a apresentação do autor e os links que interessam.

26 de janeiro de 2015

Akissi: Histoires Pimentées












Esta é uma viagem ao mundo da infância, ao imaginário infantil, às brincadeiras, partidas, disparates e maldades de que só os mais pequenos são capazes.
Nota distintiva: tem lugar na Costa do Marfim, em meados da década de 1970.

25 de janeiro de 2015

23 de janeiro de 2015

Pequenos heróis














Há muito na minha lista de desejos, esta foi a primeira grande leitura de 2015 para mim, surge com algum atraso aqui no blog, mas ainda muito a tempo para a recomendar.

22 de janeiro de 2015

Sans pardon












Se o reencontro regular – duas vezes ao ano… - com a arte de Hermann é um prazer, este ano – agora – acentuou-se pois Sans pardon é um western ambientado no Wyoming onde cavalgou um dos heróis que marcou a minha adolescência/juventude: Red Dust – que ao longo do álbum esperei sempre ver aparecer ao virar de uma esquina ou cavalgando pela planície…
História dura e amoral, plena de ódios, vinganças e violência – cujas razões, origem e fundamentos passam ao lado do leitor - Sans pardon mostra um outro lado do western e da vida dura que levavam os cowboys que viveram na segunda metade do século XIX nos territórios selvagens dos Estados Unidos.
Linear mas forte, a história de Yves H., foi desenhada com a mestria habitual por Hermann, permitindo o regresso – mesmo que apenas por sessenta (belas) páginas – ao oeste que ficou para sempre gravado na minha memória – e nas minhas preferências de leitura.

  

Sans pardon
Colection Signé
Yves H. (argumento)
Hermann (desenho)
Le Lombard
Bélgica, 9 de Janeiro de 2015
241 x 318 mm, 64 p., cor, cartonado
EAN 9782803634958
14,45 €

21 de janeiro de 2015

Blake e Mortimer: O bastão de Licurgo







Em relação aos novos álbuns de Blake e Mortimer pós-Jacobs, há duas correntes de opinião contrárias: os que os renegam à partida, negando qualquer prolongamento da obra do mestre; os que os recebem de braços abertos, por poderem reencontrar os seus heróis de eleição.
O equilíbrio estará algures numa posição intermédia, mais próxima de um ou outro dos extremos, em função da qualidade das obras apresentadas.
O mais recente - este O Bastão de Licurgo - revela-se um dos mais ambiciosos álbuns de Blake e Mortimer apócrifos – se assim posso escrever. O resultado? Descubram já a seguir.

Juiz Dredd em Janeiro

Juiz Dredd Megazine #5
Formato Magazine 20,5 x 27,5 cm - 68 Páginas
Os atentados do Guerra Total a Mega-City Um vistos sob um ponto de vista muito diferente! Leia também: que estranho fenômeno ligado às baladas nivopantamianas está fazendo cabeças explodirem naÁrea Cinzenta?
E mais: Áquila descobre a verdadeira história do misterioso Espartano. E ainda: o estranho caso do Homem Reversível em Distorções Temporais, de Alan Moore. 3,50€

JUIZ DREDD APRESENTA: A Lei de Canon 1
Formato Magazine 20,5 x 27,5 cm – 100 Páginas
Texto: Mark Millar
Desenhos: Chris Weston
O Dia do Juízo Final chegou e Deus não apareceu. Os mortos ressuscitaram na Terra e o crime atingiu limites estratosféricos. Para enfrentar o desarranjo, a Igreja e a polícia juntam-se e criam uma força implacável: a Patrulha Paroquial, liderada por Canon Law! Num cenário tão conturbado, os criminosos tornam-se apenas pecadores a serem sumariamente eliminados. E é então que, em meio ao caos, Sherlock Holmes, Sigmund Freud, Albert Einstein, Júlio Verne e muitas outras mentes brilhantes se reúnem na tentativa de descobrir o que realmente aconteceu com o Criador. Uma edição simplesmente imperdível! 8,00€

19 de janeiro de 2015

Alack Sinner: Histoires Privées













Ainda a pretexto dos 40 anos de Alack Sinner, recupero aqui o texto “O regresso de Alack Sinner”, que publiquei originalmente no Jornal de Notícias de 15 de Fevereiro de 2000.

18 de janeiro de 2015

Alack Sinner nasceu há 40 anos










Anos 1960, Nova Iorque, fim da noite. Um quarentão, de aspecto descuidado entra num bar, aproxima-se do balcão, bebe um copo e na jukebox põe a tocar “Cheryl Blues”, de Charlie ‘Bird’ Parker. Chamava-se Alack Sinner e estreava-se assim, há 40 anos, na revista italiana “Linus”.

Leitura Nova: ninguéns


Edições Ar.Ed
(A5) 70 pgs cor  * 10€ - venda directa (Pay Pal)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...