Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

01/01/2013

2012-2013












um ano, após classificar 2011 como um bom ano para mim, temia as nuvens negras que podiam ensombrar o horizonte.
Agora, um ano depois, se os piores receios não se confirmaram totalmente (muitos deles foram transferidos para 2013...), a verdade é que 2012 esteve longe de ser um bom ano.

Beja e a Amadora sofreram cortes orçamentais – terão chegado a estar em causa? – mas nos dois casos conseguiram contornar as dificuldades e apresentar – dentro da sua linha condutora e da sua especificidade – dois excelentes salões de BD.
Ainda no que a exposições diz respeito, a livraria Leya Bucholz (Lisboa) veio juntar-se à galeria Mundo Fantasma (Porto) como espaço regular de encontro com autores e mostra de originais de ilustração e BD.

Passando à edição, a tendência de quebra continua. Nas listagens mensais que fui disponibilizando – e que muitas vezes são tão difíceis de compor, tão grande é o desinteresse de alguns que editam nesta divulgação gratuita – contei 146 títulos, entre livros e fanzines. Sei que faltarão alguns daqueles e muitos destes, mas estou certo que o seu total não se aproximará sequer das duas centenas... Metade do que tínhamos em português há não muitos anos...
E neste número estão incluídas as colecções publicadas com o jornal Público: Thorgal (da ASA) e Heróis Marvel, séries I e II (da Levoir). Se em termos de qualidade, destaco a primeira – uma das grandes séries franco-belgas de sempre – em termos de importância, a escolha recai no regresso dos heróis Marvel em português ao nosso mercado, cujo sucesso justificou claramente a aposta feita.
Acho, no entanto, que o grande destaque editorial deste ano de 2012, deve ser a edição de BD por editoras (Contraponto, Saída de Emergência, Planeta, Levoir) que geralmente não a incluem no seu catálogo – de forma comedida, é verdade, em muitos casos nos seus segmentos específicos, o que é inteligente. Isto a par de algum abrandamento da ASA e da consolidação da Devir.

Como em qualquer balanço, tudo depende do prisma escolhido para a avaliação. No que à BD diz respeito, se existe a sensação de que este foi o ano (que a crise tornou) possível, são diversos os indicadores que nos podem animar para o 2013 que (a muitos níveis) se anuncia penoso.
Todos eles datam de Dezembro último. O primeiro, foi o aparecimento de uma nova editora de BD franco-belga, a NetCom 2 Editorial.
Seguiu-se o regresso da BD Disney aos quiosques nacionais, onde poderá reencontrar leitores que deixara órfãos, contribuir para a formação de uma nova geração de leitores de quadradinhos e dar visibilidade aos quase 40 títulos de revistas de BD que mensalmente nos chegam via Brasil.
Finalmente, temos o anúncio da Planeta DeAgostini de uma colecção quinzenal de livros que compilam os comics originais dedicados ao universo Star Wars, cujo primeiro número será editado no próximo dia 10 de Janeiro.

Ao longo de 2012, preenchi diariamente As Leituras do Pedro. Foram 386 mensagens e muitas horas de escrita e trabalho dedicadas à divulgação de lançamentos e exposições, recensão e crítica de livros, entrevistas, evocações… Depois de uma mudança radical no início de Janeiro de 2012, este espaço foi-se alterando gradualmente, de forma a torná-lo mais harmonioso, útil e interactivo. Outras mudanças estão a caminho, assim tenha eu tempo para as implementar.
A todos os que, editando, divulgando, organizando, criando, o tornaram possível, e aos que tiveram a paciência de me ir lendo – e foram quase 200 mil este ano – o meu muito obrigado.

Deixo o desejo sincero de um 2013 repleto de bons quadradinhos e de tudo o mais que cada um possa desejar.


2 comentários:

  1. Anónimo2/1/13 01:50

    Pedro,

    Se alguém tem de agradecer aqui somos nós, os teus leitores, pelo excelente trabalho crítico que fizeste ao longo do ano.

    Foram de facto muitos posts e portanto muitas horas do teu lado para tornar este espaço um ponto de referência para quem gosta de BD em Portugal.

    Se me permites deixo-te, a título pessoal, o que mais aprecio e o que acho que está curto neste blog:
    - ?Melhorias? - não tão grande enfoque na linha editorial portuguesa, ou seja, pelo facto das tuas análises centrarem-se sobretudo no que é publicado em Portugal existe um fluxo muito largo de "produção" de excelência lá fora que fica fora dos teus horizontes (pelo menos daqueles que aqui retratas). Obviamente que isto vai originar mais trabalho e mais horas do teu lado mas pedir não ofende, não é?
    - O melhor - a independência com que tratas as obras abordadas. Não vais atrás de nomes nem de editoras e sente-se que aqui só surge a tua opinião e não influências terceiras. O que não invalida que tenhas diplomacia q.b. para não entrares em polémicas desnecessárias, o que aliás já existiu mais do que espaço para acontecer. Integridade e espírito positivo é o que se quer nos tempos conturbados de hoje.

    Resta-me desejar-te um excelente 2013 (vamos torcer para que 2012 não deixe saudades) e que venham daí muitos e bons posts!

    Um abraço;

    Alexandre Gil

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Alexandre Gil,
      Obrigado pelas suas palavras. É desse feedback que por vezes sinto falta...
      Quanto às sugestões e críticas:
      1. É um blog português, em Portugal, é natural que destaque o que vai sendo publicado por cá, até porque essas edições são uma boa parte das minhas leituras.
      2. Edições estrangeiras? Sem fazer a contabilidade, atrevo-me a dizer que são mais que as nacionais aqui em As Leituras do Pedro. Agora só trago aqui com análise detalhada, aquilo que leio, segundo as minhas preferências e possibilidades...
      Corroborando as suas palavras, um bom 2013, sem saudades de 2012... e boas leituras!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...