Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

02/08/2012

Heróis Marvel #5

Homem-Aranha - A Morte dos Stacy









Stan Lee, Gerry Conway e Lee Weeks (argumento)
John Romita, Gil Kane e Lee Weeks (desenho)
Levoir+Público (Portugal, 2 de Agosto de 2012)
170 x 260 mm, 200 p., cor, cartonado
8,90 €



Resumo
Este volume compila as revistas “Amazing Spider-Man” #88 a #90 e #121 a #123 e a mini-série “Death and Destiny” e nas suas páginas estão narradas as mortes de três personagens que foram fundamentais na vida de Peter Parker/Homem-Aranha.

Desenvolvimento
Quinto tomo da colecção Heróis Marvel e segundo dedicado ao Homem-Aranha, este volume contém uma das histórias mais marcantes da bibliografia do aracnídeo, aquela que narra a morte de Gwen Stacy, então namorada de Peter Parker. Mais do que marcante, esta BD pode ser considerada uma das pedras basilares da mitologia deste super-herói, não só porque abriu caminho para a relação de Peter com Mary Jane, com quem viria a casar e a viver durante muitos anos, mas também porque serviu para acentuar o lado trágico da vida do Aranha e para aumentar exponencialmente o peso que já carregava nos ombros pela morte do seu tio Ben.
No entanto, antes de chegar a ela, o leitor terá primeiro de assistir à morte do capitão Stacy (que descobrira e guardara para si a identidade secreta do Homem-Aranha), que Peter então via como um pai. Ocorrido numa BD datada do início da década de 1970, como dano colateral num confronto com o Doutor Octopus, provocou em Parker um enorme sentimento de culpa e de dúvida em relação ao seu futuro, não só quanto a continuar como super-herói, mas também no que dizia respeito à sua relação com a bela Gwen.
Este dilema, explorado sem grande brilho na mini-série “Death and Destiny” – mais recente, pois foi originalmente publicada no ano 2000 – igualmente presente neste tomo, viria a atingir o seu auge em 1973, numa BD que marcou uma geração e que hoje, quase 40 anos depois, continua a ser de leitura obrigatória, não só pelo seu impacto, mas também pelas suas qualidades intrínsecas: legibilidade, ritmo, tensão, combinação entre acção, drama e tragédia, planificação diversificada e dinâmica e planos arrojados.
Conhecida como a banda desenhada cujo título apenas foi revelado no final, numa época em que as mortes nas histórias de super-heróis ainda eram definitivas (como convém lembrar), está muito bem construída por Gerry Conway e Gil Kane, que ao longo das páginas fazem subir a tensão que atingirá o clímax num confronto entre o Homem-Aranha e o Duende Verde que tinha raptado Gwen e que de forma vingativa a lançará do alto da ponte George Washington, num acto que, de forma surpreendente, terá consequências funestas.
E que levará a um novo e também trágico confronto entre o super-herói (com muita raiva quase incontida) e o vilão, num acentuar do lado humano do Homem-Aranha mas também num reforço do seu lema imutável: “com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades”.

A reter
- A boa qualidade gráfica da edição, mais a mais se considerado o seu preço.
- A importância clássica do conteúdo deste tomo.
- A forma exemplar como os arcos mais antigos estão desenvolvidos, avançando num crescendo de tensão dramática para o clímax e o final trágico de cada um.

Menos conseguido
- A mini-série Death and Destiny no seu todo, embora seja compreensível a sua inclusão neste livro. De fora ficou a mais interessante “O Beijo”, história de DeMatteis e John Romita Sr., publicada em “Amazing Spiderman” #365, que mostra como as memórias de Gwen acompanharam Peter ao longo dos anos com a compreensão de Mary Jane.
- Bastante falada em sites e blogs - e não só naqueles dedicados aos quadradinhos - esta colecção iniciada há já um mês, continua com alguns (incompreensíveis) problemas de distribuição que poderão afastar potenciais leitores e ser um óbice a um (maior? e) merecido sucesso.

Nota – As imagens com texto em português que ilustram este texto foram retiradas do portal Central Comics.



2 comentários:

  1. O Aranha podia ser bem melhor se tivesse a Luta com o Hulk no Canadá que é citada nesse volume no Lugar da Mini,que eu acho que ate consta do Hc Premiere da Marvel,mas para o Preço não está mal.

    ResponderEliminar
  2. Olá Optimus,
    Com a opção edtorial original, a minha sugestão e a tua, já são três as histórias que poderiam integrar este volume, o que só diz bem da diversidade da Marvel...
    Quanto à relação qualidade/conteúdo/preço também a acho boa!
    Boas leituras!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...