Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

15/11/2019

Saga #9

Em alta





Depois de alguns volumes, como dizer, em divagação, com o número de intervenientes a crescer e a história a ramificar-se em todas as direcções, eis que ao nono volume, em Saga todos parecem convergir para um mesmo ponto e o que parecia imutável revela-se afinal muito vulnerável, transitório e finito. Como nós.
Resta saber o que pensarão disto os leitores.
[E se quiserem saber o que eu penso, terão de continuar a ler, podendo encontrar nas entrelinhas revelações que preferiam só descobrir na leitura das páginas de Vaughan e Staples...]
Já referi anteriormente a minha dificuldade em exprimir as razões porque me deixei seduzir por Saga, uma ‘saga’ - isso! - tematicamente longínqua das minhas habituais leituras - um ponto mais a seu favor! - mas eis que neste volume - sem que antes nunca eu tenha colocado em causa a sua leitura - os autores apresentam-se em grande forma e a sua narrativa justifica - aos meus olhos - a sua leitura (continuada).
Na verdade, numa altura em que poderia parecer que a opção pela ‘space opera’ prevalecia face ao registo mais realista e em consonância com tantas das questões - racismo, xenofobia, direito à diferença e ao livre arbítrio… - que (também) dominam este nosso mundo real e enfadonho, eis que Vaughan e Staples nos voltam a atirar à cara com a transitoriedade da existência - de todas as existências - e prepararam um volte-face chocante e penoso, revelado nas últimas pranchas deste livro, que tornará extremamente custosa a espera pelo volume dez, mais a mais quando sabemos que neste tomo a edição portuguesa apanhou a norte-americana, que a colecção só vai a meio e que os autores anunciaram uma espécie de licença sabática [de Saga].
Resta (aos leitores em choque) - e não é assim tão pouco - reverem Marko, Alana, Hazel e os restantes companheiros através da (re)leitura do quase milhar e meio de páginas já disponíveis - também em português - para (re)descobrirem os seus segredos, anseios e pesadelos e esperar que isso mitigue - ou será que vai aumentar? - a inevitável longa espera.

Saga Livro nove
Reúne os comics #49 a #54 da edição original norte-americana
Brian K. Vaughan (argumento)
Fiona Staples (desenho)
G. Floy
Portugal, Outubro de 2019
175 x 260 mm, 152 p., cor, capa dura
14,00 €

(imagens disponibilizadas pela editora; clicar nelas para as aproveitar em toda a sua extensão)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...