Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

19/07/2018

Destemidas

Para outros leitores


Pode parecer estranho, para mais no contexto - colecção Novela Gráfica 2018 - em que surge, mas o aumento do número de edições e a sua diversidade permite que surjam obras como esta: vocacionadas maioritariamente para quem não lê BD.
A estranheza pode aumentar, se repararmos que a edição original francesa foi um dos livros mais vendidos em França no ano passado.

Destemidas, é uma coletânea de biografias curtas e simples de mulheres que, por alguma razão - artística, social, política… - se distinguiram no seu tempo e no lugar onde nasceram. Mulheres, quase todas, pouco conhecidas - quantos dos que lêem este texto sabe quem foram Delia Akeley, Leymah Gbowee ou Christine Jorgensen, por exemplo? - cujas vidas, feitos ou episódios marcantes são narrados em poucas páginas, com traço fino e simples, em vinhetas sem pormenores desnecessários, servidas parcamente por cores planas.
O subtítulo apresenta-as como “Mulheres que só fazem o que querem”, apontando o tom feminista - de uma forma saudável - que o livro exala, direccionando-o (também) assim para um público-alvo mais específico. Feminino, em primeiro lugar, mas também culto e curioso, com interesse por biografias (claro!), História, artes ou temas sociais.
E, embora provando - mais uma vez - as enormes possibilidades narrativas da banda desenhada para qualquer género, atrevo-me a dizer que Destemidas, na sua temática específica e na sua simplicidade gráfica e narrativa, dirá mais e satisfará mais quem nunca ou raramente lê BD, do que leitores - leitoras também! - que procuram regularmente os quadradinhos.
O sucesso que teve em França - e que poderá repetir-se entre nós, com a devida diferença de escala - deveu-se, quase de certeza, a uma boa campanha promocional. Que é muitas vezes mais importante do que as obras em si, pela capacidade de levar cada livro a quem ele realmente é dirigido.

Destemidas
Pénélope Bagieu
Levoir/Público
Portugal, 17 de Julho de 2018
195 x 280mm, 144 p., cor, capa dura
10,90 €

(imagens disponibilizadas pela editora; clicar sobre elas para as aproveitar em toda a sua extensão)

1 comentário:

  1. Li-o ontem.
    Em termos de BD "pura" (que raio será isso?), não é uma grande obra.
    Em termos de de livro com conteudo, é uma grande obra.
    As várias coleções "Novela Gráfica" permitem realmente a publicação deste tipo de obras, que se não fosse assim, à partida não teriam edição cá neste retângulo.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...