Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

09/03/2018

Capitão Feio: Identidade


Feio e porco… mas mau?



Reinterpretar - gráfica e narrativamente - as personagens originais de Maurício de Sousa continua a ser um exercício desenvolvido com qualidade e bom gosto - assente  num exigente trabalho do editor! - por sucessivos autores brasileiros.
O Capitão Feio - a minha mais recente experiência nesta área, enquanto leitor - é mais um exemplo que, naturalmente, surge próximo dos comics de super-heróis.

A opção narrativa dos gémeos Magno e Marcelo Costa foi recontar, sob um prisma díspar, a origem do único (?) super-herói das histórias de Mônica, Cebolinha, Cascão e companhia. Mais que super-herói, um super-vilão nascido (?) para potenciar uma visão ecologista daquelas personagens, numa época em que isso ainda não era moda.
Recheada de piscadelas de olho, quer às histórias da Turma, quer a momentos definidos das origens de alguns super-heróis da Marvel - que propiciam um outro nível de leitura e até de interpretação - Identidade mostra o protagonista dividido entre o seu desejo de solidão e sossego - apesar de tudo com bons propósitos (incompreendidos) - e a rejeição social que a sua diferença suscita - mesmo quando utiliza os seus poderes para o bem comum.
Tema recorrente na origem de outros super-vilões - a opção pelo mal potenciada pela incompreensão da diferença que a(s) sociedade(s) recorrentemente continuam a cultivar, ao longo das eras, nos mais variados níveis - ganha aqui uma nova roupagem - tematicamente feia e suja, numa abordagem intrínseca à personagem, sem desfazer a aura de mistério que sempre a caracterizou, que pressupõe - pelo menos tem tudo para isso - um regresso ‘deste’ Capitão Feio num futuro indefinido.
Com um traço bastante realista, uma planificação dinâmica à medida dos acontecimentos e cores em que naturalmente predominam os tons escuros, Capitão Feio: Identidade é mais uma prova da riqueza e diversidade - e vitalidade - do universo que Maurício de Sosa desenvolveu ao longo de décadas. E também da vitalidade da nova banda desenhada brasileira.

Capitão Feio: Identidade
Colecção Graphic MSP
Magno Costa e Marcelo Costa
Panini Comics
Brasil, Agosto de 2017
19o x 275 mm, 98 p., cor, capa dura
R$ 36,80

(clicar nas imagens para as aproveitar em toda a sua extensão)

2 comentários:

  1. Anónimo9/3/18 15:18

    como posso encomendar?

    ResponderEliminar
  2. Em Portugal, que eu saiba só através da Casa da BD.
    Boas leituras!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...