Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

29/01/2018

2017: As escolhas de Nuno Catarino (Goody)


As Leituras do Pedro pediram a vários editores de BD nacionais que sugerissem aos seus leitores (até) três dos livros que editaram em 2017 e, em contrapartida, outros tantos livros de outros editores. Essas sugestões estão a ser publicadas por ordem de recepção das respostas.

Este ano em que a Goody iniciou, depois de muitas tentativas, o lançamento de títulos Marvel, foi um pouco anómalo a nível pessoal no que a leituras de BD diz respeito. As razões principais foram duas: para melhor conseguir preparar o plano que a nossa editora viria a lançar tive que ler praticamente dois anos de Marvel (2015 e 2016) - para me conseguir actualizar, ter um ideia mais completa da timeline e fazer aquelas que achava ser as melhores escolhas - e peguei, em simultâneo, na obra de Henning Mankel – um dos maiores mestres do “noir” nórdico - que tinha sido já editada em Portugal tendo-a devorado em poucos meses.
Isto fez com que, tirando estas duas tarefas hercúleas, pouco tempo me sobrasse para acompanhar as novidades, pelo que as minhas escolhas são muito limitadas neste aspecto.

Edições próprias

Vingadores 6 (Série I)
Por ser o arranque da Guerra Civil 2 e por sentir que acertamos em cheio no período escolhido para iniciar as nossas aventuras da Marvel. Bendis consegue criar uma boa “trama” e agarrar o leitor de uma forma pouco habitual (do julgamento do Gavião Arqueiro, às várias visões dos acontecimentos associados ao Bruce Banner, até à forma habilidosa como prepara em simultâneo os eventos de “Secret Empire”… foi do melhor que Bendis deu à “Casa das Ideias”).

Homem-Aranha 5 (Série I)
A Mini-série “Amazing Grace”, que foi reunida no número 5 da série I do Homem Aranha, foi o melhor que lançamos do “cabeça de teia” em 2017. A arte brilhante de Simone Bianchi e o argumento sólido de Molina, agarram o leitor neste regresso inesperado dos Santeiros.

Marvel Especial 2: O Velho Logan
Esta escolha foi mais simples: porque Sorrentino tem uma arte a todos os títulos brilhante, porque Old Man Logan foi o melhor que saiu durante todo o período de dormência mutante e porque esta edição da Marvel Especial preparava a segunda vaga de títulos Marvel, mais especificamente a nova série de X-Men (mostrando claramente que tínhamos ultrapassado um universo de contrariedades: da falência da distribuidora aos velhos do Restelo que nunca acreditaram que iríamos chegar ao fim com as nossas colecções… não só as terminamos, como começamos com várias novas, num plano editorial de BD como há muito não havia memória em Portugal).


Outras edições

Mulher Maravilha: Homens e Deuses
Greg Potter, George Pérez e Len Wein
Levoir
Além de mostrar o brilhantismo de Pérez, esta saga é algo fundamental para os fãs da Mulher Maravilha e foi o preencher de uma lacuna para todos os fãs da DC em Portugal. Quando acabamos, apetece abrir o livro de novo e ver ao detalhe.

Cage
Brian Azzarello e Richard Corben
G. Floy
A dupla Azzarelo/Corben trouxe-me de imediato à memória um brilhante arco das aventuras de Constantine, em que o próprio se vê enclausurado numa prisão de alta segurança. Foram um punhado dos melhores comics que a série Hellblazer trouxe ao mundo. Cage foi uma pequena mostra do que esta dupla é capaz de fazer, um título que a G-Floy lançou que achei brilhante!

Os Livros da Magia
Neil Gaiman, John Bolton, Scott Hampton, Charles Vess e Paul Johnson
Levoir
Neil Gaiman não necessita de apresentações e esta mini-série da DC, que junta ainda quatro autores de luxo (um deles que está no meu top de favoritos – Bolton), é um clássico intemporal que passados quase 30 anos se mantém tão enérgico como quando foi lançado.

(clicar nas imagens para as aproveitar em toda a sua extensão)

2 comentários:

  1. Guerra civil 2 é tão fraca como Invasão Secreta (bendis) ou Essência do Medo.Mega Saga boa é a ultima e inédita Guerras Secretas 2015,que criou a base para tudo o que a goody editou.
    Esse arco do Aranha nao gostei nem arte nem história.

    ResponderEliminar
  2. Há um programa no Dsicovery channel que tem uma publicidade deste tipo:
    "Descobre o que gostas de fazer e nunca terás de trabalhar no resto da tua vida"
    Não deixa de ter uma certa piada, ser parte do trabalho do Editor ter de "ler BD", que é aquilo que nós os "meros mortais" gostamos de fazer para passar um bom momento... :-)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...