Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

05/09/2017

Mickey #1

Bons velhos tempos

Declaração de abertura: não sou grande fã das actuais histórias Disney (italianas).
Fruto dos tempos que se vivem, transbordam de politicamente correcto e subvertem a essência dos seus protagonistas, tornando os avarentos generosos, os irados amigáveis, os inimigos amigos aos beijinhos e abraços. Descaracterizam, assim, aqueles e aquilo que fizeram da banda desenhada Disney uma das mais lidas e publicadas no mundo.
Mas…
Mas nesta nova fase das revistas Disney em Portugal, a par das tais histórias recentes italianas, surgem também algumas pérolas, mais antigas, de outras proveniências geográficas que, pela inevitável comparação, realçam - negativamente - o que acabei de escrever. pelo menos para mim, leitor de outros tempos - com uma imagem 'cristalizada e idealizada' da BD Disney?
Neste primeiro número da revista Mickey, à venda a partir de hoje, o exemplo perfeito é Tio Patinhas: Rei Patinhas I, criação do genial Carl Barks, aqui apenas responsável pelo argumento, já que o desenho - fiel ao do mestre… - foi entregue a Tony Strobi.
Numa história de 21 páginas (que valem por mais, fruto da planificação a quatro tiras por prancha, contra as três das histórias modernas), Barks, a par da aventura em si, assente numa conspiração pela busca de um tesouro e numa viagem no tempo, consegue mostrar o pior do ser humano: guerra, cobiça, escravização dos inimigos - pelos próprios patos protagonistas (!) - e a vacuidade das riquezas face ao peso da imortalidade que (felizmente) está negada ao homem.
Trepidante, densa, surpreendente e de conteúdo rico, é uma lição de bem escrever e contar (e desenhar), que faz ansiar por mais narrativas deste calibre nas novas revistas… ou por mais volumes como As melhores histórias de Donald & Patinhas por Don Rosa.

Nota final
Percebo a necessidade de renovar os títulos Disney em publicação para lhes conceder novo mediatismo e voltar a chamar a atenção dos (seus) leitores mas, na minha mente de (parco) leitor Disney, a atribuição de nomes de personagens - Patinhas, Donald, Mickey - às revistas, pressuporia que elas se especializassem - sem exclusividade! - neles. O que não acontece, longe disso, pelo menos no primeiro número de cada uma delas…

Mickey #1
Casty, Mark Shaw, Laura Show, Carl Barks, Thomasz Kolodziejczak, Inn Printz-Pàhison, Rafles Magahães Ramos, Augusto Macchetto (argumento)
Massimo de Vita, Giorgio Cavazzano, Tony Strobi, Vicar, Carlos Edgard Herrero, Lorenzo Pastrovicchio (desenho)
Goody
Portugal, 5 de Setembro de 2017
135 x 190 mm, 128 p., cor, capa mole, mensal
1,90 €

(imagens disponibilizadas pela editora; clicar nelas para as aproveitar em toda a sua extensão)

1 comentário:

  1. Saudações,

    Não sou fã do Mickey, mas, gostei deste numero porque basicamente tem histórias dos..."Patinhas"! É de louvar a introdução (nas três revistas)de histórias clássicas - destinadas (?) aos "maiores", já que as italianas são muito enfadonhas... Só não entendo, se é que existe, os "parâmetros" das escolhas das histórias... - continua a ser a Comix de sempre!... Caros editores, também existem grandes clássicos do Mickey ( Paul Murray é do melhor!)...
    Voltando ao "enfadonho", não tem nada haver com o ser "infantil" (mais "infantil" que as histórias da "Turma da Mônica", não há e sou leitor e apreciador delas...) - grande parte das histórias parecem ser feitas "em série", à pressa, sem imaginação, tipo "plástico" de usar (ler...) e deitar fora!...

    António Santos

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...