Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

21/09/2017

Dylan Dog: Mater Morbi

Entre a vida e a morte

“Escolha é um luxo que poucas vezes se concede a um doente.
A única coisa que ele pode fazer é aceitar a sua sorte…”
In Matter Morbi

Na sequência de um problema de saúde aparentemente ligeiro que se foi agravando, Dylan Dog acaba num hospital, entre a vida e a morte. É este o pretexto para Roberto Recchioni e Massimo Carnevale abordarem o maior medo do ser humano - a morte - e tudo que existe  entre nós e ela, e também os limites  que a medicina deve estabelecer - ou não.
História atípica na cronologia do protagonista, longe da ironia que costuma prevalecer e do terror narrativo - que na verdade também está aqui presente e até num nível bem mais incómodo porque mais próximo da realidade e longe da ficção - Mater Morbi, que decorre numa fronteira indefinível entre o palpável e o irreal, centra-se em Dylan Dog e nos seus terrores mais íntimos, nas suas dúvidas e perplexidades perante a vida, nas suas (in)certezas sobre o fim da estadia na terra para o ser humano.
A par deste registo argumental, desenrola-se um outro, que aborda as questões éticas e comportamentais da Medicina, o seus avanços e o que é necessário para que existam, o que a impulsiona e o que a trava, quais os limites que ela própria deve ter ou que lhe devem ser colocados.
Narrativa densa, incómoda e perturbadora - bem distante do conceito ‘popular’ que geralmente se associa às criações Bonelli - Mater Morbi, apesar do distanciamento do registo habitual de Dog, revela-se uma escolha muito acertada no contexto da colecção Novela Gráfica, não só pela sua qualidade intrínseca, mas também pelas boas referências que os leitores lhe deixaram aqui no blog e nas redes sociais, evidência da sua adesão a esta proposta.
Que é, assim, mais um ponto a favor daqueles que, como eu, defendem que uma das próximas parcerias Levoir/Público contemple os heróis Bonelli - com Julia à cabeça, digo eu, e passando por Tex, inevitavelmente, Dylan Dog, Martin Mystère, Nathan Never, Dampyr, Nick Raider, Mister No, Zagor e outros mais...

Dylan Dog: Mater Morbi
Roberto Recchioni (argumento)
Massimo Carnevale (texto)
Levoir/Público
Portugal, 11 de Agosto
170 x 240 mm, 120 p., cor+pb, capa dura
9,99 €

(imagens disponibilizadas pela editora; clicar nelas para as aproveitar em toda a sua extensão)

2 comentários:

  1. Olá,
    creio que seria igualmente interessante que, a próxima colecção de Novela Gráfica, também contempla-se autores como Gipi e David B .

    Luís Campos

    ResponderEliminar
  2. Dois bons nomes, sem dúvida.
    Boas leituras!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...