Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

21/04/2017

Airborne 44: A nova colecção ASA/Público


(nota informativa disponibilizada pela editora)

O PÚBLICO e a ASA editam, já a partir de 28 de Abril, uma nova colecção de BD, sobre a Segunda Guerra Mundial - «Airborne 44».

«Airborne 44» é uma BD franco-belga, escrita e desenhada com o aconselhamento de um historiador. São 6 volumes, inéditos em português, onde a realidade e a ficção se misturam e as armas e os sentimentos se cruzam em três ciclos: o Inverno de 1944; antes da Guerra culminar no dia D; e o fim da Guerra.
Junte-se aos Aliados e não perca cada batalha em cada volume! Uma edição em capa dura, 56 páginas, que os leitores do jornal PÚBLICO poderão adquirir, por 8,90€+preço do jornal.

A Colecção
#1 ONDE OS HOMENS CAEM
28-04-2017

#2 O AMANHÃ SERÁ SEM NÓS
05-05-2017

#3 OMAHA BEACH
12-05-2017

#4 DESTINOS CRUZADOS
19-05-2017

#5 SE É PRECISO SOBREVIVER
26-05-2017

#6 O INVERNO DAS ARMAS
02-06-2017

O AUTOR
Argumentista e desenhador nascido em 1965 na Bélgica, Philippe Jarbinet publica o seu primeiro álbum em 1992 nas Éditions Blanco. Trata-se de Sandy Eastern, com argumento de Franz. 
Três anos mais tarde regressa à banda desenhada, assinando o argumento e os desenhos do primeiro volume de Mémoire de Cendres, publicado nas Éditions Glénat. Desta série serão publicados dez volumes entre 1995 e 2007. Depois de ter colaborado no policial colectivo Une Folie Très Ordinaire, imaginado por Christian Godard, escreve e desenha a partir de 2003 os três episódios de Sam Bracken, sempre nas Éditions Glénat.
Com a sua chegada à Casterman, em 2009, muda de registo e de técnica. Os álbuns Airborne 44, com texto e desenhos de sua autoria, são realizados em cor directa. Funcionando em dípticos, trata-se de histórias de guerra baseadas em dramas humanos. O sucesso é imediato e transporta Jarbinet para o primeiro plano do panorama dos grandes autores realistas.
Rigoroso, tanto no texto como no desenho, de que assegura igualmente a cor, Philippe Jarbinet perpetua com talento a banda desenhada realista clássica, não sem lhe trazer uma nota própria de modernidade. Paralelamente ao seu trabalho como autor, Philippe Jarbinet é professor de desenho e de banda desenhada na Academia René Defossez, em Spa, na Bélgica.

(imagens disponibilizadas pela editora; clicar nelas para as aproveitar em toda a sua extensão)

16 comentários:

  1. Excelente noticia! Série com criticas muito boas na totalidade dos 6 volumes, em capa dura, a um preço muito bom e franco belga, para desenjoar de super homens vs doomsday e corpos danone...perdão, Sinestro.

    ResponderEliminar
  2. Muito Bom. Estamos mesmo a viver um período com a banda desenhada muito bom. Parece que se encontrou o "pote de ouro" para a publicação de Bd em Portugal: boa, de boa qualidade, com excelente apresentação e a um preço muito acessível. Parabéns e obrigado.

    Letrée

    ResponderEliminar
  3. Sem palavras, esta noticia é espectacular!
    Isto sim é uma grande colecção...

    ResponderEliminar
  4. Para variar e uma serie totalmente nova nao algo que tenham em catalogo.Devo comprar o 1 pelo menos.

    ResponderEliminar
  5. Não é só um livro de Guerra, não é só um livro de História, não é só drama, não é só uma novela... É tudo isso junto!
    Já li a colecção (3 integrais) e foi "longa e desesperante" o intervalo entre esses volumes... Por isso estou solidário com aqueles que durante as próximas semanas sofrerão ânsia pela chegada de cada livro!... ;) :)

    ASantos

    ResponderEliminar
  6. Embora desconheça a série tenho boas expetativas em relação a ela.

    ResponderEliminar
  7. Como parece que a GFloy e a Levoir descobriram o OvoDeColombo da edição de BD em Portugal (venda em conjunto com jornais -nomeadamente o Publico-), a ASA aparentemente decidiu seguir essas pisadas.

    Não esquecendo que foi a ASA a primeira(?) a editar em conjunto com jornais, creio que será a primeira vez que lança uma série totalmente inédita.

    A edição conjunta com jornais parece ter duas garantias; para o lado do editor, terá vendas relativamente garantidas e para o lado do comprador, garante a edição completa da série.

    Aparenta ser mesmo uma situação em que ganham os dois.
    Assim continue. :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pco69,
      A G. Floy não edita com o Público, só a Levoir. O José de Freitas é sócio da G. Floy e responsável pelas colecções da Levoir em termos de concepção e realização gráfica, mas é só.
      As colecções de BD com jornais em Portugal começaram em 2003, com o Tintin (ASA/Público, Setembro 2003) e a colecção Clássicos da BD (Devir/Correio da Manhã, Outubro 2003).
      A venda com jornais permite um menor preço de venda (distribuição menos onerosa, maior tiragem) o que é bom para o comprador - boas edições, mais baratas; colecções (quase) completas - e para o editor - com (algumas) garantias de vendas e aumento do fundo de catálogo, escoado posteriormente em livraria e eventos.
      Falta-te um vértice do triângulo: o jornal, que espera aumento de vendas devido às colecções que co-edita - o que nem sempre acontecerá...
      Ganhando todos - e uma escolha criteriosa das colecções é muito importante - aparentemente não haverá razões para que estas parcerias não continuem a funcionar...
      Boas leituras!

      Eliminar
    2. A Asa já lançou cerca de 20 coleções em parceria com o público desde 2005. Não me parece nada que ande a reboque... foi sim pioneira neste estilo!! E algumas dessas coleções foram XIII, Alix, Passageiros do Vento, Thorgal, Jonathan, Bernard Prince já para não falar dos clássicos Spirou, Corto Maltese, Tunicas Azuis, Blake e Mortimer, Ric Hochet, etc.

      Eliminar
  8. Peço desculpa pela GFloy. Estava mais a pensar em "distribuição em banca" do que realemte "conjunto com jornal".
    E sim, também peço desculpa ao Publico pelo meu esquecimento.
    Sabemos que (actualmente) há muita aquisição da BD sem a respectiva aquisição do jornal. Mas tb acredito que o Publico receba algum pela parte da distribuição, pelo que ainda será uma situação triplamente vencedora (Editora+Jornal/distribuição+compradores)

    ResponderEliminar
  9. Uma questão: Norlmalmente a ASA e o Público fazem estas publicações conjuntas à quarta. Este passou para as Sextas? Será apenas esta semana?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pco69,
      O primeiro volume está anunciado para sexta-feira, dia 28; suponho que continuará sempre à sexta... mas vou informar-me.
      Boas leituras!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...