Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

13/12/2016

Comic Com 2016: Balanço oficial


A terceira edição do maior evento de Cultura Pop do país, decorreu na Exponor em Matosinhos, nos dias 8, 9, 10 e 11 de Dezembro, com a visita e participação de 72 981 pessoas, consagrando-se novamente como o maior evento do género em Portugal.

Após o sucesso da edição de 2015, que contou com mais de 53 500 visitantes, registou-se este ano um acréscimo de cerca de 20 mil pessoas, comprovando o sucesso e a enorme margem de desenvolvimento do evento. A avaliar pelo crescimento verificado, é garantida uma evolução contínua para o futuro.
Apesar do enorme aumento em termos de público, ficando a Comic Con Portugal a 19 visitantes dos 73 mil, a circulação foi bastante fluída, fruto da grande melhoria na produção e logística oferecendo um espaço bem organizado e funcional.
Entre os destaques, foi possível observar uma atmosfera única, memorável e rica em experiências que contou com mais de 200 convidados em mais de 100 painéis durante os 4 dias do evento. 

O tema Música abriu a terceira edição da Comic Con Portugal com um envolvente e fantástico painel intitulado de “A influência da Música na Cultura Pop” com a presença de Zé Ricardo, o diretor artístico do Rock in Rio e a Orquestra Filarmónica das Beiras dirigida pelo maestro António Vassalo.
Todos os visitantes tiveram a oportunidade de estar envolvidos numa ambiência dinâmica proporcionada pelos milhares de cosplayers presentes, que vestiram a pele dos personagens favoritos. As experiências de realidade virtual da área Gaming concentraram muitas das atenções, assim como o gigante Wun Wun de Game Of Trones e a WestWorld Experience.
Os vários tributos à saga Harry Potter foram visíveis, transformando a Comic Con Portugal num lugar mágico. A edição de 2016, que termina com um balanço positivo, contou com talentos nacionais como o elenco da série Os Jogadores, Nuno Markl e Refrigerantes & Canções de amor, A Mãe É Que Sabe, João Paulo Rodrigues e Pedro Alves, António Raminhos, Wuant, Miguel Luz, Cavaleiros do Panteão, Improvio Armandi e a MasterClass de Dobragens da BugginMedia.
Os talentos internacionais de cinema e televisão como Cobie Smulders, Kevin Sussman, Jason Isaacs & Katie Leung, Sean Teale, Rila Fukushima, Lennie James, Ivana Baquero & Junichi Masuda & Shigeru Ohmori estiveram destacados nos interesses dos participantes. Para além das atracções cinematográficas, muitos foram os artistas que deram vida à área de banda desenhada e literatura como Chris Claremont, Francis Manapul, Alex Maleev, Esad Ribic, Miguel Mendonça e Filipe Melo & Juan Cavia.

Durante os quatro dias decorreram painéis Q&A, exposições, estreias e antestreias de séries como: Incorporated, Midnight Texas, Aftermath e Childhood Ends. A Paramount trouxe à Comic Con Portugal 2016 um painel dedicado aos aficionados de cinema repleto de novidades sobre as estreias para o próximo ano. Também a produtora Virginie Besson-Silla presenteou a Comic Con Portugal e os seus visitantes com um painel brilhante, repleto de conteúdos inéditos do tão esperado filme Valerian e a Cidade dos Mil Planetas, que chegará aos cinemas em Julho de 2017.
A convenção foi vivida por todos os fãs de forma intensa com muitos concursos, desafios, torneios de videojogos e actividades para todas as idades e todos os gostos.

Números oficiais Comic Con Portugal 2016

Dias 8,9, 10 e 11 de Dezembro 2016, na EXPONOR, em Matosinhos
60 mil metros quadrados
72 981 visitantes
216 convidados de várias nacionalidades
103 painéis
43 horas de convenção


(texto e imagens disponibilizados pela organização; clicar nelas para as aproveitar em toda a sua extensão)

4 comentários:

  1. Foi pena o completo desinvestimento na área BD em relação ao ano passado, tendo-se tornado um espaço tão residual que quase se justifica que a designação BD salte fora da descrição do evento. A continuar assim, para o ano não me apanham lá de certeza.

    ResponderEliminar
  2. Não sei como foi em anos anteriores mas gostei de muito de lá ter ido foi uma óptima experiência e tive a oportunidade de ter um autógrafo do chris claremont e do esad ribic que ainda fez um sketch do thor
    O evento penso que cada vez mais vaí ter mais adesão e espero que para o ano venham grandes nomes como vieram este ano sabendo claro que o bendis vem

    ResponderEliminar
  3. Como é que o cancelamento do Brian Muir passou incólume?

    ResponderEliminar
  4. João Rosa13/12/16 13:26

    Não achei que a área de BD estivesse pior. Os nomes eram bons e espaçaram as várias áreas, o que para mim foi positivo. É verdade que a entrada para o evento foi melhor que o ano passado, que é o único balanço que o Pedro faz... Agora há alguns aspectos que não melhoraram. Continua a ser uma vergonha que haja pessoas a comprarem lá o bilhete e a entrarem logo. O escamoteamento de preços provocaria um escândalo se não vivêssemos num país que idolatra a chicoespertice. A gestão dos anfiteatros foi ruinosa. No fundo, este ano o evento atingiu uma dimensão que obriga a uma escolha: ou passar a profissional e ser melhor ou continuar amador, divertido mas caótico.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...