Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

28/11/2016

Fidel Castro na BD










Figura histórica incontornável dos últimos 65 anos, Fidel Castro teve por isso inúmeras aparições em bandas desenhadas, nos mais diversos registos.

A principal, sem dúvida, é Castro, a biografia de mais de 300 páginas que o alemão Reinhard Kleist escreveu e desenhou, traçando o percurso do carismático político desde a juventude até abdicar do poder, mais de quarenta anos depois. Para a realizar, Kleist passou um mês em Cuba a fotografar, desenhar e fazer entrevistas e muito mais tempo a ler sobre Fidel, resultando uma obra equilibrada que humaniza o relato sem lhe retirar o rigor histórico nem o tornar demasiado pesado.
Num registo mais ‘heróico’, o Album de la Revolucion Cubana, de 

René Jiménez Ornelas, mais que uma BD, um conjunto de ilustrações com texto por baixo que abre com o golpe de estado de Fulgêncio Batista em 1952 e conta os feitos de Fidel à frente das suas tropas até à entrada triunfal em Havana, em 1959.

Quanto a Killing Castro, de 2015, é um romance gráfico em tom de comédia, da autoria de Jason Ciaccia e Aaron Norhanian, aparentemente baseado em relatórios da CIA, que conta uma missão suicida levada a cabo em 1963, com o envio de um operacional norte-americano a Cuba para humilhar publicamente o ditador durante uma emissão televisiva ou, em alternativa, assassiná-lo.
Em termos de humor, a lista de cartoons editoriais com Fidel Castro seria praticamente interminável, tantas e tão variadas foram as ocasiões em que ele inspirou inúmeros desenhadores como John Deering, Nick Anderson, Chip Bok, Gustavo Rodriguez ou Mike Peeters, sendo que este último introduziu-o mesmo na sua tira diária Mother Goose and Grimm.


A MAD obviamente não podia ignorar Castro e, entre muitas aparições o líder cubano, teve honras de capa (como mostrado acima) em 1963 a fumar um charuto… explosivo!
Mais curioso é o facto de Fidel ter tido algumas aparições nas histórias de super-heróis da Marvel, assumindo no papel a posição real de ditador cubano, no universo alternativo da Terra-616. A partir de 1967, o seu percurso e o dos seus seguidores cruzou-se várias vezes com o Homem de Ferro ou o Capitão América, em confrontos motivados pelas ideologias opostas. Mas, mais curiosa ainda, é a sua presença, ao lado de George W. Bush e Nelson Mandela, entre os convidados da coroação do Pantera Negra como líder do reino africano de Wakanda, ou no seu casamento com Tempestade, uma das X-Woman.
O cruzamento do trajecto de Castro com super-heróis não se ficou por aqui, já que no universo da rival DC, o presidente cubano também marcou presença e, no mundo alternativo da Nova Terra, chegou a lutar ao lado do Flash contra invasores extraterrestres, organizando depois uma festa para celebrar o aniversário do super-herói mais rápido do mundo!

(texto publicado a 26 de Novembro na página online do Jornal de Notícias onde estão disponíveis mais imagens; clicar nas imagens deste texto para as aproveitar em toda a sua extensão)

1 comentário:

  1. Manuel Caldas29/11/16 12:09

    Graças a Deus, finalmente morreu. Mas ainda falta o irmão para que as coisas lá na ilha-prisão possam começar a deixar de ser tão más. Rezemos para que não demore.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...