Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

19/10/2016

Un tren llamado amor








Pedir a um autor com o passado (violento) de Garth Ennis para escrever uma história romântica era à partida um erro.
O autor afirma-o e Un tren llamado amor confirma-o.

Como era de esperar de Ennis, esta é uma história estranha. Melhor, estas são as estranhas histórias de alguns jovens adultos (ou pós-adolescentes, pelo comportamento que exibem) que o destino – e Ennis – de alguma forma vão cruzar.
A história de Valerie, disposta a pôr fim às chamadas obscenas que recebe com um taco de beisebol, e Myles, um assassino a soldo e também… o homem dos sonhos dela.
A história de Emil e Gustav pistoleiros mentalmente instáveis…
A história de Marv, Jev, Chip e Mike, dispostos a fazer dinheiro à custa de droga que desviaram e pretendem vender ao maior traficante da cidade…
A história de Penny e do mesmo Marv, separados pelos desvios animalesco/sexuais dele…
A história do já citado Mike, um negro, e do seu encontro com a Ku Klux Klan em casa da jovem (branca) a quem dá explicações…
Uma série de histórias com muito de absurdo – como só a vida sabe ser absurda, mas com situações levadas ao extremo – confinadas num curto espaço que se revela algo claustrofóbico -  em que (quase) tudo parece acontecer, em que conhecimentos e relações se vão cruzando, adensando e complicando, com sexo, droga, tiros, violência e mortes à mistura.
Ennis, com a mestria que lhe é reconhecida, mas sem o romantismo que lhe foi pedido – e a surpresa seria o contrário! – vai complicando a trama perante o olhar do leitor, primeiro curioso, depois surpreendido, a certa altura baralhado, finalmente divertido e desejoso de conhecer o desfecho de tantas vidas cruzadas, o que acontecerá no segundo tomo que conclui a publicação de Un tren llamado amor.
O traço de Mark dos Santos, menos caricatural do que as capas de Russ Braun podem levar a entender – e a capa deste volume é um infeliz exemplo disso… - leve, descontraído e dinâmico, com cores quase planas que aumentam a legibilidade e o ritmo, acentua o tom de um relato que não é para ser levado a sério, é tão só um divertido entretenimento.

Un tren llamado amor
Inclui A Train Called Love #1-#5 (EUA)
Garth Ennis (argumento)
Mark dos Santos (desenho)
Andrew Elder e Salvatore Aiala Studios (cor)
Panini
Espanha, Setembro de 2016
ISBN: 9788490947203
185 x 280 mm, 128 p., cor, capa dura, 16,95 €

(Pranchas da versão original norte-americana recolhidas no site da Dynamite Comics; clicar mas imagens para as aproveitar em toda a sua extensão)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...