Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

23/10/2016

Leituras Novas: Arte de Autor


DRUUNA - AS ORIGENS
Druuna está de regresso para desvendar as suas origens numa história sem palavras que dá pelo título de Anima. Vinte anos depois de lhe ter dado vida, e 13 anos após a publicação do último álbum, Serpieri regressa ao universo da sua famosa heroína, o qual é um misto de ficção científica e de heroic fantasy, povoado de estranhas criaturas, hostis ou amorosas. Este tomo 0 é complementado com um caderno de 18 páginas que contem esboços e uma história curta de 7 páginas, inédita, a qual data de 1981. Serpieri presenteia-nos pois, neste regresso de Druuna, com uma epopeia fantástica e sublime, onde os desenhos falam por si mesmos.

 

 
Drunna: As Origens
Argumento e Desenho: Paolo E. Serpieri
Edição: Cartonada 

Páginas. 96
Impressão: Cor
Formato: 21x28,5 cm
Editor: Arte de Autor
ISBN: 978-989-99674-0-3
Data de Edição: Outubro de 2016
PVP: 16,50€


O Azul é uma cor quente
Tradução da obra “Le bleu est une couleur chaude”, é a primeira obra de Julie Maroh.
Uma história de amor que ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes de 2013.
O livro conta-nos a história de Clementine, uma adolescente de 15 anos que, um dia se cruza na rua com um par de raparigas. Uma delas tem o cabelo pintado de azul e sorri-lhe. A partir desse preciso momento, tudo muda na vida de Clementine: a sua relação com os amigos na escola, a sua relação com a família, as suas prioridades... e sobretudo a sua sexualidade.
Através de textos do diário da protagonista, o leitor acompanha o primeiro encontro de Emma e Clementine que tentam amar-se apesar das dificuldades implícitas na visão da homossexualidade por parte da sociedade e dos próprios preconceitos de Clementine.
É difícil saber o que é o amor e que aspecto assume, mas o amor entre as duas caminha entre as descobertas, tristezas e maravilhas dessa mesma relação.
Para além de ser uma obra premiada (teve, entre outros o Prémio do Público do Festival Internacional de Angoulême), O Azul é uma cor Quente é a BD que inspirou o filme A Vida de Adéle, de Abdellatif Kechiche, o qual ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes, em 2013.
Novela gráfica, que se encontra editada em 15 línguas, incluindo o inglês, espanhol, alemão, italiano e holandês, e que pela sua sensibilidade se tornou um êxito mundial, não deixa ninguém indiferente.

Julie Maroh
Originária do Norte de França, Julie Maroh formou-se em Banda Desenhada no Instituto Saint-Luc de Bruxelas e posteriormente em litografia na Royale Academia de Belas Artes. Publica o seu primeiro álbum “Le Bleu est Une Couleur Chaude” em 2010: trata-se de uma história sensível e comovente que se desenrola ao longo de 160 páginas, sobre o tema da homossexualidade feminina e da sua aceitação por parte da sociedade actual.
Julie Maroh publicou ainda uma outra novela gráfica “ Skandalon”, uma fábula sociológica incarnada por uma estrela de rock. Trabalha actualmente em vários outros livros, nomeadamente em "Corps Sonores", que será publicado em 2017.

 

 
Argumento e Desenho: Julie Maroh
Edição: Cartonada
Número de páginas: 160
Impressão: Cor
Formato: 21 x 28,5 cm
Data de Edição: Outubro de 2016
Editor em Portugal: Arte de Autor
ISBN: 978-989-99674-2-7
PVP: 19,95€
  
As Aventuras de Philip e Francis: T. 3 – SOS Meteorologia
O professor Mortimer está farto. Já não suporta ver os outros aproveitarem-se da sua lendária gentileza. Que o seu velho cúmplice Francis Blake se enfie em sua casa, ainda vá. Que Nasir, o seu fiel servidor, exija um aumento e o pagamento de horas extraordinárias, aceita-se. Que um bando de delinquentes, que diríamos saídos do filme Laranja Mecânica, o chateiem, admite-se. Mas quando Blake lhe chama “mole”, o seu sangue escocês começa a ferver: isto tem de mudar! De regresso a casa, Mortimer prepara um produto revolucionário que o vai transformar num malfeitor impiedoso e dominador...
Por Jove e por Horus! Mas o que é que aconteceu ao nosso velho amigo Mortimer? Não contente por se transformar fisicamente, qual doutor Jekyll, agora frequenta clubes de strip-tease, aterroriza Olrik e persegue a ambição de dominar o mundo?
Admirador do Estranho Caso do Dr. Jekyll e de Mr Hyde, o romance de Stevenson, o argumentista Pierre Veys é também um leitor assíduo de Jacobs, tal como Nicolas Barral que tem o prazer de reproduzir, nos mais ínfimos pormenores, o seu universo gráfico.

Pierre Veys
Nasceu em Cambrai, em 1959. Multiplicou experiências de escrita no café-teatro e no teatro (onde também é actor) e posteriormente na televisão antes de escrever histórias curtas para a revista semanal Spirou. É o argumentista de Igor et les monstres, de Space Mounties, de Maître détective e de Avatars. Escreve igualmente gags para Boulle et Bill.

Nicolas Barral
Nascido em 1966, começa a trabalhar na revista Fluide Glacial antes de desenhar Les Ailes de plomb (argumento de Gibelin). O seu encontro com Pierre Veys muda-lhe a vida: juntos, criam Baker Street, e depois Les Aventures de Philip et Francis. Em colaboração com o argumentista Tonino Benacquista, Barral assina os dois tomos de Dieu n’a pas réponse à tout, e depois Les Cobayes. Argumentista de Mon pépé est un fantôme (desenho de TaDuc), sucede também a Tardi retomando a personagem de Nestor Burma.

 

 
Título : T. 3 – SOS Meteorologia
Série : As Aventuras de Philip e Francis
Argumento: Pierre Veys
Desenho: Nicolas Barral
Número de Páginas: 56
Impressão: cores
Formato: 23,5 x 31 cm
Acabamento: edição cartonada
Data de edição: Outubro de 2016
ISBN: 978-989-99674-1-0
Preço : 14,50€

(textos e imagens disponibilizados pela editora; clicar nelas para as aproveitar em toda a sua extensão)

8 comentários:

  1. Esse Azul Presta!?
    Druna vai ficar mais uma vez no um!?
    E o As Aventuras de Philip e Francis sai sempre 1 volume novo por uma editora diferente!?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Optimus,
      Estou muito curioso em relação ao Azul, mas não me parece que seja o teu género...
      Este Drunna é editado em português pela primeira vez e há cá editados 3 títulos pela Meribérica.
      Boas leituras!

      Eliminar
  2. Boa tarde
    Gostaria de saber onde poderia adquirir este volume de Drunna?
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tipicamente, estará disponível na Fnac dentro de dias, como os outros livros da Arte de Autor.

      Eliminar
    2. E está disponível no stand da editora durante o Amadora BD...
      Boas leituras!

      Eliminar
  3. Louve-se o aparecimento de outra editora com coragem de editar BD em Portugal. E aparentemente, não se ficaram por um livro de quanto em quanto tempo.

    Mas, e falo/escrevo única e exclusivamente por mim, para além do dinheiro e do espaço em casa não esticar, as edições AdA não me têm atraido grande coisa.

    Tenho Manara (achei-o relativamente fraco, nomeadamente em termos de argumento) e vou comprar o Druuna, dobretudo porque tenho a série completa (em francês). Até porque desconhecia a existencia deste :-)

    ResponderEliminar
  4. Louve-se o aparecimento de outra editora com coragem de editar BD em Portugal. E aparentemente, não se ficaram por um livro de quanto em quanto tempo.

    Mas, e falo/escrevo única e exclusivamente por mim, para além do dinheiro e do espaço em casa não esticar, as edições AdA não me têm atraido grande coisa.

    Tenho Manara (achei-o relativamente fraco, nomeadamente em termos de argumento) e vou comprar o Druuna, dobretudo porque tenho a série completa (em francês). Até porque desconhecia a existencia deste :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pco69,
      Não temos - não podemos - todos comprar tuo, mas é muito bom que haja variedade de oferta.
      Eu gostei do Manara, aconselho francamente o Eu. assassino, um dos melhores livros editados este ano em Portugal, e também gostei bastante do do Diaz Canales.
      Destes 3 novos, estou bastante curioso em relação ao Azul...
      Mas os gostos não são todos iguais...
      Boas leituras!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...