Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

04/10/2016

Leitura Nova: Miracleman – Edição integral








UMA ESTREIA MUNDIAL!
Uma das séries que ajudou a redefinir os comics de super-heróis está disponível de novo, depois de mais de vinte anos.
“...o mais icónico e popular super-herói que os fãs nunca leram.”- IGN

MIRACLEMAN: EDIÇÃO INTEGRAL
Começando com as origens obscuras de um super-herói dos anos 50, o Escritor Original, com a ajuda de uma mão-cheia dos maiores artistas de comics de sempre, escreveu uma das mais tremendas sagas de super-heróis de sempre. Depois do seu primeiro confronto com o super-vilão que viria a ser a sua némesis, Miracleman irá partir em busca do segredo das suas origens, enquanto o Escritor original irá levar o arquétipo intemporal do super-herói até às suas últimas consequências e à sua visão tremenda de um futuro utópico. O resultado foi uma obra-prima da banda desenhada, a primeira grande história de super-heróis “realista”, que ajudou a redefinir todas as regras do género.

 

A G. Floy orgulha-se de apresentar aos leitores portugueses a primeira edição integral mundial de uma das obras-primas esquecidas da banda desenhada de super-heróis, e uma das mais influentes de sempre.

Miracleman foi o primeiro de uma série de obras “revisionistas” que puseram em questão todos os clichés e características das histórias de super-heróis. Foi só na sequência de Miracleman, que O Regresso do Cavaleiro das Trevas, Watchmen, ou histórias como Batman Ano Um ou Piada Mortal, escritas por autores inovadores como Frank Miller ou Alan Moore, estabeleceram o cânone deste revisionismo, que aplicava a psicologia real ao universo dos super-heróis, com resultados nem sempre agradáveis, que iam da violência excessiva, da subversão social e política à psicose e sociopatia. Mas até nisso Miracleman foi revolucionário, e abriu caminho a um novo entendimento do género super-heróico, com as suas raízes no mito e na lenda. De certo modo, Miracleman pode ser visto como uma exploração daquilo que pode acontecer num mundo povoado de super-heróis, se levarmos até às últimas consequências a sua existência. Onde é que tudo pode acabar? O que pode sair dali?

 

A primeira edição mundial de Miracleman: Integral, da fase do Escritor Original, que abre caminho para os posteriores volumes escritos por Neil Gaiman (a lançar pela G. Floy em 2017).
Inclui os volumes originais A Dream of Flying, The Red King Syndrome e Olympus, bem como todas as histórias curtas da fase do Escritor Original.
Inclui uma extensa galeria de capas originais e alternativas, desde capas das revistas dos anos 80 até capas alternativas das recentes edições da Marvel, por artistas como Joe Quesada, Alan Davis, Bill Sienkiewicz, Gabrielle Dell'Otto, Tim Sale e muitos mais!
Contém inúmeros extras, desde esboços e reproduções de páginas a preto e branco, prefácio exclusivo, entrevista, etc...

 

 

 
MIRACLEMAN: EDIÇÃO INTEGRAL
Alan Moore (argumento)

Garry Leach, Alan Davis, John Ridgway, Chuck Austen, Rick Veitch, John
Totleben, com Don Lawrence, Steve Dillon, Paul Neary e Rick Bryant (desenho)
G. Floy
Álbum, 384 pgs. a cores, capa dura
PVP: 25 €
ISBN: 978-84-16510-15-3

(texto e imagens disponibilizados pela editora; clicar nelas para as aproveitar em toda a sua extensão)

9 comentários:

  1. Uma obra-prima da BD e uma edição muito inteligente da G Floy não só pela obra em si mas por a lançar num formato (integral e em capa dura) ainda nem sequer disponivel em inglês. E a um óptimo preço. Parabens.

    ResponderEliminar
  2. Ja lancei os tentáculos em Lisboa e ninguem encontrou o livro. Zero! Alguem sabe onde ja se encontra à venda?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenhas pressa e espera mais uma semana que chega à fnac.

      Eliminar
    2. Na Fnac tenho sempre 10% de desconto, às vezes um pouco mais. Mas evito comprar lá. Mete-me NOJO que coloquem o entulho em frances e ingles à frente de edições NOVAS em português.

      Eliminar
    3. Pois olha eu só compro na fnac. Gosto de apoiar quem democratizou o acesso à banda desenhada e ainda o faz a preços mais baratos do que as próprias editoras. Onde vou até acho que dão bastante destaque as edicoes portuguesas.

      Eliminar
    4. É verdade que democratizou. É verdade que se vou, por exemplo, a uma bertrand a secção está identificada por juvenil... surreal. Mas também é verdade que colocam o entulho estrangeiro à frente das edições nacionais. Ainda ontem o meu pai me mostrava a sua ultima recente compra do Blake e Mortimer em... frances. Claro, na fnac. Já trocou :)

      Eliminar
    5. Democratizou? Talvez. Mas também acabou com uma data de livrarias mais pequenas. E como o diogosr1 refere, algumas das lojas Fnac, têm o péssimo hábito de colocar as edições estrangeiras à frente dos mesmso livros de edições portuguesas.

      Relativamente à obra em si, é-me desconhecida a 100%. Diria inclusivé que foi aquando das noticias que a G Floy a ia editar que soube que havia uma 'coisa' chamda Miracleman...

      Vamos ver que tipo de 'surpresa' será.... :-)

      Eliminar
    6. Na Fnac de Viseu têm as ediçoes Levoir e G Floy bem mais à vista do que as edições estrangeiras :)

      Eliminar
  3. O livro esteve à venda no Fórum fantástico, e penso que ao longo dos próximos dez dias chegará às Fnacs e às outras livrarias servidas pela nossa distribuidora.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...