Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

24/10/2016

A Novela Gráfica 2016 preferida foi…











…, de acordo com os resultados da sondagem promovida por As Leituras do Pedro, V de Vingança, de Alan Moore e David Lloyd.

Sem grande surpresa, penso eu, não só pela qualidade da obra mas também pela sua importância histórica – aspectos que poderão ter sido um pouco inflacionados por se tratar do primeiro livro da colecção Levoir/jornal Público. O livro assumiu a liderança das preferências dos participantes logo no início e gradualmente foi aumentando a sua vantagem.
Obteve 94 indicações – o que significa que praticamente metade dos participantes o escolheram – e um quinto das indicações expressas – porque cada participante podia indicar mais que um título. (Na prática, cada participante nomeou ‘2,3’ livros…).
Os lugares imediatamente a seguir couberam a Daytripper (81 indicações; 41 % dos votantes; 17 % das indicações) e, já a alguma distância Terra de Sonhos (52, 26 %; 11 %), com ligeira vantagem sobre aquela que foi sem dúvida a grande surpresa, Os Exércitos do Conquistador (48; 24 %; 10 %).
Confesso que contava com melhor votação para Presas Fáceis, por praticamente acompanhar a edição original e pelos muitos admiradores que o seu autor, Miguelanxo Prado, tem em Portugal.




O segundo grande destaque desta sondagem vai para o número de participantes, 199, o que representa um aumento de 50 % em relação à sondagem de 2015, e atesta bem o interesse que a colecção (mais uma vez) despertou.

Relativamente à segunda pergunta colocada, Qual Melhor colecção Novela Gráfica?, registou-se um empate (técnico). Dos 121 votantes, 61 optaram pela de 2015 e 60 pela de 2016. Curiosamente, esta última liderou com uma vantagem entre os 5 e os 10 votos quase até final.


Fazendo um apanhado sobre os títulos indicados para uma eventual terceira colecção Novela Gráfica, apesar da grande dispersão de sugestões, alguns nomes e títulos foram mais citados do que outros: Will Eisner, Étienne Davodeau e Daniel Clowes, por um lado, e Black Hole, de Charles Burns, The Sculptor, de Scott McLoud, Incal, de Moebius e Jodorowsky, por outro.
São mais alguns dados que poderão ser úteis à Levoir que tem editado estas colecções.

Para terminar resta agradecer a todos os que participaram, lembrando que a colecção Novela Gráfica 2016 já está disponível (embora com preços agravados) nas lojas FNAC, embora continue ao mesmo preço na loja online do jornal Público.


(clicar nas palavras a cor diferente para saber mais sobre o que está destacado)

1 comentário:

  1. O mal de Daytripper e a tradução Tuga num ambiente claramente zuca.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...