Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

30/09/2016

Big Man Plans





Este é um relato sobre intolerância, incapacidade de aceitação da diferença e afirmação da normalidade em detrimento dos desvios naturais.
E, à boleia, um festival de porrada e violência extrema, delirante e irresistível, apesar de ficar mal afirmá-lo num blog que se quer respeitável!

Dividido entre as décadas de 1960 e de 1980, com saltos temporais que ajudam a compreender opções e reacções, surpreender ambições e explicar acções, Big Man Plans é uma história de ódio e vingança, recalcados ao extremo, desenvolvida em capítulos curtos mas ricos em conteúdo - e ainda mais em violência desabrida e forte impacto visual - que nos vão aproximando do acto final e da explicação de tudo a que assistimos no livro – se tivermos a coragem (e algo mais…) para mantermos os olhos sempre abertos.
Nascido diferente, desprezado pela mãe, que cedo (o) abandonou (e) a família, demasiado desafiado e iludido pelo pai, de quem ficou órfão demasiado cedo – e com um imenso sentimento de culpa… -, desprotegido pelo sistema, crédulo no amor até ao desgosto que o empurrou para a Guerra do Vietname, onde viveu – e provocou – horrores inimagináveis, o protagonista acumulou sucessivos ódios e recalcou demasiados sentimentos, a que só conseguiu dar vazão através da explosão recorrente de uma violência incontrolável e incontida.

 

É uma história tresloucada, que deve ter dado tanto gozo a criar quanto dará a ler – se o asco e o vómito não nos afastarem dela – servida por um desenho à medida, que muitas vezes o expande e sublinha em páginas duplas, num registo caricatural grotesco, acentuado pela paleta sombria adoptada, sem falsos pudores e nas antípodas de todos os códigos defensores do politicamente correcto.
E na qual acabaremos por descobrir nas páginas finais, que gatilho fez o protagonista fechar o círculo e voltar à sua cidade natal – micro-retrato de uma América racista, xenófoba  e intolerante - para um último (?) ajuste de contas, alargado e implacável.
Protagonista que, ao contrário do que se possa inferir do título - quase me esquecia de o referir… - não passa de um minúsculo e enfezado (desculpem a redundância) anão…

Big Man Plans
Eric Powell (argument e desenho)
Tim Wiesch (argumento)
Evolution Comics
Espanha, Setembro de 2016
185 x 280 mm, 120 p., cor, capa dura
16 €

(clicar nas imagens para as aproveitar em toda a sua extensão)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...