Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

07/07/2016

Didier Savard (1950-2016)










Argumentista e desenhador de BD, criador do detective Dick Hérisso, Didier Savard faleceu dia 4 de Julho,  contava 65 anos.

Nascido a 13 de Dezembro de 1950, em Saint-Germain-en-Laye, França, começou profissionalmente como professor de inglês, profissão que exerceu a partir de 1972 e durante uma década.
Ao mesmo tempo encetou uma carreira de desenhador de imprensa na revista “Survivre et vivre” e no jornal “Libération”. Neste último assinou a sua primeira banda desenhada, “Le fabuleux destin d'Augusto Pinochet”, inspirada pelo golpe de estado no Chile, em 1973.
Em 1982, após diversas mudanças e colaborações com diversos títulos, conhece Nikita Mandryka, chefe de redacção da revista “Charlie Mensuel”, onde publicaria “A Sombra do Toureiro”, primeiro dos 11 inquéritos conhecidos do detective Dick Hérisson e única obra sua publicada em Portugal, pela Meribérica/Líber, em 1989.
Admirador de autores policiais como Harry Dickson e Jean Ray e de desenhadores como
Jacobs, Tardi ou Floc'h e Rivière, Savard transpôs as suas influências para Dick Hérisson, um detective de cachimbo e gabardine, algo distante e nem sempre decisivo, sempre acompanhado pelo jornalista Jérôme Doutendieu, do Petit Provençal. Várias vezes premiadas, as histórias, sempre com um toque de fantástico, são ambientadas na Provence e na Bretanha dos anos 1930 e têm por base uma linha clara cuja legibilidade foi crescendo ao longo dos anos. Nas suas páginas é frequente encontrar pequenas homenagens e piscares de olho aos seus autores e séries preferidas.
Da sua bibliografia constam igualmente três álbuns com as aventuras de Léonid Beaudragon, escritos por Jean-Claude Forest, o primeiro dos quais lhes rendeu um troféu no Festival de Angoulême, em 1987,  “Le secret du coffre rouge”, um folhetim radiofónico em 100 episódios, co-escrito com Sophie Loubière, e “Les Aventures Parodiques de Tintin - Objectif Monde”, uma das raras aventuras autorizadas de Tintin, após a morte de Hergé, publicada a 28 de Janeiro de 1999, no jornal “Le Monde”, para assinalar os 70 anos da estreia do repórter imaginado por Hergé, num caderno à parte para dobrar e montar – e posteriormente publicado por diversas vezes, em álbum colorido, em edições piratas de diversas proveniências. A versão original, pode ser lida aqui. Paródia assumida e bem conseguida, tem muito do espírito original da série e aproveita diversos momentos, cenas e personagens originais, para contar uma aventura que tem por centro a redacção do jornal, fazendo assim do ‘seu Tintin’ – um russo de nome Wzkxy, com um animal imaginário chamado… Milou – um verdadeiro repórter.

  

O último álbum assinado por Didier Savard, “Dick Hérisson - L’Araignée pourpre” foi publicado em 2004, mas os problemas de saúde entretanto surgidos não lhe permitiram concluir a sua continuação.

(versão revista do texto publicado no Jornal de Notícias de 7 de Julho de 2016; clicar nas imagens para as aproveitar em toda a sua extensão)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...