Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

28/06/2016

Le corps à l’ombre








Este álbum apresenta uma invulgar diversidade de géneros, assumindo a um tempo um tom intimista, iniciático, policial e humorístico e que funciona bem enquanto relato de síntese.

Foi há quase três décadas que L’Association surgiu e com ela os desenhadores rápidos, capazes de completar três, quatro ou mais álbuns por ano, com Trondheim e Sfar à cabeça, numa ânsia irresistível de exporem aos leitores as histórias que germinavam a grande velocidade nos seus cérebros.
David de Thuin, graficamente, pode ser considerado discípulo de Trondheim e não é possível – para quem conhece – olhar pare este Le Corps à L’Ombre sem evocar o Lapinot daquele.
O traço é rápido, nervoso, sem o mínimo detalhe desnecessário, com as personagens a evoluírem em cenários igualmente simples, num conjunto pintado com cores maioritariamente planas. A utilização de seres antropomórficos facilita a sua identificação - permitindo desenhar mais depressa - sem que haja perda de dinamismo ou expressividade ou quebra no ritmo de leitura.
A história de Le Corps à L’Ombre começa na época do regresso à escola, quando conhecemos Drazig, um adolescente/jovem na transição para a idade adulta que acaba de perder a mãe. Amorfo, deprimido, perdido na sua nova condição, acaba por ser apanhado no turbilhão da investigação das mortes de três raparigas levadas a cabo por um serial-killer em menos de dois meses, na pequena localidade em que vive.
O apoio dos amigos, o interesse da filha do comissário encarregado da investigação, as conversas com um polícia reformado que acompanhou um caso com muitas semelhanças que ocorreu anos atrás e uma série de acontecimentos que o apontam como potencial culpado, vão conduzindo o relato, num clima depressivo e de mistério, cuja tensão e suspense De Thuin quebra com diversos apontamentos humorísticos negros ou completamente inesperados, quando salienta as características animais do sapo Drazig ou dos seus amigos, sejam eles coelhos, aves ou ratos.
E, quando tudo já parecia terminado e o leitor entrava em fase de descontracção após uma agradável leitura, surge a surpresa maior, que introduz (mais) uma nota distintiva numa história original e conseguida.


Le corps à l’ombre
Colecção 1000 Feuilles
David De Thuin
França, Abril de 2016
240 x 320 mm, 64 p., cor, capa dura
EAN/ISBN : 9782344015049
15,50 €

(imagens recolhidas no site da editora; clicar sobre elas para as apreciar em toda a sua extensão)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...