Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

15/04/2016

Le Triangle Secret





E se Jesus Cristo tivesse um irmão gémeo que tivesse morrido crucificado na cruz em seu lugar, possibilitando assim a sua ‘ressurreição que esteve na origem do cristianismo?
Esta ideia – absurda? - é o ponto de partida de Le Triangle Secret, mas o argumentista Didier Convard conseguiu torná-la convincente e credível pela forma como desenvolveu este thriller de tom conspirativo-religioso, hoje em dia tão na moda.

Convincente tanto na situação em si quanto nas consequências que dela adviriam, especialmente para o poder secular que a poderosa Igreja Católica há séculos mantém, graças ao facto de ter conseguido manter esta ‘verdade’ em segredo ao longo dos séculos, através de perseguições e mortes incontáveis.
A história acompanha uma equipa encarregada de traduzir um fragmento dos famosos Manuscritos do Mar Morto, textos datados do início da era cristã e descobertos em Qumrân, em 1947, um dos quais seria um quinto testamento divergente dos quatro conhecidos, que contaria a história do tal irmão gémeo de Cristo e desvendaria a verdade.
Entretanto, um dos membros dessa equipa aparece morto e uma teia cada vez mais complexa, tecida na sombra por organizações tão poderosas como o Vaticano e a Maçonaria – e a sua famosa ‘primeira loja’ que teria sido fundada pelo próprio Jesus – começa a formar-se em torno de Didier Moséle, que chefia a tradução e a pesquisa, levando a que o leitor rapidamente – tal como o protagonista - deixe de saber se age por iniciativa própria ou se é habilmente manipulado.
A história de Convard está bem escrita, é narrada de forma cativante pelas muitas interrogações que suscita e possui uma sólida base histórica que lhe concede credibilidade e (alguma) verosimilhança.
A narrativa principal desenrola-se em dois planos: a pesquisa propriamente dita, apoiada por um maçon, e o seu acompanhamento, na sombra, por uma figura – sinistra? - no Vaticano, a braços igualmente com a corrida para a substituição do (moribundo) Papa. A acção é complementada com episódios passados ao longo dos séculos, desde o momento da crucificação, às cruzadas ou à Inquisição, nos quais vamos acompanhando a procura do manuscrito e do túmulo do verdadeiro Jesus Cristo, que seria a prova irrefutável de como tudo ‘realmente’ aconteceu, e as tentativas para manter tudo secreto ou para desvendar a verdade em todo o seu esplendor.

Desenvolvida em sete volumes – entretanto reunidos numa edição integral - esta obra teve uma realização gráfica mais próxima do modelo norte-americano de produção de comics do que do europeu tradicional, para garantir a publicação integral das suas cerca de 350 pranchas no período de apenas 3 anos (2000-2003). Para isso, Convard coordenou o trabalho de uma equipa diversificada, na qual cada desenhador esteve encarregado de um período diferente: Christain Gine desenhou a época de Cristo, Pierre Wachs a acção no Vaticano e Denis Falque as pesquisas de Modéle. A estes três, participantes nos sete álbuns, juntaram-se, pontualmente, alguns convidados: Giles Chaillet, autor de Vasco (para desenhar a época das Cruzadas), Eric Stalner (Cátaros), Jean-Charles Krahen (Templários) e André Juillard (Torquemada, bem como todas as capas). Paul encarregou-se da totalidade da cor, para dar uniformidade ao projecto.

Nota 1 - O texto, actualizado e aumentado, baseia-se no que escrevi no Jornal de Notícias de 2 de Maio de 2000, a propósito do lançamento da série em França.
Nota 2 - Li Le Triangle Secret nos 7 álbuns originais, cujas capas reproduzo a seguir.

Le Triangle Secret - Integral
Didier Convard (argumento)
Christain Gine, Pierre Wachs, Denis Falque, Giles Chaillet, Eric Stalner, Jean-Charles Krahen e André Juillard (desenho)
Paul (cor)
Glénat, França, 2014
175 x 248 mm, 352 p., cor, cartonado
EAN/ISBN : 9782344005255
49.00

  

  

3 comentários:

  1. Interessante. Uma boa mini-série para a ASA-Público :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Demasiado 'mini'! Segundo os entendidos, estas colecções só justificam o investimento acima dos 10 volumes.
      (mas claro que podia ser complementada com uma das séries derivadas.
      Boas leituras!

      Eliminar
  2. Pois de facto, só as séries da linha principal já cocluídas dão 8+4+5 = 17.
    Para quem quiser conhecer todas as continuações e derivadas:
    http://www.bdtheque.com/search.php?cboThemes=725&chkDetails=on&hidetop=1

    Agradeço ao Pedro esta artigo porque estranhamente não conhecia estas séries, já em grande número e já iniciadas em 2000 e ainda em continuação atualmente.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...