Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

16/03/2016

Southern Bastards vol.1: Aqui jaz um homem









Este é um relato forte, descomplexado e até chocante sobre histórias antigas, ódios ilógicos e muita violência.

Uma violência visceral, crua, explícita e que condimenta praticamente todas as páginas do livro.
É uma história sobre ódios antigos mantidos em lume brando e despertados, recordados, revividos, reatados com a chegada de Earl Tubbs ao condado de Craw, um lugar miserável e desprezível, de que nem sequer os habitantes gostam.
Earl partiu de lá há 40 anos, após o pai, então xerife, ser assassinado – massacrado, espancado… - na própria casa por um grupo de habitantes, para júbilo de todos, Earl incluído.
O regresso, previsivelmente curto de no máximo 72 horas, é apenas para esvaziar a casa do pai, após o tio que lá morava ter ido para um lar, como vamos sabendo das sucessivas mensagens que deixa no telemóvel de alguém, que (aparentemente) o tornam menos solitário e mais humano...
Um reencontro – fortuito mas inevitável - e a participação numa subsequente altercação são os rastilhos que vão incendiar o condado, fazendo-o reviver o passado e reabrindo velhas (mas nalguns casos desconhecidas?) feridas. Que, de forma anónima - e surpreendente

História sobre o pior do ser humano, sobre o Sul – onde os dois autores nasceram - sobre os bastardos que lá moram, sobre a imbecilidade, o perigo das multidões e a facilidade como o preço certo, mesmo que miserável, cala consciências e responsabilidades, Southern Bastards oculta este seu tom ‘moral e socialmente crítico’ – que acredito está longe do propósito dos autors - sob uma grossa camada de violência incontida – física, sim, mas também (e de que maneira) psicológica.
História narrada com traço duro e agreste, extremamente expressivo e realista, em especial quando a ideia é chocar, e uma excelente planificação, que oscila entre o quase minimalista e a prancha de dupla página para ritmar a leitura, marcar os momentos fulcrais e meter-nos pelos olhos dentro o que de mais provocador existe em Southern Bastards – como desde logo revela a (escatológica) dupla página inicial.
E esta até já seria uma grande história, se ficasse limitada às cerca de 100 pranchas deste volume. Mas a grande notícia é que Southern Bastards tem continuação – já 13 comics no original de que conhecemos apenas os quatro primeiros - o que é, de certeza – mesmo que de momento não vejamos como - garantia de mais sacanas, porrada à descrição e da continuação de um relato forte, descomplexado e até chocante.

Southern Bastards
Vol. 1 Aqui jaz um homem
Jason Aaron (argumento)
Jason Latour (desenho)
G. Floy
Portugal, Março de 2016
128 páginas, cor, capa dura
ISBN 978-84-16510-06-1
PVP: 9,99€

3 comentários:

  1. Boa review, e grande aposta da G. Floy. Que continuem assim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande aposta, sem dúvida... e obrigado, Amganeva!
      Boas leituras!

      Eliminar
  2. Nao sei se compro,mas ja esta nas bancas

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...