Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

10/03/2016

Aquaman: Abismo








Conheço Aquaman há anos, é verdade – nomeadamente de desenhos animados e de histórias da Liga da Justiça -  mas esta foi a primeira história que li protagonizada por ele.

A sua revista, cujos seis primeiros números estão aqui compilados, iniciada por este arco escrito por Geoff Johns e desenhado por uma equipa brasileira (muito bem) encabeçada por Ivan Reis, revelou-se um dos mais interessantes títulos dos Novos 52 e fez deste livro um daqueles em que eu depositava maior curiosidade e interesse na actual colecção Super-Heróis DC.
Já conhecia o trabalho de Reis de outras séries (por exemplo da (renovada) Origem Secreta do Lanterna Verde ou de Vingadores: Confiança Mundial, para citar apnas outras edições da Levoir) e por isso o seu belo traço realista e dinâmico, o seu forte sentido narrativo e a sua planificação diversificada não foram surpresa para mim, apenas a confirmação (renovada) do seu muito talento.
Quanto ao encontro com Aquaman, não podia ter sido mais impactante: logo na terceira página da história, a sua aparição à frente dos assaltantes em fuga mostra a sua majestade, força e determinação e é essa a postura que quase sempre mantém e que marca a diferença em relação a (muitos) outros super-heróis.
A história, apesar de construída de acordo com os padrões actuais, faz lembrar os contos dos primeiros tempos dos super-heróis: linear, directa, relativamente simples, sem exigência de conhecimento prévio – embora a pré-leitura da introdução de Filipe Faria seja uma ajuda – em resumo, a aventura pela aventura, mas muito bem estruturada, com suspense, algumas surpresas e, por isso, capaz prender o leitor (comic book a comic book).

 

A nota distintiva – que actualiza e acrescenta conteúdo – vem do facto de Aquaman estar a viver com Mera longe da Atlântida e do trono a que renunciou, no antigo farol do seu pai, tentando ajudar os habitantes da superfície e, principalmente, tentando integrar-se apesar da atitude desconfiada e trocista (xenófoba…) dos humanos. Essa (falsa) tranquilidade vai ser alterada com o ataque de uns estranhos seres marinhos, famintos e descontrolados, a um barco onde um grupo de amigos pescava e que confere ao relato um tom de quase terror. A intervenção de Aquaman ajudará a esclarecer alguns pontos, embora outras questões sejam levantadas…
Com avanços e recuos temporais – para enquadrar a relação de Aquaman e Mera – que conferem maior consistência à história, Abismo revelou-se, no entanto, um pouco menos do que eu estava à espera, possivelmente, tendo em conta a (muito) boa fama de que vinha precedida… ou talvez eu aguardasse um registo algo diferente.
Sendo, apesar destas últimas palavras, uma edição sem dúvida aconselhável, fica sempre o sabor algo desencantando pelo final demasiado aberto – o ideal teria sido este volume ficar-se pelos quatro capítulos iniciais (demasiado curtos para a colecção…) -  a pedir uma continuação urgente…

  

Aquaman: O Abismo
Geoff Johns (argumento)
Ivan Reis e Joe Prado (desenho)
Levoir/Público
10 de Março de 2016
175 x 265 mm, 144 p., cor, capa dura
9,90 €

10 comentários:

  1. Talvez ainda este ano se avance com uma segunda edição da coleccção DC e aí se publique mais qualquer coisa. É o grande problema da Levoir, abre o apetite e depois diz-nos que não podemos repetir o prato. Na colecção da Marvel foi o Thor (mas houve muitos mais) e agora o Aquaman. E pergunto eu, tanto Batman (4 livros) é necessário numa colecção dedicada ao UNIVERSO DC?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade que por vezes as histórias ficam como que 'a meio', mas de uma forma geral temos lido arcos que se podem considerar completos.
      No caso concreto deste Aquaman, essa situação é mais nítida. Não sei se a publicação de dois volumes e não apenas de um a resolveria, mas possivelmente isso não faria muito sentido numa colecção deste tipo...
      Esperemos que seja possível ler a continuação numa futura colecção DC - que pessoalmente duvido que tenha lugar ainda em 2016.

      Boas leituras... completas! ;)

      Eliminar
    2. Relativamente à questão dos quatro livros do Batman, até posso concordar contigo, se bem que na verdade sejam só 'três e meio', porque um é partilhado com o Superman. ;)
      Um pouco mais a sério, acompanhei parte do processo de composição da colecção e é certo que chegar ao lote final de 15 livros é um processo muito moroso e por vezes complicado que ultrapassa a vontade de quem edita e coordena a colecção e passa, entre outros aspectos, pelo material disponível para ser trabalhado informaticamente e pelos títulos que a DC disponibiliza ou não...
      Boas leituras!

      Eliminar
  2. Só a ler isto hoje é que me apercebi que contam com a capa e com a contracapa para dizerem as páginas. Puxam bem a corda para parecer maior. Só isto.

    ResponderEliminar
  3. Penso que foi erro no press da Levoir, o livro tem apenas 144 páginas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, foi erro da Levoir, que entretanto o corrigiu e por isso também fiz a correcção acima.
      Boas leituras!

      Eliminar
  4. Na realidade Aquaman já saiu em Português,no mix de Superboy pela Abril/cj por Pad na fase em perdeu uma mão,e colocou um gancho no Lugar e um Dc especial muito antigo.

    http://www.theouthousers.com/images/stories4/features/TopList/TopRuns/aquaman-pad.jpg

    http://4.bp.blogspot.com/-bwd8NugEPjc/VViHaFAACmI/AAAAAAAAUBQ/QACA8vSqXSI/s1600/d6r8oDR.jpg

    esse esta na pilha a espera

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Optimus,
      Quando escrevi que "esta foi a primeira história que li protagonizada" pelo Aquaman, não estava a dizer que nunca tinha saído em português, apenas que eu nunca tinha lido nada dele...
      Boas leituras!

      Eliminar

  5. Já li e esta muito bom,mas o fim em aberto!!??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois... mais aberto era difícil!
      Boas leituras... fechadas!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...