Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

12/02/2016

Tarzan: Las Brumas de Opar

Planchas Dominicales 2


A leitura do Tarzan de Manning, hoje em dia, revela a mesma capacidade de encantar, surpreender e entusiasmar de quando foi publicado pela primeira vez. Mas é isso que se espera de um clássico.

Um herói assumido, a viver num mundo exótico (a selva africana), que serve de porta de entrada em lugares ainda mais misteriosos e extraordinários, uma sólida galeria de coadjuvantes, belas e sensuais mulheres, homens musculosos, seres semi-selvagens e bestiais, animais ferozes e o toque fantástico de mundos perdidos, no espaço e no tempo, são os principais ingredientes, a par de um traço atraente, realista, legível, anatomicamente excelente e incrivelmente dinâmico. O equilíbrio entre o relato de aventura pura, as cenas familiares e os apontamentos da vida quotidiana na selva, são outros factores a ter em conta.
Apesar de tudo isto, acredito que para uma completa fruição destas aventuras do senhor da selva, é necessário tê-las lido na adolescência para poder juntar à experiência de leitura que Manning nos proporciona, a memória – ou nova vivência? - do entusiasmo juvenil que então experimentamos, da adrenalina a correr livremente em nós ao lado de Tarzan e Korak, lutando pela vida frente aos animais selvagens ou aos brancos interesseiros ou para restabelecer precários equilíbrios, como ele apaixonado por Jane, mas também por La, a sumo-sacerdotisa de Opar, e por muitas outras belas mulheres com que Manning (n)os presenteou…
Por que, só assim, reencontraremos as frases que decorámos, as cenas que vivenciámos uma e outra vez, os sustos que apanhámos, os perigos que (também) enfrentámos, os vilões que (também) derrotámos e que nos virão surpreender, saídos do recôndito das nossas memórias, de recantos que não sabíamos sequer que existiam. E que fazem de nós, pelo tempo de uma nova leitura, de novo adolescentes a fremir de emoção, até voltarmos a última página.
Para, uma vez saídos do encantamento, lamentarmos que o belo trabalho de restauração/edição levado a cabo por Manuel Caldas – em paralelo nesta e noutras séries – não seja compatível com edições mensais – pelo menos…

Tarzan - Planchas Dominicales
#2: Las Brumas de Opar
Russ Manning
Libri Impressi
Espanha, Janeiro de 2015
230 x 315 mm, 64 p., pb, brochada
18,50 €

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...