Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

05/02/2016

Polar – Venu do Froid


 Black Kaiser é uma antigo assassino a soldo – o melhor de todos – que vive retirado e em paz. Quando alguém aparece para o matar, é obrigado a voltar à sua antiga vida para descobrir quem deu a ordem.
Um relato quase mudo, puramente gráfico, do espanhol Victor Santos.

Natural de Valência, Espanha, depois de várias colaborações – e entre elas está Filthy Reach, escrito por Brian Azzarello – Santos surge aqui como autor completo e na verdade não se sai mal, pois embora Polar não seja mais do que uma narrativa relativamente linear de violência e acção, a sua componente gráfica tem um papel narrativo fundamental. (Sei que pode soar estranho numa análise a uma BD, mas passo a explicar.)
Na verdade, num relato em que os parcos textos servem quase exclusivamente para nomear os intervenientes e situar o contexto, os muitos silêncios são preenchidos pelo ‘som’ das acções mostradas. O formato italiano adoptado beneficia o tipo de planificação assumida, muito dinâmica e cinematográfica, muitas vezes com as páginas (falsamente) ocupadas por uma única imagem, pois em boa parte delas a acção é desmontada em pequenas vinhetas acessórias que acalmam e pautam o ritmo acelerado que prevalece e orientam a leitura.
O seu traço, mais do que isso, o registo gráfico escolhido, mostra as influências de Frank Miller ou Mike Mignola mas é algures numa súmula de ambos, entre a simplicidade do segundo e a dureza do primeiro, entre a limpeza de Mignola e o uso de contrastes branco/negro – e aqui também vermelho – de Miller, que ele se tenta firmar.
Escrevi tenta porque, a espaços, o desenho que aqui e ali atinge laivos de realismo, foge demasiado para um registo próximo do caricatural, chocando com o tom negro assumido e com o que predomina no todo e contrastando com a violência que impera em grande parte da narrativa.
Isso não invalida a sua boa utilização como veículo narrativo e a existência de belíssimas sequências, quer do ponto de vista plástico, quer do ponto de vista descritivo, como toda a emboscada inicial ou a sequência de combate aquando da fuga da prisão.

 

Polar – Venu do Froid
Victor Santos
Glénat
França, 13 de Janeiro de 2016
232 x 170 mm, 176 páginas, pb e vermelho, cartonado
15,95 €

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...