Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

10/11/2015

Edições Panini Books à venda em Portugal






Como alguns se terão apercebido e até já foi por aqui comentado, nos últimos meses têm aparecido à venda nas livrarias portuguesas edições de super-heróis, em livro, lançadas no Brasil pela Panini Comics.
Contactada por As Leituras do Pedro, a Panini espanhola, responsável por esta iniciativa, confirmou a presença desses livros para “manter a presença de produtos seleccionados, procedentes do Brasil”, uma vez que deixou de produzir livros directamente para o mercado português.
A previsão é que, mensalmente sejam distribuídos “um par de títulos”, que As Leituras do Pedro irão divulgando.
Boa parte deles teve edição recente pela Levoir, o que torna algo incompreensível os critérios que presidiram à sua selecção.
De qualquer forma, como a sua visibilidade é relativa e, mais uma vez, estas edições chegaram sem qualquer tipo de publicidade ou divulgação, já de seguida fica a informação sobre os títulos distribuídos até agora.

Junho
Vingadores: Era de Ultron
Brian Michael Bendis, Bryan Hitch
Ultron venceu! A humanidade foi massacrada. As principais cidades do mundo foram reduzidas a escombros e são policiadas por exércitos robóticos. Os maiores heróis do planeta estão mortos, foragidos ou sendo usados como moeda de troca pelos supervilões comuns, que os enviam directamente para a fortaleza dos robôs. Conheça o momento mais sombrio pelo qual o Universo Marvel já passou: A Era de Ultron!
Panini Books, 17,7 x 26,8 cm, 284 p., cartonado, EAN: 978-8583680598, 19,95 €

Batman: O Cavaleiro das Trevas (edição definitiva)
Frank Miller
A morte violenta de seus pais levou Batman a combater o crime em todas as suas formas durante muitos anos. Porém, ninguém ouviu falar dele em Gotham City na última década.
Inclui: «Batman: O Cavaleiro das Trevas» - Frank Miller mostra ao mundo sua visão de Gotham City dez anos depois da aposentadoria de Batman. Mas o crime não cessou na cidade e o Morcego, mesmo com mais de 50 anos, decide voltar à activa; «Batman: O Cavaleiro das Trevas Vol 2» - Três anos depois da morte aparente do Batman, em "Cavaleiro das Trevas", os Estados Unidos são governados pelo presidente Rickard, que não passa de um fantoche digital de Lex Luthor. Por isso, o país vive num regime praticamente fascista.
Panini Books, 19 x 28 cm, 516 p., cartonado, EAN: 978-8573513769, 29,95 €

Julho
X-Men: Deus ama, o homem mata
Christopher Claremont, Brent Eric Anderson
O Prof. Charles Xavier e seus pupilos, Ciclope, Tempestade, Wolverine, Noturno, Kitty Pryde e Colossus, os X-Men, entram na mira do fanático pastor William Stryker, um influente religioso que considera os mutantes uma cria diabólica e uma afronta contra Deus e Sua Criação. Seja com suas palavras, seja com sua milícia assassina de mutantes, os Purificadores, Stryker quer guerra e até Magneto se unirá aos X-Men nesse confronto feroz combatido não só com punhos.
Panini Books, 21 x 28 cm, 104 p., cartonado, EAN: 978-8583680697, 9,95 €

Watchmen (Edição definitiva)
Alan Moore, dave Gibbons
A Terra encontra-se na tensão máxima da Guerra Fria e próxima de um holocausto nuclear. Nesse cenário, super-heróis são declarados fora da lei. Os que permanecem em actividade são directamente controlados pelo governo dos Estados Unidos. No entanto, o surgimento de um inimigo invisível que planeja matá-los um a um leva os heróis aposentados e aqueles ainda em acção a unirem-se para sobreviver.
Panini Books, 19,3 x 28,2 cm, 460 p., cartonado, EAN: 978-8573515497, 34,95 €

Agosto
Doutor Estranho e Doutor Destino: Triunfo e Tormento
Roger Stern, Michael Mignola, Mark Badger
No sulfuroso e sombrio reino do demoníaco Mefisto, a alma atormentada de uma mulher clama por sua doce libertação. Somente um homem possui a vontade e a coragem para resgatá-la das hordas do Hades. Esse homem é seu abjeto filho, o infame déspota da Latvéria conhecido pelo tremelicante mundo como… Doutor Destino! Ainda assim, mesmo no interior do mais negro dos corações, o anseio de reunir-se a ente tão querido é irresistível. Assim, com o auxílio místico do mestre em magia da Terra, o doutor Stephen Strange, von Doom embarca numa traiçoeira jornada aos domínios do mal absoluto.
Panini Books, 21 x 28 cm, 82 p., cartonado, EAN: 978-8565484510, 8,95 €

Sandman: Noites sem fim
Neil Gaiman, P. Craig Russell, Milo Manara, Bill Sienkiewicz, Miguelanxo Prado, Barron Storey, Glenn Fabry e Frank Quitely
Antes de se tornar um autor best-seller do New York Times, Neil Gaiman revolucionou a indústria dos quadrinhos com SANDMAN. A mais aclamada e premiada obra em quadrinhos da última década é uma mescla rica de mitologia moderna e fantasia sombria, à qual ficção contemporânea, drama histórico e lendas são perfeitamente intrincados. A série criou novos padrões para os quadrinhos e seus dez volumes são vistos como um dos marcos do meio. Sandman. Noites sem Fim é um deleite tanto para os fãs de Neil Gaiman quanto para novos leitores. Seja assombrado, agridoce, erótico ou digno de pesadelos, os sete contos desta edição - um para cada um dos Perpétuos - revelam estranhos segredos e surpreendentes verdades. Cada história é ilustrada por um grande autor: P. Craig Russell,  Milo Manara, Bill Sienkiewicz, Miguelanxo Prado, Barron Storey, Glenn Fabry e Frank Quitely formam essa selecção de artistas! Neil Gaiman sempre prometeu que voltaria ao mundo de Sandman, e, agora, ao lado de grandes artistas internacionais, ele finalmente retorna aos personagens que fizeram sua fama para nos brindar com novos sonhos ou pesadelos.
Panini Books, 19 x 28 cm, 160 p., cartonado, EAN: 978-8583680703, 12,00 €

Setembro
Justiceiro Max: Rei do Crime #1
Jason Aaron, Steve Dillon
Os chefes das maiores famílias criminosas se uniram para acabar com o Justiceiro para sempre. Eles montaram uma armadilha para Frank usando um subordinado qualquer chamado Wilson Fisk para interpretar “O Rei do Crime”, uma figura imaginária que, sabem eles, chamará a atenção de Frank Castle. Com a emboscada armada, cabe aos seus arquitectos simplesmente aguardarem o Justiceiro morder a isca. No entanto, os chefões do crime não são os únicos que têm um plano. Parece que Wilson Fisk está cansado de brincar. Ele está mesmo gostando da ideia de ser o Rei — tanto que deseja matar seus patrões para continuar nesta posição.
Panini Books, 17,6 x 26,6 cm, 122 p., cartonado, EAN: 978-8565484671, 10,00 €

Batman: O Retorno de Bruce Wayne
Grant Morrison, Andy Kubert
Após encarar e derrotar o mal absoluto, salvando tudo que conhecemos como realidade, Batman pereceu. Mas seu destino não foi o Céu nem o Inferno. Em vez disso, o Homem-Morcego foi condenado a uma prisão feita do incomensurável peso das eras! Jogado milhares de anos no passado, o homem que um dia foi chamado de Cavaleiro das Trevas acorda em uma caverna estranhamente familiar, sem saber sua identidade e cercado de inimigos selvagens. A partir daí, ele embarca numa extraordinária jornada através da história, lutando contra o mal era após era, enquanto lentamente reúne os fragmentos de quem já foi um dia. Mas a escuridão que Batman derrotou não se extinguiu totalmente e, à medida que Bruce Wayne abre caminho pelos séculos na procura do seu lar, a vingança irrefreável de Darkseid aproxima-se mais e mais - e do seu ataque final não há escapatória! O premiado roteirista Grant Morrison junta-se a alguns dos mais talentosos artistas da indústria para contar a histórias de um dos retornos mais épicos já narrados em celulose!
Panini Books, 17,6 x 26,6 cm, 216 p., cartonado, EAN: 978-8583680024, 17,95 €

Outubro
Surfista Prateado: Parábola
Stan Lee, Moebius
Galactus converteu a humanidade em seus seguidores e a está conduzindo para a destruição E o único oponente do Devorador de Mundos é o heróis que ele mesmo aprisionou na Terra: o Surfista Prateado. Galactus jurou não consumir o planeta, mas e se, em vez disso, ele transformar a civilização em seus adoradores?
Aos terráqueos o semideus prometeu um futuro melhor, mas nenhuma outra pessoa conhece tão bem os verdadeiros propósitos dele do que o Surfista Prateado, seu antigo arauto. Aos possíveis discípulos do Devorador, resta tão somente assistir ao colossal confronto das duas divindades intergalácticas!
Panini Books, 19 x 28 cm, 92 p., cartonado, EAN: 978-8565484770

Neil Gaiman: Dias da meia-noite
Neil Gaiman, Teddy Kristiansen, Dave McKean, Mike Mignola, Steve Bissette, John Totleben, Richard Piers Rayner, Sergio Aragonés…
As seis histórias clássicas reunidas neste encadernado – publicado na íntegra pela primeira vez – apresentam os primeiros trabalhos do genial Neil Gaiman para a DC Comics. Abrangendo o humor e passando pelo sombrio e arrepiante, os contos aqui impressos demonstram a vastidão do talento que se tornou a marca desse renomado autor que viria a ser mundialmente conhecido como o criador de Sandman. Além desse momento histórico, esta edição reúne obras de alguns dos mais habilidosos artistas das HQs, como Teddy Kristiansen, Dave McKean, Mike Mignola, Steve Bissette, John Totleben, Richard Piers Rayner, Sergio Aragonés, entre outros.
Inclui: Jack in the Green (original); Irmãos (Swamp Thing Annual 5); Contos de Deuses Peludos (Swamp Thing Annual 5); Abraço (Hellblazer 27); O Teatro da Meia-Noite de Sandman (Sandman Midnight Theatre); Bem-vindo de Volta à Casa dos Mistérios (Welcome Back to the House of Mystery 1)
Panini Books, 17 x 26 cm, 176 p., cartonado, EAN: 978- 8565484725

Novembro
Batman: Lendas do Cavaleiro das Trevas, vol.1
Mike W. Barr, Alan Davis
Esse volume apresenta a visão do consagrado artista inglês Alan Davis para a Dupla Dinâmica, mostrando o duo mais conhecido dos quadrinhos combatendo vilões clássicos como a Mulher-Gato, o Coringa e o Espantalho. Também nessa edição, o excepcional encontro do Homem-Morcego com Sherlock Holmes, o mais famoso detective da história! Escritas pelo veterano roteirista Mike W. Barr, esses contos vão levar os leitores a uma era clássica do mais famoso herói urbano da DC Comics.
Panini Books, 17 x 26 cm, 132 p., cartonado, EAN: 978-8583680369

Odisseia cósmica
Jim Starlin, Mike Mignola
Darkseid, o governante de Apokolips, é uma das forças mais poderosas de todo o universo. Mas quando surge uma ameaça que é grande demais até para seus poderes, ele precisa recrutar alguns dos maiores heróis do nosso planeta para formar uma linha de frente contra o inimigo mais mortal de todos!
Agora, o impensável vai acontecer! Superman, Batman, Lanterna Verde, Caçador de Marte e Estelar terão de lutar ao lado de Darkseid! Uma obra prima de Jim Starlin e Mike Mignola, agora em formato de luxo.
Panini Books, 17 x 26 cm, 204 p., cartonado, EAN: 978-8583681069

39 comentários:

  1. Respostas
    1. Lojas físicas ou online da Fnac, Bertrand e Wook.

      Eliminar
    2. Obrigado, Reignfire!
      Boas leituras!

      Eliminar
  2. Comprei a edição de Watchmen, está excelente com bastantes extras. Quanto à obra propriamente dita, posso dizer que merece toda a fama que a precede, gostei mesmo! Mesmo sendo eu um leitor que não compra bd de super heróis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uns esqueci - me de assinar em cima.


      Luís Fernandes

      Eliminar
    2. Luís Fernandes,
      O Watchmen é uma daquelas obras intemporais, que atravessa gostos em termos de BD!
      Boas leituras!

      Eliminar
  3. Sendo pouco a propósito, ou talvez não, tenho também encontrado alguns Hellboy antigos da Devir nos quiosques, aparentemente em redistribuição e a preço reduzido (8,99e)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vem sempre a propósito, Ricardo!
      Sim, a Devir tem andado a distribuir Hellboy em quiosques, onde já vende alguns dos seus títulos de manga: Naruto, Death Note...
      Boas leituras!

      Eliminar
  4. Quais os preços??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os preços estão lá referidos. Só os livros que ainda não saíram, ou seja de outubro pra baixo, é que ainda não têm preços.

      Eliminar
    2. Exacto, Reignfire!
      Boas leituras!

      Eliminar
  5. TechnoSpike10/11/15 23:02

    Bolas, saber que o X-Men: Deus ama, o homem mata, foi lançado já em Agosto deixa um travo amargo de boca... Ou já não está disponível, ou se estiver, estará certamente mal tratado de tantos meses de manuseio...
    Os dois volumes agora de Novembro são bastante interessantes. A arte do Mignola é sempre do meu agrado, e tenho curiosidade nostálgica do volume do Batman pois ainda tenho em formatinho da Abril Br algumas das revistas compiladas nesse volume.

    Já alguém comprou algum destes 3 volumes que referi? Em que língua vem isto editado?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não. Os meses indicados não são os corretos. Os livros de junho a agosto saíram nas livrarias em outubro. Os livros de setembro saíram na semana passada. De outubro prá frente ainda não saíu nada. O X-Men – Deus Ama, o Homem Mata e os outros ainda estão disponíveis nas fnacs, bertrands e wook. Se comprares os livros online, as lojas são obrigadas a enviar exemplares em bom/muito bom estado aos seus clientes, e se não enviarem nas condições desejadas, só tens é de reclamar, que eles logo logo, farão isso.

      A língua é português brasileiro.

      Eliminar
    2. Os meses foram indicados pela Panini espanhola. Supostamente são distribuídos dois livros por mês.
      Como se trata de livros de capa dura e não de revistas, não há grandes razões para estarem assim em tão mau estado...
      Boas leituras!

      Eliminar
  6. Dai não devo comprar material que saiu em coleçoes Levoir/Publico, Surfista Prateado: Parábola, Doutor Estranho e Doutor Destino: Triunfo e Tormento, Batman: O Cavaleiro das Trevas (edição definitiva) nem percebo o interesse delas,e qualquer coisa escrita pelo Gaiman e Mike W. Barr e Alan Davis.Odisseia Cósmica esta na Wishlist a decadas mas nada de tpb dc, :)

    ResponderEliminar
  7. Não pretendo adquirir nenhum destes livros
    1° porque estou a comprar os livros da salvat e não há dinheiro pra tudo
    2° muitos destes já foram publicados em português de Portugal pela levoir
    3° está em pt-br, a meu ver é uma tentativa da panini vender os restos e de não publicar livros em pt-pt pra comprar então prefiro comprar os títulos originais, se for pra ler em pt-br simplesmente sako da NET (apesar de preferir folhear um bom título)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "2° muitos destes já foram publicados em português de Portugal pela levoir" 3 casos e meio. Digo meio porque o do Cavaleiro das Trevas inclui o Dark Knight Strikes Again que é inédito cá em Portugal.

      "3° está em pt-br, a meu ver é uma tentativa da panini vender os restos" - Não me parece uma má política. Se têm excedentes, porque não hão-de vendê-los por cá? Venham vários destes "restos", visto que até vêem a melhores preços que as edições equivalentes americanas.

      "e de não publicar livros em pt-pt" A Panini não tem interesse em publicar em Portugal, como não tem em todos os outros países que não sejam Brasil, Espanha, Itália, Reino Unido, França e Alemanha, porque nós e os outros países europeus todos somos mercados minorcas do qual a bd tem um histórico pouco bem-sucedido. Se fossemos um grande mercado como os outros 6 países em que eles estão presentes, também publicariam por cá. Nós, Hungria e República Checa somos 3 casos de países em que a Panini decidiu fazer experiências que não funcionaram. No nosso caso não funcionou por culpa deles - zero divulgação, poucas tiragens o que se revê numa má distribuição - mas também por culpa dos portugueses que não se interessaram em comprar estas revistas e TPB's que ainda assim foram vistos à venda em locais priveligiados como em hipermercados, Fnacs, etc... Mas pelo menos em Portugal, no Luxemburgo, na Bélgica, na Áustria, a Suíça, provavelmente também na Irlanda, podem sentir-se satisfeitos porque vêem nos seus países a serem distribuídas edições Marvel e DC nas línguas dos mesmos países. Uma Holanda, países nórdicos e outros não têm o mesmo privilégio. Se tiverem uma coleção como a da Salvat ou uma G-Floy a lançar uns livros de vez em quando, já é muito bom.

      "pra comprar então prefiro comprar os títulos originais" Mas se os livros PT-BR forem de qualidade semelhante aos originais, que são mais baratos e são tão ou mais acessíveis que os originais, porque não fazê-lo? Só se for um caso de preconceito relativamente ao português brasileiro.

      "se for pra ler em pt-br simplesmente sako da NET (apesar de preferir folhear um bom título)" Não entendo qual é o teu critério. Se for em inglês compras, se for PT-BR, preferes sacar. Então, mas em inglês, também podes sacar, não?


      Eliminar
    2. ^Uma tradução é sempre uma tradução. Obviamente que, sendo ela por ela (em termos de preço, disponibilidade), mais vale ter a obra escrita na língua do autor original do que uma tradução. Se a tradução nem sequer respeita a ortografia e gramática que são a nossa língua deste lado do atlântico, mais diferença faz. Não esquecer que as diferenças gramaticais do português para o brasileiro são bem maiores do que os francês e o alemão nos casos do Luxemburgo, Bélgica, Áustria e Suíça ou que o inglês na Irlanda. A língua escrita é a mesma, falada pode haver diferença nos sotaques ou outros regionalismos mas não na própria construção frásica como sucede entre o português e o brasileiro.

      Eliminar
    3. Ainda bem que alguém me percebe, obrigado pela excelente explicação Ricardo....

      "Não me parece uma má política. Se têm excedentes, porque não hão-de vendê-los por cá? Venham vários destes "restos" " reignfire é por causa destes comentários que eles não se dão ao trabalho de traduzir, afinal de contas se o Zé Povinho se contenta com isso porque se haveriam eles de se dar ao trabalho?

      "porque nós e os outros países europeus todos somos mercados minorcas do qual a bd tem um histórico pouco bem-sucedido" conclusão somos minorias para vender em língua do pais, mas para vender de outros já da resultado... Se tal como tu dizes "podem sentir-se satisfeitos porque vêem nos seus países a serem distribuídas edições Marvel e DC nas línguas dos mesmos países." então eles poderiam contratar u gajo para editar as frases para a língua do pais, o ordenado de um empregado não deve ser assim tão alto que não justifique a tradução e se vais dizer que não é só esse ordenado, também há os custos de edição então deixa que te diga eles que reduzam as edições em brasileiro que já podem imprimir em português, visto que há tantas em excesso que até vendem nas fnac's do pais.... Isso de dizer que não há mercado é uma grande desculpa, se há mercado para vender restos também há para o resto.

      Pra isso, utilizando as palavras do Ricardo, mais vale ter a obra escrita na língua do autor original do que uma tradução.

      Eliminar
    4. Isso pra mim são "peaners" como dizia o outro. Cada leitor tem a sua panca. Se perguntarem: a Panini PT-BR traduz bem? - Sim. As publicações Panini PT-BR têm gíria? É muito pouca, visto que os leitores de Rio de Janeiro também criticaram a mesma. "Diferenças gramaticais do português para o brasileiro?" As normais - em vez de "sinónimo" tem "sinônimo". Eu falo por mim e leio as revistas Panini PT-BR e quase já nem noto diferença do PT-BR para o PT-PT.

      "A língua escrita é a mesma, falada pode haver diferença nos sotaques ou outros regionalismos mas não na própria construção frásica como sucede entre o português e o brasileiro."

      E depois? Qual é que é o problema? Não se percebe o que está a ler? Quem evoca estes motivos para não comprar uma bd, como também pelos vistos há cá em Portugal quem não compra uma bd PT-PT quando a mesma vem com o novo acordo ortográfico, a isso eu chamo preconceito.

      Pra mim a questão da língua é secundária. Eu tanto posso ler em inglês, PT-PT, PT-BR, espanhol, galego, mirandês. Desde que eu perceba o que estou a ler é o que importa. Dou sempre primazia ao facto de querer ler uma bd e de a encontrar no mercado do que estar a ser esquisito com meros detalhes.

      Eliminar
  8. "reignfire é por causa destes comentários que eles não se dão ao trabalho de traduzir, afinal de contas se o Zé Povinho se contenta com isso porque se haveriam eles de se dar ao trabalho?"

    É pelo povinho ser esquisito e não comprar bd, que eles não se dão ao trabalho.

    "então eles poderiam contratar u gajo para editar as frases para a língua do pais, o ordenado de um empregado não deve ser assim tão alto que não justifique a tradução e se vais dizer que não é só esse ordenado, também há os custos de edição então deixa que te diga eles que reduzam as edições em brasileiro que já podem imprimir em português, visto que há tantas em excesso que até vendem nas fnac's do pais.... "

    Porque raio haveria a Panini cortar num mercado de centenas de milhares de leitores em virtude dum mercado que se tiver 5 mil leitores, é muito?

    "Isso de dizer que não há mercado é uma grande desculpa,"

    Diz isso à Abril/Controljornal, à Devir e à BDMania. Se existisse um mercado consistente, estas editoras não teriam necessidade de cancelar os seus comics, certo?

    "se há mercado para vender restos também há para o resto."

    Mas é exatamente disso que se trata: são restos. A Panini Brasil envia pra cá apenas umas poucas centenas de exemplares de revistas prás bancas e livros prás livrarias. Essas centenas nem sequer chegam a constituir um mercado.

    "Pra isso, utilizando as palavras do Ricardo, mais vale ter a obra escrita na língua do autor original do que uma tradução."

    Eu percebo que haja pessoal que não compre traduções em virtude da edição original. Agora aqueles que dizem que compram em PT-PT, em inglês, mas que não compram edições PT-BR de qualidade, se isso não se chama de preconceito, então expliquem o que é.

    ResponderEliminar
  9. "Agora aqueles que dizem que compram em PT-PT, em inglês, mas que não compram edições PT-BR de qualidade, se isso não se chama de preconceito, então expliquem o que é. "

    É preferência XD

    Prefiro comprar na língua original ou na minha língua, nem que seja pelo simples facto de contribuir para trabalho feito em português.... Ou vais dizer que se tiveres edições idênticas uma em pt-br e a outra em pt-pt não compras em português? É preconceito? A meu ver nao, mas cada um diz o que acha... Isto é a minha opinião, não digo que estejas errado, simplesmente não concordo contigo reignfire

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Ou vais dizer que se tiveres edições idênticas uma em pt-br e a outra em pt-pt não compras em português?"

      Lá está. Havendo edições idênticas é óbvio que prefiro uma edição nacional. A não ser que as edições PT-PT sejam bem mais caras. Por exemplo no caso dos mangas da Devir, até prefiro comprar as edições em inglês que são mais baratas. Voltando a este caso, não havendo uma edição equivalente PT-PT, não vejo porque não comprar a edição PT-BR.

      Compreendo também que quando tem não se tem dinheiro pra tudo e têm de se fazer escolhas que se prefiro o material nacional ao invés do PT-BR.

      Entre comprar a edição original ou a PT-BR, pra mim escolho em função da relação qualidade x preço x acessibilidade. Dou um exemplo: posso ir à Bertrand que fica a 10 minutos de minha casa e compro o HC PT-BR do Punisher Max a 10€ ou compra na net e mando vir pelo correio o TPB original equivalente a 17€ (mais barato que se encontra à venda e com portes grátis). É óbvio que compraria o HC PT-BR, porque se fosse optar pelo TPB, sinto que estaria a deitar 7€ fora estupidamente e ainda por cima por uma edição de qualidade inferior.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    3. Reignfire, há e haverá sempre pessoas descontentes.
      Aproveitei os 20% de desconto nos livros na Fnac e comprei vários da Panini Books.
      O veredicto é de que as edições são fantásticas, o preço abaixo do que as nossas editoras podem vender.
      Prefiro ter estes livros editados no nosso país, em capa dura e bom preço, do que não ter nada.
      Só compro Bd estrangeira (na maioria franco-belga) para completar edições inacabadas no nosso País (O escorpião, Gypsi, Largo Wintch, etc..) ou edições que nunca serão editadas (Requiem Chevalier vampire, Ténébres)
      mesmo assim prefiro ler na minha língua materna ou brasileiro, do que o Inglês ou Francês.
      Quem não quiser que não compre, só sai a perder :)

      Eliminar
  10. Já comprei sandman, watchmen e batman e só posso dizer que a qualidade do papel e da encadernação são espetaculares, em relação a ser pt-br nem se nota a diferença. Que venham mais!!!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Qual batman??

      Eliminar
    2. O Retorno de Bruce Wayne de Grant Morrison.

      Eliminar
  11. Se poderes disser se vale a pena pois esses está na minha lista com batman o cavaleiro das trevas e o futuro odisseia cósmica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para mim é muito bom. Bom argumento e bom desenho !

      Eliminar
  12. Estes puristas são engraçados. Ai que eu sou inteligente e sei ler na língua original e tal e coisa. Pois eu não percebo uma merda de inglês e podem chamar-me burro agora Brasileiro só atrasados mentais não percebem.

    ResponderEliminar
  13. A questão da tradução como foi levantada ali atrás, na minha opinião é uma questão que em prai 95% dos casos de bd's não se coloca. É mais relevante tanto na literatura de prosa ou poesia e não tanto nas bd's, isto porque como a linguagem ou o texto destas, na grande maioria dos casos, é francamente simples e facilmente traduzível e adequadamente traduzida. Quiçá um caso ou outro como talvez em Sandman ou nalgum livro do Alan Moore fora da esfera dos super-heróis, por exemplo, é que com a tradução se possa perder qualquer coisinha da mensagem original. Mas esse problema coloca-se tanto para o PT-BR como também para o PT-PT. Mas tanto os tradutores da Panini Brasil como os portugueses da equipa Levoir/G-Floy/Salvat, podem falhar numa ou noutra situação rara, acontece, mas em termos do trabalho global desenvolvido por eles, são ambos bastante competentes.

    ResponderEliminar
  14. Se há é porque há..se não há é porque não há! #geeksdorestelo ;D

    ResponderEliminar
  15. Para acalmar os animos;

    http://bandasdesenhadas.com/2015/11/14/nova-colecao-levoir-dc-comics/

    "A nova coleção da DC Comics da Levoir contará apenas com bandas desenhadas que nunca foram editadas em Portugal, apesar de alguns volumes conterem BD que já foram importadas do Brasil, sob o formato de revistas ou livros, algumas delas recentemente."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    2. A levoir continua Top para mim, pois evita cometer o erro da Salvat, ao pretenderem republicar bd recentemente lançadas e ainda à venda nas Fnac, Levoir e Bertrands (Demolidor renascido e Guerra civil), como é uma das responsáveis por impulsionar a venda de bd (8€90) com arcos completos e capa dura....e os 2 títulos que propõem são há muitos aguardados :)

      Eliminar
    3. Uma resposta geral, a muitos comentários que este texto despertou - aqui e ali com um ou outro excesso de linguagem que julgo desnecessário.
      É bom que haja variedade de oferta, mas claro que ninguém é obrigado a comprar.
      Estas edições brasileiras são boas edições em livro, que nalguns casos - inexplicavelmente - se sobrepõem a edições recentes em português.
      Os preços também são bons mas todos são livres de comprar na língua original, em qualquer outra língua ou de ler na net - prática que não subscrevo nem aprecio.
      Se é verdade que comprar em português ajuda os editores locais, garante alguns postos de trabalho e a subsistência da BD em Portugal, cada um tem de pensar no seu bolso...
      Acima de tudo, acho que é de aproveitar o bom momento que a edição de BD vive em Portugal - como refere José de Freitas a publicar amanhã, 16 de Novembro - pois sem ele, paradoxalmente também não veríamos estas edições entre nós...
      Boas leituras!

      Eliminar
  16. Pelos vistos, os livros do Surfista e do Dias da Meia-Noite já se encontram à venda.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...