Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

22/09/2015

Capitão América: Sonhadores americanos









Ed Brubaker é, hoje, para mim, um dos poucos argumentistas de super-heróis que me faz comprar uma edição.
Foi o seu nome – embora não só, mas já lá irei – que me fez embarcar neste Capitão América: Sonhadores americanos, nono volume da colecção Poderosos Heróis Marvel da Levoir, distribuída às quintas-feiras com o jornal Público, e a verdade é que, mais uma vez, apesar das surpresas, não saí desiludido.

Nos relatos de super-heróis de Brubaker – e sei que me estou a repetir – prezo, paradoxalmente, o seu tom menos super-heróico, uma vez que ele tem privilegiado as componentes de espionagem e de acção, com as quais conseguiu reinventar nomeadamente o Capitão América e todos aqueles que orbitam em torno dele: Bucky Barnes, Sharon Carter… Reinventou não só o mito, mas humanizou-o e deu uma outra dimensão ao homem (tradicionalmente) por detrás dele - Steve Rogers - retratando-o como alguém (inadaptado) fora do seu tempo, à procura do seu lugar, de objectivos e – como bem marcado no actual volume – dos sonhos que em tempos teve para um país que parece longe de os concretizar.
Um homem diferente nas suas acções, nas suas reacções, nas suas relações e, acima de tudo nas suas emoções, de alguma forma preso a uma passado que teima em não o libertar, mas apostado em viver, de forma melhor, um presente em que é assaltado por dúvidas e hesitações.
A componente onírica – a tal surpresa que referi mais acima - ganha especial relevo neste volume, em que (mais) alguém vindo do passado de Rogers, após ter estado preso durante décadas num mundo construído a partir de sonhos, regressa para se vingar e para tornar num pesadelo a vida dos que considera responsáveis pelo que lhe aconteceu.
Essa dupla dimensão que serve de cenário à narrativa é retratada magnificamente por Steve McNiven – cujo traço realista já brilhara intensamente em Wolverine: Velho Logan – revestindo cada uma delas de componentes diferentes, passeando a sua arte por momentos hiper-realistas mais contidos, pelo dinamismo das cenas de acção e pelo lado surreal presente na dimensão paralela dos sonhos, acentuada pelas díspares paletas de cores escolhidas para as pintar.
O volume conclui com três relatos curtos do Capitão América, desnecessários no contexto mas – para o bem e para o mal - fruto da necessidade de uniformizar o mais possível o número de páginas ao longo da colecção, que, com excepção do último, de alguma forma reforçam a dualidade do mito.

Capitão América: Sonhadores americanos
Ed Brubaker (argumento)
Steve McNiven, Travis Charest, Ed McGuinness e Paul Azaceta (desenho)
Mark Morales, Jay Leinsten, Dexter Vines, Matteo Buffagni, Ed McGuinness e Paul Azaceta (arte-final)
Levoir/Público
Portugal, 17 de Setembro de 2015
175 x 265 mm, 152 p., cor, capa dura
8,90 €

7 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Brubaker e bom argumentista mas nao o único nos comics quer do presente ou passado,também já li todo e só a única historia não gostei cliché do cliché,a do Tieri.
    Tipo esta:

    https://www.mycomicshop.com/search?TID=21977367

    só que esta e muito longa para a levoir 520 paginas.
    Mas esta não:

    https://www.mycomicshop.com/search?TID=21755685

    ResponderEliminar
  3. Aproveito este tópico para referir algo. Lembro que aquando dos cancelamentos PT-PT da Panini, que foi referido que em 2015 viria aí uma nova editora que iria lançar TPB's/HC's da Marvel. Com uma coleção da Levoir, já contaríamos e que há partida não seria relativamente a ela. A tal outra editora que serviria de consolação aos cancelamentos da Panini, ao final parece que não o vai ser. Pois ao que tudo indica essa editora é a G-Floy que já lançou a reedição do Wolverine Origem e que em breve vai lançar o Origem II. Mas ao que tudo indica no que respeita à Marvel, irá ficar por aqui, pois já no seu Facebook, anunciaram que não haverão novos lançamentos Marvel pela congénere polaca da G-Floy, e por sua vez, não haverão mais lançamentos Marvel por cá. Ou seja, a dica consolação foi pelo cano abaixo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sejas tão derrotista, Reignfire.
      Nem todas as más notícias significam o fim de tudo...
      Um pouco mais de paciência...

      Boas leituras!

      Eliminar
    2. Espero que agora fiques consolado, Reignfire:
      http://asleiturasdopedro.blogspot.pt/2015/09/coleccao-oficial-de-novelas-graficas-da.html

      Boas leituras!

      Eliminar
  4. Pedro,
    quando escreves para ter mais paciência, mais impaciente fico, pois geralmente significa mais informações sobre uma nova colecção. Resta saber qual, já que Conan não será uma delas :(

    Quanto ao argumentista Ed Brubacker, concordo em tudo o que foi escrito, só lamento ainda não terem editado a saga da morte do Capitão América, também escrita por Brubacker.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Segredo desvendado, Jony: http://asleiturasdopedro.blogspot.pt/2015/09/coleccao-oficial-de-novelas-graficas-da.html

      Boas leituras!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...