Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

14/07/2015

J. Kendall #113













Este número (duplo) das aventuras de J. Kendall, mostra uma criminóloga algo diferente daquela que já conhecemos, uma faceta (estrnha?) que tem vindo à tona uma e outra vez em relatos mais recentes.

Ela revela-se em Sequestrada!, em que o rapto da irmã, recém-chegada, a Garden City, como moeda de troca para pagamento de uma dívida relacionada com contrabando de droga, leva Julia aos locais menos recomendáveis da cidade e a correr riscos impensáveis.
Com a motivação de libertar a irmã, tão depressa recuperada quanto perdida (?), a protagonista abandona o habitual papel de seguimento à distância, o papel dedutivo que a leva a tentar compreender as motivações por trás das acções criminosas, para assumir um papel – mais físico? - muito mais interventivo. Para o leitor, fica uma sensação de estranheza, desconcertado pelo ‘desaparecimento’ da frágil Julia habitual, substituída por uma (quase) heroína de acção. E a sensação, após releitura e meditação, que há momentos na vida que (nos) revelam o que realmente somos. Ou não…

Na segunda BD, O dinheiro mata, com a Julia mais tradicional de volta, um assalto a uma carrinha de transporte de dinheiro revela-se uma história muito bem escrita, em que as surpresas e as traições surgem emolduradas com muitas mortes e violência à mistura, sendo o desfecho, surpreendente quanto baste, revelado apenas nas páginas finais.

J. Kendall #113
Aventuras de uma criminóloga

Sequestrada!
Berardi e Mantero (argumento)
Antonio Marinetti e Steve Boraley (desenho)

O dinheiro mata
Berardi e Calza (argumento)
Marco Fodera e Thomas Campi (desenho)

Mythos Editora
Brasil, Novembro/Dezembro de 2014
135 x 180 mm, 260 p., pb, capa mole, mensal
R$ 20,50 / 10,00 €

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...