Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

23/06/2015

André Oliveira, argumentista









Quando cheguei ao ‘mundo’ da banda desenhada portuguesa, no início dos anos 1980, um dos mitos vigentes é que, para lá dos autores clássicos, que abordavam temas históricos, não existiam argumentistas. António José Simões (Jim del Monaco) ou José Carlos Fernandes contribuíram para o destruir.
Hoje, a situação é diferente. A diferentes níveis, David Soares, Mário Freitas ou Filipe Melo, são exemplos incontornáveis e (re)conhecidos. André Oliveira também.

No percurso de André Oliveira, natural de Lisboa onde nasceu em 1982, destaca-se a forma como sempre procurou – continua a procurar – onde/como editar os seus trabalhos, mesmo que o caminho para isso seja o da auto-edição – e esta postura choca frontalmente com o que era norma nos tais anos 1980: ‘não criar porque ninguém edita’.
O primeiro (?) passo foram as antologias Zona, onde o seu nome se desdobrava nos índices, já como escritor de vários géneros e estilos.
Essa ‘produção em massa’ - sem perda de qualidade... - acentuou-se nos últimos meses, com os projectos a multiplicarem-se, dando vazão à necessidade – acredito eu – de escrever, escrever sempre, escrever sem parar, de partilhar com quem a isso estiver aberto as muitas histórias que tem dentro de si.
Na Ave Rara, a sua própria editora (com Living Will ou Gentleman), na Kingpin Books (Hawk, Crumbs, Casulo), na El Pep (Tiras do Baralho), na Polvo (Volta – O Segredo do Vale das Sombras) ou na revista Cais, muitas tem sido as portas que construiu, a que bateu, que fez abrirem-se de par em par a um talento narrativo multifacetado, diversificado e que se revela demasiado grande para se ater a um único tema, género, projecto ou editora.

Living Will, romance gráfico em sete capítulos, foi iniciado com Joana Afonso no desenho e acaba de apanhar em movimento Pedro Serpa, que alternará com aquela ilustradora nos últimos 4 capítulos para que os leitores mais rapidamente conheçam o seu desfecho.
É a história de um homem que, viúvo, sem o cão que desde há muito era a sua companhia, ao sentir chegar o fim da sua vida tenta pôr em ordem uma série de questões que foram ficando pendentes (ou mal resolvidas) ao longo dos anos.
História intimista e sensível, revela que nem sempre uma boa intenção obtém bons resultados e que há feridas que nem o tempo consegue curar.
Living Will (publicados 4 de 7)
André Oliveira (argumento)
Joana Afonso, Pedro Serpa (desenho)
Ave Rara
160 x 235 mm, 16 p., pb+1 cor, brochado, 2,95 €

Ainda dentro do seu selo editorial Ave Rara, André Oliveira apresentou no recente XI Festival Internacional de BD de Beja, o primeiro dos quatro fascículos previstos para Gentleman, sem dúvida até agora o mais surpreendente dos seus projectos, por sair daquela que poderíamos chamar a sua zona de conforto, onde se desenrolam histórias de tom humano resultantes de uma apurada capacidade de observação da sociedade.
Com a acção a decorrer num mundo devastado na sequência de uma invasão extraterrestre (?) é protagonizada por mr. Turner, um aventureiro algo cínico mas imperturbável, por um (imenso) leão marinho e(, em breve?), por um rapaz salvo num dos muitos confrontos que a nova situação inevitavelmente provoca.
Gentleman (publicado 1 de 4)
André Oliveira (argumento)
Ricardo Reis (desenho)
Ave Rara
160 x 235 mm, 16 p., pb+1 cor, brochado, 2,95 €

E se até agora quase só (re)conhecíamos André Oliveira como escritor de contos curtos – mas nem por isso menos estimulantes – onde a excepção seria Hawk pois, de alguma forma, Living Will e Gentleman se têm apresentado em capítulos autocontidos embora no âmbito de uma narrativa mais longa, Volta – O Segredo do Vale das Sombras, veio confirmá-lo também como autor de maiores fôlegos.
Primeiro de três livros, decorre em Rest du Monde, uma aldeia perdida, parada no tempo, isolada no meio de uma floresta e aterrorizada por um monstro que a sitia e pelos mandantes dele que de alguma forma a governam – com todas as diferenças evidentes, um pouco à Wayward Pines…
A chegada, inesperada mas providencial, do Campeão – como lhe hão-de chamar – um ciclista em busca das suas próprias memórias e de redenção para o que não sabe/se lembra se fez, vai alterar os frágeis equilíbrios existentes em Rest du Monde e levar alguns dos seus habitantes a redescobrirem-se.
Volta – O Segredo do Vale das Sombras
André Oliveira (argumento)
André Caetano (desenho)
Polvo
Portugal, Junho 2015
ISBN: 978-989-8513-26-7
240 x 168 mm, 96 p., pb, cartonada, 12,99 €

Quanto a Casulo, porque o texto já vai longo, fica para outra altura, previsivelmente para depois de amanhã.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...