Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

24/04/2015

Soucoupes













E, finalmente, um dia, os extraterrestres chegaram ao nosso planeta. Uma imensa esquadrilha de discos voadores com seres diferentes, ávidos de partilhar conhecimentos.

Christian – retrato típico do francês médio, mulherengo e racista – olhou com desconfiança para eles. Como para tudo que podia colocar um grau de poeira que fosse na sua vida bem oleada, organizada em torno das suas mulheres: a mãe, entrevada, que já não o reconhece; Josette, esposa de 20 anos, de quem está farto; a amante, que lhe exige cada vez mais; a tia Albige, a única que o compreende.
Delas e do emprego na loja de discos – vinis! – sobra pouco tempo para as suas paixões: a música e a pintura, sublimada no quadro La Jeune Fille à l’Oiseau, expressão perfeita “d’A Mulher, aquela que procuramos mas nunca encontramos”.
Tudo isto vai ser alterado drasticamente pela chegada de um extraterrestre sedento de conhecimento, (aparentemente) um robot (telepata), a quem Christian vai abrir a porta para uma vida diferente, com arte, sexo, álcool, paixões – a vida real…?
A princípio renitente, acabará por investir numa partilha a dois que também lhe alargará os horizontes e lhe mostrará que a vida só vale a pena quando todos nela participam.
Narrativa simpática, divertida e ligeira - embora nem tanto quanto uma leitura apressada pode fazer crer – é servida por um desenho muito interessante, caricatural mas aposto em cenários em cores directas – que muitas vezes servem também o protagonista e as restantes personagens - que contribuem para o ambiente de sonho e poesia que a pouco e pouco toma conta do relato e lhe confere uma outra dimensão.

Soucoupes
Arnaud Le Gouëfflec (argumento)
Obion (desenho)
Glénat
Suíça, 1 de Abril de 2015
200 x 273 mm, 88 p., cor, cartonado
20,50 €

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...