Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

25/03/2015

Tex, Lucky Luke e o juiz Roy Bean







O acaso fez-me ler quase de seguida duas bandas desenhadas que têm, se não como protagonista, pelo menos como personagem central, uma das velhas lendas do Oeste, o juiz Roy Bean, que se considerava “a única lei a oeste de Pecos”.


Personagem carismático, que a lenda caracteriza como amante do álcool e da justiça, aplicando ambos tantas vezes em simultâneo no saloon que lhe servia de tribunal ou vice-versa, em sentenças duvidosas e em libações generosas, Roy Bean pode (agora) também gabar-se de ter conhecido outras lendas do velho Oeste – talvez menos reais mas mais duradouras – os cowboys Lucky Luke e Tex Willer.
De comum na passagem de ambos por Langtry, a cidade em que Bean exerceu o duplo mandato a que se auto-propôs após ter escapado a um enforcamento quando a corda que o sustentava se partiu, fica a tentativa de pendurar numa árvore os dois heróis dos quadradinhos - Lucky Luke neste relato; Tex Willer no seu primeiro encontro com Roy Bean -  e a ausência de vítimas provocadas pelo magistrado no exercício das suas funções, já que, no resto, os dois westerns diferem em praticamente tudo, do tom à interacção de Lucky e Tex com o juiz.

O Juiz, uma história de luta pelo poder e uma homenagem à lenda, é, possivelmente, um dos mais conseguidos álbuns de Morris a solo, com as peripécias processuais a sucederem-se e a darem origem a sorrisos bem-dispostos, com o protagonismo do cowboy que dispara mais rápido do que a própria sombra a ser repartido por Bean, o seu urso Joe, um ansioso cangalheiro e o vilão Bad Ticket.

Quanto ao díptico O Segredo do juiz Bean/Atentado em San Antonio, segundo encontro de Tex e Carson com o juiz, aborda a paixão (verdadeira e platónica) deste último pela actriz inglesa Lilly ‘Jersey’ Langtry – cujo nome deu mesmo ao seu saloon e para quem construiu um teatro em Langtry – com a curiosidade da sua figura tutelar todo o relato sem na verdade chegar a aparecer.
Fora isso, esta é uma longa história bem delineada por Mauro Boselli, com um segredo, uma vingança e a sede do dinheiro a servirem de mote, em que consegue alternar acção e suspense em doses generosas, tornando-a bem apetecível para os fãs do género, que certamente apreciarão igualmente o inesperado final e o traço duro e bem contrastado de Pasquale Frisenda.

Tex #535 – O Segredo do juiz Bean
Tex #536 - Atentado em San Antonio
Mauro Boselli (argumento)
Pasquale Frisenda (desenho)
Mythos Editora
Brasil, Junho/Julho de 2014
135 x 177 mm, 114 p., pb, brochado
R$ 7,60 n/ 3,60 €




Lucky Luke: O juiz
Morris
ASA
Portugal, 2009
222 x 295 mm, 48 p., cor, cartonado
9,99 €


Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...