Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

17/03/2015

Les Túniques Bleus – L’Intégrale #1












Primeiro volume de mais uma recolha integral de uma das grandes séries da banda desenhada franco-belga, permite (re)descobrir a origem de um sucesso, cujo traço caricatural esconde um tom um pouco mais sério do que seria de esperar.


Les Tuniques Bleus – Os Túnicas Azuis em português – nasceram em Agosto de 1968, no Spirou belga, na altura para suprir a ausência de Lucky Luke, que tinha partido para outras paragens – as páginas da Pilote.
Era por isso um western, também, mas com uma nota bem distinta: a par dos confrontos entre brancos, índios e ou bandidos, decorria durante a Guerra da Secessão - guerra civil norte-americana – pelo que muitos dos relatos não assumem o tom claramente humorístico que o grafismo da série poderia fazer pressupor, antes servindo de atenuante a uma abordagem com muito de realista ao belicismo inerente à época, com todas as suas consequências, em especial os mortos e feridos que ficam após os confrontos.
Curiosamente – e esta é uma das vantagens destas edições integrais – quando a série dava ainda os primeiros passos – em histórias curtas, mais tarde compiladas nos volumes 9 e 10 da série, que, logicamente, são os primeiros nesta edição – o tom humorístico era muito mais marcante e a dupla Raoul Cauvin/Louis Salvérius consegue mesmo provocar francas gargalhadas com os gags que apõem a situações recorrentes no oeste selvagem, mas aqui abordadas de foma bem original.
Salvérius – a quem é dedicado o completo e como sempre interessante dossier que abre este volume – viria a falecer em 1972, sendo substituído por Willy Lambil que conferiria à série um aspecto semi-realista, mais de acordo com o seu tom global.
As histórias, que em muitos casos revivem episódios verídicos da Guerra da Secessão, assentam no confronto – bem-humorado - entre o sargento Chesterfield, rígido seguidor das normas militares, e o cabo Blutch, um pacifista (ou cobarde?) empedernido, em volta dos quais normalmente se desenrola o relato.
Outro factor diferenciador desta série é o facto de mesmo quando saem vencedores, os protagonistas nem sempre ganham. Como acontece na vida real…

Em Portugal, embora muitos o desconheçam, Os Túnicas Azuis tiveram 10 álbuns publicados pela Edinter entre 1984 e 1986, embora numa sequência completamente anárquica correspondente aos volumes #7, #8, #12, #19, #4, #9, #11, #13, #17 e #18 da série original.
Metade destes títulos seriam republicados pelo Jornal da BD.
A Asa retomou – efemeramente – a série em 2003, com a edição de Réquiem para um azul, que é o… 46.º álbum da série! mais pormenores para ver na Bedeteca Portugal.

Les Túniques Bleus – L’Intégrale #1
Collection Dupuis Patrimoine
Raoul Cauvin (argumento)
Louis Salvérius (desenho)
Dupuis
Bélgica, Novembro de 2014
220 x 300 mm, 232 p., cor, cartonado
24,00 €

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...