Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

24/02/2015

Fawcett












A primeira – e grande! – surpresa deste livro é a parceria autoral: André Diniz, no argumento, e o mestre brasileiro Flavio Colin, no desenho. A razão? A existência, entre os dois, de uma diferença de 45 anos. No trabalho comum, esse salto geracional não é de forma alguma visível.


Publicada originalmente em 2000, pela editora Nona Arte, de André Diniz, Fawcett, recupera uma das lendas associadas às pesquisas das cidades míticas da América do Sul.
Na sua origem, um facto histórico: a chegada ao Brasil, em 1925, do coronel Percy Harrison Fawcett, explorador britânico, e a expedição que organizou com o filho, um amigo e um guia, para descobrir Muribeca, uma das cidades lendárias associadas ao ouro.
Dela, pouco mais se conhece que existiu e partiu, já que nenhum dos seus membros alguma vez regressou.
André Diniz, com este ponto de partida, elabora um relato em que aborda as motivações do protagonista, a sua personalidade, o seu relacionamento com os outros membros da expedição e com os indígenas de uma aldeia e o fim – ficcional mas possível – que poderá ter tido.
Bem escrita, em ritmo moderado, a história prende o leitor que – introduzido a Fawcett no prefácio que Diniz escreveu – avança página após página, descobrindo mais sobre ele e esperando a revelação do que aconteceu ao explorador.
Flavio Colin, com um traço cheio, generoso e expressivo, recria com um preto e branco contrastante os perigos da selva amazónica e as lendárias civilizações que são, afinal, mote, objectivo e utopia desta narrativa.

Fawcett
André Diniz (argumento)
Flavio Colin (desenho)
Devir Livraria, Brasil, Outubro de 2010
160 x 230 mm, 56 p., pb, cartonado, R$ 13,50

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...