Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

19/11/2014

Universo Marvel: o fim











Chega amanhã ao fim a colecção Universo Marvel, da Levoir, distribuída com o jornal Público, que durante 20 semanas trouxe sagas clássicas ou actuais – ou tornadas actuais pela sua ligação às propostas cinematográficas mais recentes… - da Marvel aos leitores portugueses, num desfile dos maiores autores e super-heróis da Casa das Ideias.


Foram pouco mais de 3000 páginas, muitas horas de leitura, algumas histórias incontornáveis – como Capitão América: Soldado de Inverno, Homem-Aranha: A Última Caçada de Kraven, Marvels ou X-Men: Dias de um futuro esquecido - e a possibilidade de descobrir algumas das colaborações de autores portugueses com a Marvel.
Sujeita a todas as críticas – cada um de nós faria escolhas diferentes - a selecção foi suficientemente equilibrada e abrangente para ter motivos de agrado para todos os potenciais leitores, tenham ou não comprado todos os volumes, que ainda ficarão disponíveis pelo menos durante algumas semanas na loja do jornal.
A segunda série, que chegou a ser hipótese e a estar quase toda delineada no papel, acaba por não se concretizar, pela conjugação de diferentes factores.
Apesar disso, posso afirmar - com certeza – que os leitores de BD não ficarão a perder, pois outras propostas vão surgir nas bancas, a curto e a médio prazo.
E, entre elas, estará certamente – com esse ou outro nome – a segunda série do Universo Marvel, consolo menor para os leitores nacionais que acabam de ficar sem as revistas mensais – Vingadores, X-Men e Homem-Aranha Superior - em português que eram produzidas e editadas pela Panini espanhola.
A terminar, deixo a nota de imprensa e os previews habituais do último volume da colecção.

Vingadores vs. X-Men: Volume 2
E então restou Um
Argumento: Brian Michael Bendis, Jason Aaron, Ed Brubaker, Jonathan Hickman
Desenho: John Romita Jr., Olivier Coipel, Adam Kubert
Levoir/Público

A Força Fénix fragmentou-se em cinco partes, que se ligaram a cinco dos super-heróis: Ciclope, Emma Frost, Namor, Colossus e Magia, agora transformados nos Cinco da Fénix, que iniciam uma era de utopia no planeta Terra. Mas, à medida que os seus poderes crescem e se descontrolam, só os Vingadores os poderão deter, numa batalha final contra a Fénix, que terá consequências tremendas e ditará o fim de uma das mais amadas personagens do Universo Marvel.
A conclusão da maior saga da Marvel dos últimos anos, que juntou literalmente todas as personagens da Casa das Ideias numa só história!




(Nota de imprensa e imagens disponibilizadas pela editora)

39 comentários:

  1. Tó Coelho19/11/14 16:35

    Caro Pedro, julgo que seria importante salvaguardar, junto da Levoir, da necessidade de se publicar um ou dois volumes que ajudem a terminar o Infinity, mesmo que se volte a publicar aquilo que já saiu nos mensais da Panini. Se as sagas das revistas X-Men e Homem-Aranha se podem acompanhar nas revistas da Panini Brasil que cá vão continuar a sair, o que saía na revista Vingadores será impossível pelo facto de no Brasil publicarem as miniséries em revistas próprias, as quais não chegam a Portugal. Penso que também seria muito agradável a publicação das continuações dos TPB que já saíram pela Panini Portugal. Nós, os leitores que continuamos a ser cobaias das editoras que publicam em Portugal assim agradecíamos! Obrigado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo mas mesmo assim acho que poderiam acabar os arcos de Homem-Aranha e X-men também. A levoir poderia continuar a publicação corrente destas 3 series da Panini mas em TPB de tempos a tempos. (Jopac)

      Eliminar
    2. Não pensem na Levoir como o tapa-buracos da Panini, ou da Devir ou da Abril/Controljornal. Se lançaram vários eventos desde as Guerras Secretas, é natural que também venham a lançar o Infinity numa coleção futura, mas não é obrigação deles pegarem em All-New X-Men, Uncanny X-Men, Avengers e New Avengers e o final de Superior Spider-Man só porque houve uma editora que cancelou a publicação portuguesa das mesmas. O mesmo vale prás continuações de Captain America, Uncanny Avengers e Thor.

      Eliminar
    3. Caro Tó Coelho,
      A pessoa que edita e coordena as colecções de super-heróis da Levoir foi - o José de Freitas - foi também colaborador da Panini e é uma das pessoas melhores colocadas em Portugal para definir conteúdos de futuras publicações/colecções.
      Estou certo que ele terá em linha de conta, em projectos futuros, a questão das sagas que as revistas da panini dexaram incompletas.
      De qualquer forma, convém sempre lembrar que em termos de objectivos e projectos, a Levoir é muito diferente da Panini.
      Para além disso, a selecção de histórias está sempre dependente das estratégias de quem as vende - a Marvel, neste caso, através da Panini (europeia, não a espanhola) - e da disponibilidade dos suportes digitais necessários para a sua produção.

      Caro Anónimo,
      Concordo, pelo menos o Homem-Aarnha Superir deveria ter sido terminado. Apenas mais uma revista não ia levar a Panini à falência.

      Reignfire,
      Corroboras o que eu respondi ao Tó Coelho. Os projectos da Levoir e da Panini são diferentes.
      Poderá haver no futuro algumas das sagas agora deixadas a meio, mas a Levoir não tem qualquer obrigação de o fazer.

      Boas leituras para todos!

      Eliminar
    4. Cada vez que oiço que o futuro dos comics em Portugal está nas mãos do José de Freitas até me arrepio.

      Principalmente por saber que a pessoa em causa não tem grande interesse em publicar mensais, tendo em conta que na sua anterior experiência na Devir, segundo o próprio, era material que não vendia (quando mal divulgado, é lógico que não venda).

      Acho até que ele terá uma cota parte de culpa neste final abrupto, pois quando se faz algo com pouca vontade e nos dizem que o projecto vai ter de acabar, mas que se continua a ter autorização da Panini para publicar HCs em Português, lava-se as mãos como Pôncio Pilatos e nem se faz um esforço para se fazer ver à Panini que o problema é a má divulgação e o inexistente contacto com os leitores compradores.

      Posso estar a ser extremamente injusto, mas quando se assume que não se confia em mensais e se vê um projecto do qual se é consultor ir por água a baixo, é estranho a pessoa em causa ter tão pouca consideração pelos leitores e deixar que o projecto acabe com "portas por fechar".

      Pior ainda é deixar os compradores que não andam pelos blogues - que são a grande fatia dos consumidores - sem sequer uma justificação para o término do projecto nas próprias publicações.

      Se isto já se sabia internamente desde Setembro foi de um desrespeito para os compradores deixar isto arrastar até agora, pois assim a indignação do público foi maior.

      A Panini agora merecia era um boicote às edições brasileiras para aprenderem a não ser gulosos.

      Mas infelizmente, o leitor Português contenta-se com restolho brasileiro e isso jamais acontecerá e continuará a ser cobaia de "projectos editoriais" ad aeternum.

      E quanto as coleções da Levoir escusam de fazer listas de pedidos pois o que é publicado é ao gosto dos editores e nunca ao dos que compram os livros.

      Eliminar
    5. "Cada vez que oiço que o futuro dos comics em Portugal está nas mãos do José de Freitas até me arrepio.

      Principalmente por saber que a pessoa em causa não tem grande interesse em publicar mensais, tendo em conta que na sua anterior experiência na Devir, segundo o próprio, era material que não vendia (quando mal divulgado, é lógico que não venda).

      Acho até que ele terá uma cota parte de culpa neste final abrupto, pois quando se faz algo com pouca vontade e nos dizem que o projecto vai ter de acabar, mas que se continua a ter autorização da Panini para publicar HCs em Português, lava-se as mãos como Pôncio Pilatos e nem se faz um esforço para se fazer ver à Panini que o problema é a má divulgação e o inexistente contacto com os leitores compradores.

      Posso estar a ser extremamente injusto, mas quando se assume que não se confia em mensais e se vê um projecto do qual se é consultor ir por água a baixo, é estranho a pessoa em causa ter tão pouca consideração pelos leitores e deixar que o projecto acabe com "portas por fechar"."

      Imagina que és contratado e pagam-te pra fazer um serviço pra uma empresa. Após uns meses, a empresa decide que não vale a pena contar mais com os teus serviços, não pelo trabalho que tu fizeste, mas porque chegou à conclusão que o projeto não é viável. Tu até podes não gostar dessa ideia, mas vais insurgir-te contra alguém que durante meses pagou o teu salário e do qual no futuro poderá voltar a recorrer aos teus serviços? E tu que fizeste o serviço é que tens de responder aos consumidores do produto da empresa, quando deveria ser a empresa a responder aos mesmos pelo insucesso do produto?

      Quanto à questão dos mensais, pelos vistos não é só Marvel que corre mal. Real Life da Disney Goody - que teve até divulgação e exposição nas bancas, também foi cancelado e à 4ª edição, julgo eu. Se calhar um dos problemas é que o próprio público, em determinados nichos, é que não adere às publicações regulares de banca.

      " A Panini agora merecia era um boicote às edições brasileiras para aprenderem a não ser gulosos. "

      Eu acho que a Panini iria gostar disso. Acredita que não lhes deve dar prazer nenhum estar a investir dinheiro num mercado que não lhes interessa. É que deve ser só mesmo prás estatísticas, pra relatar à Marvel e em parte à DC, que na Europa toda ou nalgumas partes respetivamente, existem publicações locais das suas linhas editoriais.

      "Mas infelizmente, o leitor Português contenta-se com restolho brasileiro e isso jamais acontecerá e continuará a ser cobaia de "projectos editoriais" ad aeternum."

      Acredito que maioria dos leitores de comics portugueses, que não são muitos, devem ler em inglês até. Hoje em dia tens lojas na internet ao qual consegues tpb's e hc's a preços mais baratos e não pagas portes.

      "E quanto as coleções da Levoir escusam de fazer listas de pedidos pois o que é publicado é ao gosto dos editores e nunca ao dos que compram os livros."

      Em termos gerais, acho que estás a ser injusto outra vez. Se fosse a Levoir, ainda hoje não teríamos em português clássicos como a Saga da Fénix Negra ou as Guerras Secretas ou a Crise nas Infinitas Terras.

      Eliminar
    6. Parece que a cada 2 ou 3 anos tenho que tentar voltar a explicar TUDO de novo outra vez, por isso trato disso agora e espero só voltar a pegar no assunto em 2017...

      Em primeiro lugar, o Cesário deve estar a confundir com outra pessoa quando diz que não tenho interesse em publicar mensais: estive à frente das edições Devir durante os 6 anos em que se publicaram comics mensais, fui eu que fiz força dentro da empresa para que o projecto fosse feito (com uma ajuda que devo sempre agradecer do José Rui Fernandes da Mundo Fantasma, que foi o primeiro a ter a ideia e a sugerir a ideia à Panini, na altura), batalhei para que se tentassem encerrar o melhor possível os arcos de história depois de se tomar a decisão de cancelar os regulares, e quando finalmente se deixou de editar comics na Devir (com algumas excepções), deixei a empresa. É tão simples como isso. Quando diz que “quando mal divulgado é lógico que não venda”, sem querer ofender, penso que não sabe do que fala. A Devir fez umm investimento muito grande nos mensais no seu lançamento, e que resultou bastante bem. Durante alguns anos vendeu razoavelmente, mas por vários motivos essas vendas foram deslizando e cerca de 2004 a Devir perdia dinheiro com os mensais. Nessa altura continuou-se durante um par de anos porque 1) para manter o canal de distribuição (bancas) aberto para outros produtos (trades) era preciso continuar a distribuir os comics para saber quais os melhores pontos de venda e porque 2) indubitavelmente os comics criavam leitores para os trades; aliás, parte do boom da BD dos anos 2000 teve a ver com o lançamento dos mensais da Devir, que recuepraram alguns dos leitores dos formatinhos, e também pela mudança da qualidade do papel, formato, etc... captivaram leitores novos (de franco-belga ou outros). Mas quando as vendas baixaram o suficiente para os comics perderem mais dinheiro, deixou de compensar e teve de cancelar. Tão simples quanto isto. Na altura fizeram-se vários planos possíveis de relançamento, com investimentos em pub, etc... mas não nos devemos esquecer que a Devir é uma empresa brasileiro-portuguesa-espanhola, e que existem muito projectos em competição ao mesmo tempo e os recursos são escassos. Na altura achou-se (penso que com razão) que a Devir não tinha capacidade de fazer esse investimento e que ele provavelmente não seria eficaz. Isso leva-nos à conversa sobre o formato dos comics mensais e se ele é adequado ou não para o nosso mercado. Talvez não seja, mas isso é outra conversa.

      Eliminar
    7. Quanto à Levoir e à Panini.

      Panini: não lavo as minhas mãos, apenas tenho acordos de confidencialidade e não posso falar em público. O Cesário não viu nenhum dos emails que mandei à Panini, portanto não sabe se lutei ou não para manter as revistas mensais (a equipa editorial da Panini Comis Espanha lutou MESMO ferozmente, mas a decisão foi da administração, penso eu) ou para fazer um esforço para mudar outras coisas. E eu não “continuo a ter autorização da Panini para fazer HCs”, tem a Levoir, e tem porque pagou os respectivos direitos e adiantamentos e apresentou um projecto credível, tal como o leitor poderia ter se fizesse o mesmo. Essa “autorização” vem exclusivamente daí e de mais lado nenhum. E não sei como é que diz que faço algo com pouca vontade, aliás, você ne, me conhece.

      Para que conste: a Panini contratou-me EXCLUSIVAMENTE para tratar das traduções, revisões, e textos de apoio dos comics. Nunca tive qualquer intervenção na escolha dos comics e livros, nem no número de livros a editar ne nada. Deram-me um plano para a mão e disseram-me: é isto. E mais tarde disseram-me que não estava a corresponder às expectativas e que iria ser cancelado. Nem nunca cheguei a falar com quem tomou a decisão, embora tenha falado (e muito!) com a direcção editorial que partilha a maioria do incómodo e decepção dos leitores portugueses.

      Levoir: a escolha dos livros aqui é feita por mim, com a ajuda de outras pessoas, pela Levoir e pelo cliente da Levoir, o Público, e é aprovada ou não pela Panini, que também sugere ou por vezes “impõe” algumas escolhas ou veta outras. E quando o cliente diz que gostaria mais disto ou daquilo, ou se pede mais material novo e menos clássico, ou o que quer que seja, tem de se negociar. Ou quando a Panini quer que se edite um certo “core” de histórias que eles acham que são importantes estarem em PT para servirem como “referência”, idem. Etc... Uma escolha como a de uma lista de livros para uma colecção da Levoir é algo que já foi MUITO discutido, negociado, e que nunca é a melhor opção de qualquer um dos intervenientes. E normalmente temos tido em conta a opinião dos leitores, mas aqui a coisa é muito subjectiva, e a minha opinião é que é impossível agradar. Por exemplo, Avengers Forever surgiu SEMPRE como uma das histórias mais referenciadas pelos fãs, em fórums, emails enviados à Levoir (e a mim), em todo o lado. Confesso que não teria sido uma escolha minha, mas na Levoir o “ruído” que os leitores fizeram à volta deste livro fez com que a Levoir e o Público tivessem insistido bastante nele. mas agora que saiu andam muitos fás por aí a dizerem que era melhor ter sido outra escolha, etc... blablabla. No fim, alguém tem de decidir e ninguém fica satisfeito a 100%.

      Eliminar
    8. Por acaso, no Manara e no Contos de fada, os motivos foram outros. O Manara, simplesmente porque Portugal é um país de edição de BD europeia, e toda a gente concordou que um livro com Manara na capa ia relançar um pouco a colecção, tal como o do Moebius o fez há dois anos atrás. O “Contos de Fada” tinha outra ideia atrás, que era a de uma exposição sobre o trabalho dos portugueses que trabalham para a Marvel, para a qual existia uma espécie de OK prévio do festival da Amadora (dado em inícios de Maio). Mas como a Amadora pura e simplesmente deixou de responder a solicitações até à última semana de Setembro, para finalmente nos dizer que não (com comentários aliás, do género “Ah! Havia um livro planeado para essa exposição? Que giro, se calhar podíamos fazer para o ano, então”), o projecto caíu, A ideia era essa exposição servir de âncora a um artigo grande no Público exclusivamente sobre essa expo e sobre o livro. Não é que se tenha feito o livro POR CAUSA disso, mas poique quisemos encaixar um livro mais no final da colecção que motive alguma comunicação adicional, e que fosse motivo de relançar o interesse na colecção, porque como dizia o Pedro Cleto, as colecções começam a vender x, e depois vão-se esboroando irreversivelmente a menos que se faça mais comunicação - e a menos que essa despesa já esteja prevista antes do lançamento do volume um, procura-se fazer barulho sem gastar dinheiro. Neste caso, foi um livro que eu quis bastante fazer, porque é algo muito diferente do normal, mais do género do que a DC faz com os Elseworlds, e achámos que era interessante os leitores verem essa faceta, para além de que é um trabalho muito bem e bem feito. Mas neste em livro em particular, a Levoir também fez um investimento extra, já que aceitou aumentar o número de páginas dele para se incluir um caderno especial sobre o Making of do livro. Na verdade, aos poucos vou-me dando conta de que essas coisas pouco ou nada adiatam, tal como o editoriais, porque suspeito que ninguém lê os editoriais, e ninguém liga aos dossiers especiais...

      Eliminar
    9. José Freitas,
      Obrigado pela tua resposta e pelos (muitos) esclarecimentos, que devem ajudar muita gente a perceber um pouco melhor como se processa e o que é necessário para editar BD em Portugal, em especial BD Marvel.

      Boas leituras!

      Eliminar
    10. Se mais ninguém ler, eu pelo menos leio os sditoriasis todos. E na maioria, são uma 'mais valia' do livro.

      Eliminar
    11. Concordo que os editoriais são uma "mais valia". Tanto a ideia como a concretização são boas.

      Eliminar
    12. Eu leio sempre os editoriais, e da minha parte considero que cada livro da Levoir é muito bem concebido, desde a qualidade do papel, das capas, editoriais, os dossiers especiais, cada livro fica espetacular. Espero que continuem a publicar mais.

      Eliminar
    13. "Quando diz que “quando mal divulgado é lógico que não venda”, sem querer ofender, penso que não sabe do que fala. A Devir fez umm investimento muito grande nos mensais no seu lançamento, e que resultou bastante bem."

      Sim. Lembro até de ver no Buereré (?) na Sic, a oferecerem revistas da Marvel Devir aos putos. Há melhor divulgação que essa?

      Noutro blog levantou-se a questão da má divulgação da Panini. Não existiu, é verdade. Mas será que só isso é razão que venda mal? Eu penso que não.

      O Cesário noutro tópico disse: "Como tomaram conhecimento das edições da A/CJ?

      Pelas publicidade que na altura passava ininterruptamente nos intervalos dos desenhos animados dos 3 canais televisivos. E nessa altura a internet ainda não servia sequer de meio de divulgação."

      Mas mesmo com publicidade na tv, o projeto durou apenas 2 anos e meio à mesma.

      Há tanto produto que vende e não precisa de publicidade devido somente à sua popularidade. As pessoas vão a um sítio, vêem algo que pensam que irão gostar e compram. As bd's da Marvel são conhecidas do público em geral, e com os filmes, ainda mais. Se as pessoas estão interessadas num produto, elas também sabem procurar por ele e hoje em dia pesquisam no google e acabam sempre por encontrar alguma coisa. Se formos googlar "marvel portugal" a 1ª página que aparece é a página do facebook com o mesmo nome, mas a 2ª página é a da Panini, as seguintes são respeitantes a vários blogs inclusivé este. E se acontecer as pessoas não encontrarem o produto que querem em português, compram em inglês.

      E levantam a questão de além da falta de divulgação dos Paninis, que não encontram as revistas à venda. Ok, a tiragem é pequena e já não se vêem em maioria dos quiosques. Mas quem nunca foi a um hipermercado ou a uma fnac? As revistas estão em vários destes locais. Até o Pingo Doce lá da minha terriola na beira tinha lá revistas dos X-Men à venda e bem visíveis. E quem realmente gosta de bd, com certeza que acompanha os vários blogs que existem e que também promovem as revistas, ou acompanham as páginas do Facebook que estão relacionadas com a bd.

      Eu acho que mais que as pessoas que não sabem da existência das revistas ou não as encontram à venda, são sobretudo as pessoas que não querem, e quanto a isso o que é que se pode fazer?

      Eliminar
    14. Acrescento que a Panini deveria ter feito maior divulgação, sim. Porém, não há como saber se graças a essa via, o projeto pudesse ter sido mais duradouro.

      Eliminar
    15. pco69, Porco-Aranha, Anónimo,
      Os editoriais são uma mais-valia, sem dúvida alguma.

      Reignfire,
      Houve dois grandes equívocos nesta aventura editorial da Panini: ausência de divulgação/publicidade e inexistência de números atrasados para quem foi descobrindo as colecções. Ainda no mês passado alguém perguntava aqui no blog onde podia encontrar as revistas anteriores ao número 9...
      Acredito que teria feito diferença se estes aspectos tivessem sido contemplados.

      Boas leituras!

      Eliminar
    16. Também agradeço os esclarecimentos do José Freitas e permitam acrescentar que eu fui um dos "resgatados" que comprou (quase) tudo o que a Devir editou e muito graças à boa publicidade inicial que encontrei.

      Quanto às escolhas dos álbuns do projecto Levoir / Publico nunca se irá agradar a todos pelas razões óbvias e quem não quer ver isso certamente que só quer é fazer "barulho".

      Eu aprecio bastante os editoriais, é logo a primeira coisa que leio. Acho que num mercado fragmentado e temporalmente espaçado como o nosso é um elemento muito importante, para não dizer que é mesmo fundamental, para situaremos na cronologia das historias.

      Quanto às razões do falhanço do projecto da Panini acho que já foram muitos explanadas e muito pouco haverá a acrescentar. Não acho que encontrar um bode expiatório alterará seja o que for, a não ser criar mais (algum) mal estar a um comunidade já de si pequena e que precisa é de estar unida e não fragmentada.

      Um abraço

      Eliminar
  2. Quanto às escolhas desta série devo dizer que o X-Women e Contos de Fada não são boas escolhas. Acho que da Marvel há tanta coisa que merecia já ter saído em PT-PT ao invés de querer mostrar um livro com autores portugueses e outro desenhado pelo Manara.

    Quanto a uma não 2ª coleção agora, enfim... não se pode ter tudo. Para um mercado como o nosso, já terem saído 20 HC's este ano, só de Marvel, já não é mau.

    E por outro lado, pode ser uma boa oportunidade para os fãs de bd terem mais dinheiro pra colecionar o XIII, que na minha opinião é um franco-belga adequado também para fãs de comics, ou não estivéssemos a falar do equivalente da bd à saga do Jason Bourne. Eu já tenho até ao 17 (de 23) e aquilo é empolgante e viciante.

    Quanto a uma coleção Marvel futura, se a Levoir seguir a mesma linha desta coleção, com certeza que sagas como Age of Ultron, Infinity, Original Sin e AXIS irão ser publicadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Reignfire,
      Neste tipo de colecções, é necessário ir diversificando, porque as vendas vão diminuindo ao longo do tempo, o que significa que prosseguir uma colecção ao longo de muitas semanas, iria acabar por tornar as vendas pouco interessantes.
      A diversificação de temáticas, permite também chegar a diferentes tipos de leitores.
      Como tu, aconselho vivamente o XIII, uma série muito bem escrita, que foi/é um dos grandes sucessos da BD franco-belga dos últimos 30 anos.
      Quanto a uma futura colecção Marvel, acredito que tens razão em (pelo menos) alguns dos títulos que citas.

      Boas leituras!

      Eliminar
  3. Sera que a Levoir nao poderia lançar um ou dois TPB'S por mes para terminar os arcos que a levoir deixou em aberto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Mário Costa,
      Como respondi ao Tó Coelho, a Levoir não tem qualquer obrigação de concluir o que a Panini deixou a meio e os projectos de ambas são muito diferentes.
      isso não invalida que a Levoir - ou outra empresa - não possa estar interessada em avançar com algo desse género.
      Convém lembrar que tudo isto é muito recente e que há que dar tempo ao tempo para eventuais iniciativas avançarem, até porque qualquer projecto desse género terá de passar por negociações - sempre complicadas - com a Panini europeia, que gere os direitos da Marvel.

      Boas leituras!

      Eliminar
  4. Sim, a Levoir deu-nos a oportunidade de ler muitos bons comics da Marvel(e da DC)em Português, mas era bem bom que também concluíssem(não que tenham-nos deixado na mão como o recente "Paninigate") alguns dos volumes que lançaram..nomeadamente continuar a run do Brubaker no Capitão America e a do Straczynski no Thor, e pa não falar também da a continuação da run do Geoff Johns nos Vingadores, The Search for She-Hulk e já agora o Lionheart of Avalon, que já não é Johns mas tem a arte do grande Olivier Coipel e que conclui co o Avengers Disassembled, já editado pla BDmania!

    Mas plo que vou deduzindo de alguns comentários plo facebook e plos blogs, a Levoir tem um plano pra 2015 (e como diz João Miguel Lameiras num desses comentários: Calma, que 2015 é já daqui a menos de 2 meses e logo em Janeiro vai haver novidades (embora não obrigatoriamente com o Público.)..agora é esperar pra ver.

    Mas até lá podemos ir sonhando e especulando o que virá por ai..e aqui deixo uma lista do que gostaria de ver numa próxima colecção da Marvel:


    -Planeta Hulk(em dois volumes, pleeeeeseeeeeeee);
    -World War Hulk(pra fazer a continuação do Planeta Hulk)
    -Demolidor-Diabo da Guarda(falta Demolidor nas colecções, o homem-sem-medo merece mais :D);
    -Homem-Aranha Tormento;
    -Homem-Aranha: Venom(da run do Todd MAcFarlane na Amazing Spider-Man)
    -Guerra Secreta(do Bendis e Dell'otto);
    -Novos Vingadores(inicio da run do Bendis, 1º volume Break Out);
    -Marvel 1602(do Neil Gaiman, sim já saiu em pt, mas tal como o Marvels que teve lugar nesta colecção, já é altura de reeditar co o acabamento de luxo que a Levoir tem vindo a nos acostumar);
    -Wolverine: Origin(reeditar o 1º e aproveitava-se e lançava-se o 2º).

    ps: e uma nova colecção da DC, pff

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Head-Jam,
      Calma, mesmo. O João Miguel Lameiras tem toda a razão.
      Vamos ao XIII, primeiro!
      E sim, já em Janeiro vem aí uma nova colecção, que conto anunciar muito em breve, integrada num plano mais vasto da Levoir para 2015 que já está em grande parte aprovado. Plano que prevê colecções de vários géneros - e sim, uma delas é DC, mas... - passiveis de agradar a vários nichos de leitores de BD. Mas há que dar algum tempo, para que os acordos necessários sejam finalizados.

      Boas leituras!

      Eliminar
    2. Muito boas noticias então:D

      Eliminar
    3. "e sim, uma delas é DC, mas... - passiveis de agradar a vários nichos de leitores de BD."

      Há obras-primas que mereciam sair em português como Watchmen, V for Vendetta, Camelot 3000, Ronin, Golden Age, Spirit, Saga of Swamp Thing, Starman, mas não sei se excetuando os 1ºs dois, se os outros seriam viáveis. E só isto já davam 12 volumes. :P

      Eliminar
  5. "era bem bom que também concluíssem(não que tenham-nos deixado na mão como o recente "Paninigate") alguns dos volumes que lançaram..nomeadamente continuar a run do Brubaker no Capitão America e a do Straczynski no Thor"

    "Novos Vingadores(inicio da run do Bendis, 1º volume Break Out);"

    Tás a falar a sério? Ora vejamos: Run de Ed Brubacker em Capitão América - 20 tpb's. O run do Thor são 3. Parace-me mais realista.O run do Bendis contando com New Avengers, Illuminati, Avengers, Mighty Avengers, Avengers Assemble e Dark Avengers são ao todo 30 tpb's. Só de New Avengers são 18 tpb's. Na minha opinião, se é pra lançar material de um run que seja algo mesmo auto-contido. O conjunto dos 2 HC's do Capitão América do Soldado Invernal é auto-contido, mas deixa imensas pontas soltas, e é essas pontas soltas seriam mais 18 HC's. É muita coisa. (Nota: apesar de tudo, não estou a criticar a publicação da saga do Soldado Invernal, porque considero que valeu a pena devido a ligação ao filme)
    Não concordo com relançamentos quando ainda existe tanto material por lançar. O Origin então seria a 2ª reedição. Eu tinha dado outras sugestões noutro blog: http://www.naopercas.com/online/333/albuns-marvel-dc-que-a-levoir-devia-publicar-em-portugal/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pronto, fiz-me entender mal..quando falo em completar as runs de certos autores não estou a falar de tudo o que eles fizeram com os personagens(se bem que é isso que dei a entender).

      Por exemplo, a fase do Brubacker no Capitão América podia ser "completada" até à morte do Steve Rogers, ou plo menos a run do Red Menace. Claro que a fase em que o Bucky empunha o escudo é muito boa, mas ter isso tudo publicado é um sonho muito distante.

      Do Bendis não falo de tudo o que o homem escreveu na Marvel(isso então seria ridiculo), só mesmo os Novos Vingadores, e mesmo só os três primeiros tpbs, acho que já dão uma boa run.

      Do Straczynski no Thor os dois tpb seguintes que completam a run dele no Deus do Trovão, são os mais essenciais.

      Eliminar
  6. Voltando à coleção que hoje termina, a saga dos 2 volumes de Vingadores Para Sempre (não ficaria melhor, Vingadores Eternamente?) apesar da bela arte de Carlos Pacheco e Jesus Merino, é demasiado verborreico que cansa o leitor, mas ainda assim achei uma boa saga.

    ResponderEliminar
  7. Quanto a mim, leio sempre os editoriais. São uma mais-valia para os livros. E sim, acho que fez todo o sentido vermos um mestre da BD como Manara numa colecção Marvel. E a edição Contos Marvel permitiu-me conhecer o trabalho de autores portugueses em comics (e não terei sido o único).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, HLM,
      Acho os editoriais e outros artigos importantes para quem saber um pouco mais além da história que leu.
      Pessoalmente aprendi muito do que sei de BD nos artigos que fui lendo nas revistas que coleccionei, a começar pelo Mundo de Aventuras que considero a minha 'universidade' no que à BD diz respeito!

      Boas leituras!

      Eliminar
  8. Os conteúdos desta coleção já estavam decididos há já algum tempo tempo. Se não tivesse sido publicado o volume do Manara este ano, duvido que viesse algum dia a sair. Isto porque a polémica Marvel Spider-Woman Manara irá continuar a pairar, ainda mais após a publicação da dita capa na qual a Marvel faz uns retoques, censurando a mesma. Acredito que os verdadeiros fãs de Manara nem queiram comprar mais material que tenha sido publicado pela Marvel.

    ResponderEliminar
  9. Aproveito este tópico pra responder ao Cesário numa questão que ele tinha referido noutro tópico a dar a ideia de que nós éramos uns coitadinhos e que em todos os sítios se publicava Marvel e só nós é que tínhamos projetos que eram cancelados. Não é assim. Na verdade, na Europa a Panini tem mercados muito fortes em Espanha, França, Alemanha e Itália, e por via da distribuição também estão presentes em Portugal, Bélgica, Áustria, Suíça, Luxemburgo. E os países em cujas línguas não sejam o espanhol, francês, alemão, italiano ou o português?

    Eu tive a investigar que o mercado dos comics editados em vários países europeus é muito similar ou mais pequeno que o nosso. Se eu disser algo que está errado espero que me corrigem. Julgo que Dinamarca, Suécia e Noruega já nem têm uma revista regular Marvel. Acho que na Dinamarca a G-Floy é que vai publicando uns TPB's e o catálogo é muito semelhante àquilo que a Devir, G-Floy e a BDMania editam ou editaram. Na Finlândia, pelos vistos têm uma revista +/- mensal do Aranha e vão lançando TPB's de vez em quando. Países como Bulgária, Grécia, Croácia, Holanda, Roménia nem sequer têm já edições nacionais de Marvel ou DC. Hungria ou Polónia publicam muito pouco. Na Hungria é engraçado que ainda estão a publicar a fase respeitante a 2008. Portanto assim como o nosso país, maioria dos fãs de comics de vários países europeus obrigam-se a comprar em inglês. Por outro lado, na República Checa por acaso até têm um catálogo bastante interessante de encadernados Marvel, DC, Vertigo e Walking Dead e ainda publicam bimestralmente a revista Ultimate Spider-Man & X-Men em revistas de 100 páginas.

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  11. Retifico que na Polónia também está a sair quinzenalmente a Marvel Grapihc Novel Collection e que as bd's lançadas na República Checa são distribuídas na Eslováquia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Reignfire,
      Obrigado pelo trabalho de pesquisa!

      Boas leituras!

      Eliminar
  12. Boas Pedro, gostaria só de deixar aqui apenas algumas palavras em relação à Panini e Levoir, à Panini o meu desagrado porque achando que as revistas e as histórias eram de boa qualidade, nunca pensei que acabassem tão abruptamente com as sagas inacabadas, mas agora é uma questão de paciência, até conseguir ver a conclusão das fases Superior Spider-man ou até X-Men nas edições Brasileiras e ter alguma esperança numa possível edição da saga “Infinity” (Que estava mesmo a gostar), até lá tenho muita BD nas estantes para por em dia.
    Em relação à Levoir, o meu apontamento é extremamente positivo pela edição de histórias e sagas monumentais, que marcaram (e marcam) os universos Marvel e DC (muito obrigado mesmo pela edição da “Crise nas terras Infinitas” entre outras).
    Como aqui foi referido pelo José Freitas, os leitores também contribuem para a sugestão das histórias, e eu como tantos outros amantes de BD, também enviei algumas, e com a enorme satisfação de ter visto algumas delas editadas.
    Enquanto faço a coleção “XII”, vou já aguardando a boa nova que foi anunciada para 2015; a coleção dos 75 anos do Batman.
    Só uma nota em relação aos editoriais; fazem parte importante do conjunto de excelente material que são as histórias, capa dura e papel de qualidade, que nos apresentam os argumentistas/desenhadores e nos ajudam a contextualizar a história, época, etc.
    E é só isto…Continuem, um grande bem haja e um 2015 cheio de boas leituras como diria o Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Homem do Leme,
      Obrigado pela participação aqui no blog.
      Depois de XIII e do Batman, há mais edições - muito boas - a caminho!

      Boas leituras e... um óptimo 2015!

      Eliminar
  13. Eu sou brasileiro e vivi no Japão durante muitos anos na terra do meu falecido avô. Curiosamente foi lá que comecei a ler BD em português do Brasil e alguns mangas. Em 2009 conheci minha esposa que é de cá, e um dia para me agradar, deu-mo o primeiro livro da primeira coleção dos heróis Marvel do homem-aranha. A partir daí, tornei-me um fã das bd desenhadas que estão sempre a sair aqui em Portugal. As leituras têm me ajudado muito a aprender cada vez mais o português europeu. Espero que continuem a vender muito, pois da minha parte, as compras estão garantidas. Um grande abraço a todos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O sucesso das edições garante para já sua continuidade, Thiago.

      Boas leituras e... um óptimo 2015!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...