Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

03/11/2014

Marvel Now em Novembro: o fim das edições em português

(Panini Comics)






Esta é uma notícia que As leituras do Pedro não queriam dar: as revistas Marvel em português de Novembro – cujas capas e previews estão no final deste texto – serão as últimas, de uma aventura editorial atabalhoada e conduzida de modo pouco profissional.
O desenvolvimento vem já a seguir.

Os primeiros rumores começaram no início de Setembro, logo após as férias. Na altura, contactada por As Leituras do Pedro, a Panini espanhola negou o cancelamento e adiantou uma possível remodelação – aqui referida – que deveria ter lugar no início de 2015, após conclusão de todos os arcos em curso, e passaria pela diminuição de títulos mensais (previsivelmente de 3 para 2) e por uma maior aposta (mensal?) nos TPB.
Agora menos de dois meses volvidos, a notícia – já confirmada por fontes espanhola e portuguesa - cai como uma bomba mesmo junto de quem, em Espanha, tinha negociado com a direcção da Panini (e conseguido aprovação d)os novos moldes atrás referidos. A decisão, sem apelo, cancela inclusive as revistas de Dezembro, que já estavam traduzidas e em fase de produção.
Infelizmente, ninguém poderá considerar isto verdadeiramente uma surpresa, dada a forma desastrada como todo o processo foi conduzido: o lançamento fez-se sem qualquer tipo de publicidade ou comunicados à imprensa; a divulgação limitou-se sempre ao envio de capas e previews aos blogs especializados; a distribuição foi má e demorou a garantir fidelização aos pontos de venda; nunca houve números atrasados para completar as colecções dos que iam descobrindo as revistas em banca. Como consequência, as vendas andaram sempre abaixo do esperado.
O final, será como o início: sem divulgação nem comunicado, de forma (quase) anónima e, agora, (justamente) envergonhada.
De uma aventura – e o termo parece-me muito ajustado – mal preparada e sem bases sólidas – apesar de ser encabeçada pela casa que em Espanha lança dezenas de títulos mensais – sobra pouco de positivo: - a conclusão do arco Homem-Aranha Superior (embora fique por editar uma história que de alguma forma o fechava) e a edição de três dezenas de revistas e de sete volumes com arcos completos, de muito boa qualidade gráfica e editorial e com material muito recente em relação à data de publicação original nos Estados Unidos.
Fica ainda, como triste legado, a certeza de que a edição de revistas Marvel em Portugal será uma miragem durante os próximos (muitos?) anos porque, apesar do que originou este fracasso, a única memória que em breve restará será uma aventura que durou apenas 10 números. Potenciais editores questionarão se o mercado sustenta revistas regulares Marvel; os leitores ficam escaldados em relação a propostas que possam vir a surgir.
Neste momento, como único consolo, resta a notícia de que já há uma outra editora interessada em editar Marvel em Portugal, tendo a Panini já na sua posse um plano editorial que contempla apenas volumes completos, não revistas regulares.

Concluo com as capas e previews dos números #10 de Vingadores, X-Men e Homem-Aranha Superior.
5 de Novembro
Vingadores #10
3,95 €








12 de Novembro
X-Men #10
3,50 €








26 de Novembro
Homem-Aranha Superior #10
3,50 €








85 comentários:

  1. Se por um lado já era algo previsível, pelo menos para quem já anda nestas lides à tempo suficiente e já habituado a saber que mais cedo ou mais tarde as publicações vão terminar sem gloria, não deixa de ser um golpe rude em todos nós que gostamos de BD.

    Cada vez mais prefiro de o método que tem sido empregue pela Levoir, com arcos completos e assim ninguém fica "pendurado", tem alguns inconvenientes, mas sempre é melhor do que isto o que aconteceu.

    Enfim, mas algum tempo a fazer uma travessia no deserto para daqui uns tempos ver um outro projecto tentar o mesmo e voltar a falhar, infelizmente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Marco Lopes, era previsível pela falta de divulgação que houve.
      Um pouco menos, pelo facto de ter havido aprovação da remodelação do projecto...
      Pode ser que muito em breve surja algo mais, a par das edições da Levoir.

      Boas leituras!

      Eliminar
  2. Triste notícia mas adiantada aqui por mim à algum tempo atrás se bem se lembram.

    Quando houve a discussão aqui sobre o formatinho, e aqui vieram muitas pessoas dizer que preferiam o formato atual, e que depois até se verificou serem menos do que as que queriam o formatinho, eu disse o seguinte: estamos num país de Fiats Puntos e queremos ter Ferraris.

    Disse que era uma questão de tempo até isto acontecer.

    Vejam o exemplo Disney.

    De resto concordo com todas as razões apontada pelo Pedro para o fracasso desta aventura, e até lhe acrescentaria mais algumas (muitas).

    Um abraço a todos os amigos do blog.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro The Nest Big Thing,
      Para mim o grande problema foi a falta de divulgação e de números atrasados.
      Tanto fazia formatinho como este formato ou outro qualquer, que o resultado seria o mesmo. Não foi feito trabalho de casa ou, melhor, não foi prestada atenção ao trabalho de casa que até foi fornecido...

      Boas leituras!

      Eliminar
  3. O que me deixa mais f***** é o facto de que vão cancelar Superior Spider-Man quando faltava apenas uma edição pró fim. UMA!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens toda a razão, Reignfire, embora a informação que eu tenho é que o que falta é relativamente acessório... Confirmas?

      Boas leituras!

      Eliminar
    2. Não. Falta sair o Superior Spider-Man #31 que é a conclusão da saga Goblin Nation e o regresso do verdadeiro Peter Parker.

      Eliminar
  4. Em relação ao formatinho, desde que a Panini assumiu a distribuição da Marvel fora da América do Norte que esse formato não era permitido, razão pela qual nem os brasileiros nem os italianos o usam. A distribuição em banca hoje em dia é caótica, com a VASP a funcionar num regime semi-mafioso e a Urbanos (ex-Midesa) a trabalhar... bem, imaginem um grupo de meia dúzia de janados a tentar planear o roubo do Ocean's 11. Depois, as revistas têm que atingir certos mínimos para serem lucrativas, e esses mínimos, em banca, já não existem (e têm que ser muito superiores à tiragem de qualquer album) no mercado actual.

    Em todo o caso, e isto já é verdade há muito tempo, a Panini devia apostar num melhor aproveitamento das sobras brasileiras, pois o mercado comporta perfeitamente este modelo de negócio, que nunca devia ter acabado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acabou e continua, Paulo Costa.
      O grande problema é que os tempos são outros e o negócio das bancas também. Mas que esse é outro negócio mal explorado, estamos de acordo.

      Boas leituras!

      Eliminar
  5. Eu gostaria que por este transtorno a Panini pudesse tentar de certa forma nos compensar deste transtorno, com as edições brasileiras. Que pra compensar os pendurados Vingadores X, Capitão América, Homem-de-Ferro e Thor, pudessem sair cá as edições brasileiras Avante Vingadores, Capitão América & Gavião Arqueiro e Homem-de-Ferro & Thor. Agradeço que alguém com connects possa fazer isso. E que não venham dizer que não há mercado pra estas, porque se saem trilhentas edições da Turma da Mônica e afins, mais 3 revistas mensais de Marvel, não irão causar grande mossa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que gostavas, Reignfire, mas não estou a ver forma de isso acontecer...

      Boas leituras!

      Eliminar
  6. Pessoal a Panini acaba de desmentir esta informação, num outro blog, e diz que as ediçoes portuguesas vao continuar.

    YUPIIIIIIII :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mário, contém lá a alegria. O que o post no dito blog diz: "Não é possível confirmar, porque a informação é incorrecta." Ou seja: "Não é possível confirmar", mas também não desmente. "porque a informação é incorrecta." - quem quer que respondeu ao mail pode ter dito isto por 3 motivos: a) porque realmente não há cancelamentos; b) porque confundiu as edições PT-PT com as PT-BR, que parece que continuarão, não é? c) porque a dita pessoa da Panini ainda não obteve a informação do cancelamento e assume-o como falso.

      O meu discurso vai pra: Depois de um post num blog a confirmar o cancelamento e de outro, noutro blog a não confirmar esse cancelamento, estou naquela, e parece-me que irá continuar assim nas próximas semanas. Cá pra mim a confirmação só será feita no final do mês. Se os bloguistas receberem o checklist de dezembro e lá só vierem incluídas as edições brasileiras, pronto, já sabemos o que aconteceu.

      Eliminar
  7. em que outro blog está essa informação?... de qualquer modo, as fontes do pedro cleto são habitualmente as mais fiáveis... é uma triste notícia, raios!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela confiança, Esgar.
      Infelizmente tudo continua a apontar no mesmo sentido...

      Boas leituras!

      Eliminar
  8. Entao só nos resta mesmo esperar, e ver realmente o que vai acontecer. Bahhh

    ResponderEliminar
  9. Como assim cancelarao ou nao!!!!os problemas referidos são reais.pode haver confusão com as br,mas Tambem pode ser conveniente manter o cancelamento nao divulgado por agora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim, Optimus, para tentarem vender alguma coisa dos números deste mês.
      Até porque continua a haver pessoas que só agora descobriram as revistas. No fim-de-semana contactaram-me a perguntar onde arranjar os números 1 a 8...

      Boas leituras!

      Eliminar
  10. Começando já a ver o futuro:

    - X-Men - Batalha pelo Átomo continua por acaso na #11 brasileira que sai em maio.
    - Vingadores - Infinito continua na edição #11 brasileira, também por acaso, que sai em abril, porém a saga principal tem de ser comprada à parte.
    - Homem-Aranha Superior - ainda sem previsão

    ResponderEliminar
  11. Não convêm eles confirmarem o cancelamento pois poderia afectar as vendas deste mês de forma negativa. No entanto fico desiludido com esta notícia. Eu como consumidor deste produto e tendo noção de tantas falhas nada vi para mudarem de rumo. Como profissional de marketing tenho algumas ideias mesmo só conhecendo o mercado vagamente uma vez que nunca trabalhei neste meio. Fica a dica para a próxima editora se me quiserem dar uma hipótese hehehe. (Jopac)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tambem percebo de marketing só nao é nesta area de ser facil mesmo para quem nao tem ver nasceu torto.quanto ao formatinho ele tambem falhou

      Eliminar
    2. Optimus Primal sinceramente não percebi o " area de ser facil mesmo para quem nao tem ver nasceu torto" e ainda percebi menos a parte do "formatinho"... Se leres bem não mencionei que seria fácil nem nada que referisse o tal formatinho. Não comento muitas vezes e até conheço as tuas opiniões presentes em vários sites e blogs e concordo contigo a maioria das vezes mas desta não foi uma delas porque também achei fora de contexto e nada haver (Jopac)

      Eliminar
    3. Para quem nao tem formação de marketing de qualquer area ve que este projeto nasceu torto.espero que esteja claro agora jopac,o bitaite do formatinho nao era para mas outra pessoa,maldito teclado de tablet.e para quem disse que devir era melhor nao era nem é quem deixou new x men sem fim quem nao pubicou avengers dissembled foi a luso brasileira devir

      Eliminar
  12. Malditos Espanhois.

    O problema não são as vendas, não é o público, não é a divulgação, mas sim estarmos nas mãos dos palermas dos Espanhois que continuam a querer fazer lucro com as sobras dos brasileiros.

    A presença das sobras junto do material Português não foi inocente e este era o objectivo desde o início. Fazer uma experiência de 9 meses e mais nada.

    Fiquei admirado. Infelizmente, não. Mas enquanto não existir uma editora PORTUGUESA a tomar conta deste material nunca o leitor Português será respeitado.

    A DEVIR foi a melhor editora que tivemos, mas infelizmente não a soubemos acarinhar e tiraram-lhe os direitos de publicação no nosso país. Isso de existir outra editora interessada não me dá qualquer esperança. Levoir(espanhois), G-Floy(dinamarquesa), vai tudo dar ao mesmo, experiências neste nicho de mercado que é o mercado Português e os leitores que se lixem.

    Não admira que tenhamos Comic Con recheada de autores espanhois, são eles que nos dominam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "O problema não são as vendas"

      O principal problema sempre foram as vendas. Perguntas ao ex-editor da editora portuguesa da Abril /Controljornal, perguntas ao ex-editor da editora com filial portuguesa Devir e vão-te dizer o mesmo. E falando da Devir, sabes porque é que nunca saiu o Quarteto Fantástico: Para Além da Imaginação - parte 2? O volume 1 teve vendas julgo que na ordem dos 15%. E em tudo o que era comics, sobretudo mensais, sempre tiveram as vendas a cair a pique. Daí terem cancelado os mensais e quiseram renovar com a tal revolução que nunca chegou a acontecer, porque provavelmente já nem havia dinheiro pra levar o projeto prá frente. Foram as vendas? Sem dúvida, porque se as vendas continuassem aceitáveis pelo menos, as publicações teriam continuado a sair. Foram outros problemas como má gestão, por exemplo? Provavelmente nunca viremos a saber.

      "Mas enquanto não existir uma editora PORTUGUESA a tomar conta deste material nunca o leitor Português será respeitado."

      Mas quem é a editora portuguesa que quer publicar comics? Quem é que quer apostar num produto que sempre vendeu mal? Quem é que quer perder dinheiro? Quem é que quer investir e tem dinheiro pra isso? Mesmo a Asa que faz parte dum grande grupo editorial, este ano devem-se contar pelos dedos os livros que publicou fora das coleções com jornais, aliás, pelo contrário, já perdeu os direitos de séries pra outras editoras.

      "A DEVIR foi a melhor editora que tivemos, mas infelizmente não a soubemos acarinhar e tiraram-lhe os direitos de publicação no nosso país."

      Foram-lhes tirados os direitos de preferência, mas julgo que nunca foram impedidos de lançar Marvel. E foram retirados porquê? A editora já não estava a publicar nada mesmo. E esses direitos foram cedidos à portuguesa BDMania e que também ao final de 2-3 anos, deixou de publicar e porque terá sido? Porque não foram acarinhados?

      É triste dizer isto, mas já várias pessoas ligadas ao setor mo disseram e devem continuar a dizer uma de duas: a) o mercado da bd em Portugal é muito pequeno; b) não há mercado pra lançar bd em Portugal.

      Eu da parte que me toca a mim e a alguns outros, posso referir que saindo as revistas brasileiras prás bancas, já não é mau. Sempre é uma forma de ler bd em português e a preços simpáticos e sempre temos uma referência de Marvel e DC nas bancas. Assim como é bom termos as coleções com a Levoir pois em termos gerais, têm feito por lançar coisas com boa relação qualidade-preço que nunca antes tinham saído em Portugal, quando duvido que outros tivessem dispostos a fazer o mesmo.

      Eliminar
    2. Foi me informado que a Levoir é portuguesa, apesar do seu site ter domínio espanhol.

      Eliminar
  13. A Panini segundo outro blog, voltou a confirmar que as ediçoes portuguesas vao continuar, e referiu-se mesmo ás nacionais e nao ás pt-br como se especulou por aqui

    ResponderEliminar
  14. nao sei se é permitido referir outros blogs aqui, mas é o universobd.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem problema, Mário.
      O Rui Ferreira tem feito um bom trabalho.

      Boas leituras!

      Eliminar
  15. A confirmar-se a notícia, há a referir o seguinte também:

    - Não me lembro de alguma editora, muito menos a Panini nalgum país, ter cancelado uma linha editorial completa em 10 meses.

    - Seria desprestigiante sobretudo para uma marca como a Panini cancelar títulos como no caso do Aranha Superior, faltando apenas uma edição para a conclusão da série.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já é desprestigiante, Reignfire.
      A maneira como tudo foi tratado desde o início não traz honra nem prestígio a ninguém...

      Boas leituras!

      Eliminar
  16. Na Argentina, eles cancelaram toda linha Marvel em menos de 1 ano, isso aconteceu a uns 6 anos atrás.

    ResponderEliminar
  17. Tenho certeza que o Pedro tem suas fontes confiáveis, e em breve falará mais a respeito do fim ou não da linha Marvel Now.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado ale.neves08,
      Até agora tudo continua como indicado no texto, os poucos desenvolvimentos de que tive conhecimento apontam na mesma direcção.
      Era o primeiro a ficar satisfeito se tivesse de desmentir o que escrevi.

      Boas leituras!

      Eliminar
  18. Como amante de bd não perdi nenhum dos nº lançados ate agora e foi com grande tristeza que li este post... espero que seja mentira, porque apesar de todos os defeitos e problemas que tinha era das poucas companhias que se chegaram a frente para apresentar trabalho em pt-pt.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo,
      Como escrevi atrás, eu era o primeiro a ficar satisfeito se em breve tivesse de desmentir o que escrevo acima, mas não me parece...

      Boas leituras!

      Eliminar
  19. Quando é referido que o plano inicial pra 2015 seria pra passar de 3 pra 2 mensais, diria que a intenção seria manter Vingadores e X-Men mensais e Aranha, por ventura sair em TPBs de vez em quando. Pois com um novo mensal do Aranha atingiríamos a numeração americana muito rapidamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa informação não tenho, Reignfire, mas o que dizes faz sentido.
      Possivelmente nunca viremos a saber.

      Boas leituras!

      Eliminar
  20. Talvez o preço das edições portuguesas sejam caras, e a qualidade do papel deveria mudar para a mesma qualidade das edições BR, assim os custos finais seriam mais baixos para o leitor luso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim, deviam ser de borla. aliás, a panini devia pagar para lermos! :D

      Eliminar
  21. A parte mais inacreditável desta notícia é o facto de já haver uma editora que irá pegar no universo Marvel, após os cancelamentos. Mas quem é que no seu perfeito juízo se vai meter num negócio logo imediatamente após o falhanço do seu antecessor? Ainda mais quando o antecessor foi a própria Panini. Isto em bd em Portugal nunca aconteceu. Não acredito que surja já em 2015 uma editora bondosa que queira ser solidária com os leitores de comics em Portugal. Convém lembrar que este não é propriamente o negócio mais rentável no nosso país. E também convém lembrar que a Marvel parece que pró ano irá sofrer uma viragem que não se sabe o que irá acontecer com o Secret Wars. Acredito que só aparecesse alguém a querer aventurar-se no universo Marvel em Portugal, no mínimo lá pra meados de 2016.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo o teu raciocínio, Reignfire, mas tenho tanta confiança nessa parte, como no resto da notícia...

      Boas leituras!

      Eliminar
  22. Fui à pouco ao meu habitual ponto de venda e como já me conhecem "apresentaram-me" logo o revista X-Men n. 10 que só é suposto sair quarta-feira (12 de Novembro).

    Não sei se foi engano ou apenas a confirmação de que algo vai (mesmo) mal, mas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já é o segundo 'engano' do mês, Marco Lopes...

      Boas leituras!

      Eliminar
  23. Ao contrário do que alguns dizem na realidade a culpa não é da Panini..da Marvel...e muito menos dos espanhóis! Aliás é triste constatar que tem que ser estes a lembrarem se dos tugas que gostam de BD..isso diz tudo sobre a mentalidade deste pobre pagode que na sua grande maioria ouve a merda dos Carreiras..lê a porcaria do Correio da Manha e só consome bola...isso sim é a causa do insucesso das revistas...por isso há que encarar a realidade e não arranjar pretextos para este fracasso...quanto ao preço...que culpa tem os espanhóis que os tugas ganhem uma miséria em Portugal?? 3,5 euros por uma revista desta qualidade é quase dada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os Espanhois tem culpa, porque são eles que ditam como as publicações são lançadas no nosso país e de que maneira são distribuídas ou divulgadas nos meios de comunicação.

      Acredita que se os Espanhois quisessem mesmo editar como deve ser tinhas uma campanha publicitária massiva destes produtos em tudo o que é canal televisivo para crianças / jovens como fazem com outros produtos da Panini (cromos e outras minhoquices).

      Volto a dizer que o problema não são as vendas, porque se assim fosse já tinham aplicado estrategias há muito para serem mais visiveis em bancas.

      Quando dás primazia aos hipermercados como distribuidores das BDs ao invés das livrarias estás a dizer desde o principio que te estás a marimbar para o tratamento que o teu produto leva nos locais de venda. É vergonhoso ver onde se encontram estas publicações nas grandes superficies, já as cheguei a ver no meio do chão. Ninguèm vê isso a acontecer com os produtos da Goody que têm 4 ou 5 expositores fornecidos pela editora.

      Para mim isto foi uma estratégia maquiavélica da própria editora espanhola para provar a quem está a Portugal que se querem ler comics tem de ser com as sobras dos brasileiros porque eles não estão para chatear as suas equipas com os materiais portugueses.

      Quando me referi à Devir, por mais problemas que ela pudesse ter, há que sempre enaltece-la pelo facto de ter sido uma equipa Portuguesa a produzir tudo do principio ao fim. O que o Optimus refere de terem ficado volumes por publicar não foi culpa da Devir, mas da própria Panini que ao ver que as vendas na altura estavam a ficar reduzidas retiraram os direitos de publicação a essa editora e venderam-nas na altura a quem estava disposto a pagar, na altura a BD Mania, que apesar de saber vender franco-belgas, não tinha grande interesse em produzir material de comics porque por trás existe uma loja que importa os comics para Portugal e por isso nunca iriam matar a sua galinha dos ovos de ouro produzindo material mensal de melhor qualidade e a preços mais acessiveis que os originais americanos que vendem na sua livraria.

      Há uns tempos o José de Freitas explicava até que as revistas não vendiam e a ideia da Panini no nosso país era vender compilações. Parece pois então que será o que vai acontecer.

      Infelizmente, quem compra em Portugal são apenas pequenas engrenagens na grande máquina de fazer dinheiro que é a Panini e quanto continuarem a ser os Espanhois a deterem os direitos para publicar material no nosso país as sobras serão o prato do dia para os leitores.

      PS: Um comic é tão "pimba", como o Tony, o CM, ou o Futebol, a diferença é que os 3 têm equipas de marketing competentes por trás desses produtos e os comics em Portugal têm uma equipa de marketing espanhola que não conhece o consumidor Português e que se está a marimbar, porque se tal não fosse teriamos outdoors gigantes em todas as paragens de autocarros, spots publicitários nos intervalos dos reality shows como as colecções da Levoir/Publico tem tido.

      Comics é cultura popular, tem de ser divulgada como tal, os espanhois quiserem fazer isto o mais discreto possível porque o objectivo era ganhar o máximo de dinheiro investindo o mínimo possível. Quando assim é o resultado só pode ser um.

      Eliminar
    2. "3,5 euros por uma revista desta qualidade é quase dada!"

      DADA?! Voltando a referir o que tinha dito noutro tópico, em Itália por 3.50€ pagas por uma revista de 80 páginas que compila 4 comics e em França e Bélgica pagas 4.80€ por uma revista com lombada de 112 a 120 páginas e que compila 5 comics. Agora compara o nível de vida nesses países com o nosso, e diz-me lá onde é que as revistas são dadas.

      Eliminar
    3. "estrategias há muito para serem mais visiveis em bancas."

      A tiragem destas revistas é muito pequena, e logo por aí elas não podem chegar a todo o lado e em quantidades.

      "É vergonhoso ver onde se encontram estas publicações nas grandes superficies, já as cheguei a ver no meio do chão. Ninguèm vê isso a acontecer com os produtos da Goody que têm 4 ou 5 expositores fornecidos pela editora."

      Mas a editora tem lá culpa das revistas estarem no chão? E lá porque a Goody forneceu expositores, lá é obrigação da Panini andar a produzir expositores prás revistas? A TV Guia ou a Maria lá algum dia precisaram de expositores?

      "Para mim isto foi uma estratégia maquiavélica da própria editora espanhola para provar a quem está a Portugal que se querem ler comics tem de ser com as sobras dos brasileiros porque eles não estão para chatear as suas equipas com os materiais portugueses."

      Eu não percebo o porquê da Panini ter investido no mercado português. Uma editora que nunca quis saber de nós, a meter-se a editar em Portugal - um país que não interessa e onde a bd não vende. E a Panini envia as Marvel e DC pra cá, não porque ela própria assim quer. Acredita que se pudessem, não o fariam. Só o fazem porque o contrato que têm com a Maurício de Souza Produções (MSP) obriga a enviar todo o seu catálogo pra Portugal, e eles aproveitam e enviam também algumas Marvel e DC, e assim incluem Portugal nas estatísticas dos países onde é publicado Marvel e DC. Se a MSP decidir mudar de editora, os Marvel e DC deixam de sair cá, não tenhamos dúvidas.

      "BD Mania, que apesar de saber vender franco-belgas"

      A BDMania ou a Vitamina BD já não edita franco-belga há quantos anos e porquê?

      "não tinha grande interesse em produzir material de comics"

      Então a BDMania editou TPB's e HC's porque a Panini lhes apontou uma arma à cabeça obrigando-os a tal? E sabias que a BDMania também editou livros da Dark Horse, ou seja, livros do qual deduzo que a Panini nem teve nada a ver? Deve ter sido a Dark Horse que também os obrigou, porque eles não estavam nada interessados nisso.

      "as sobras serão o prato do dia para os leitores."

      Em 1º lugar, não são sobras. São revistas reservadas de antemão pra ser distribuídas em Portugal. Em 2º lugar, tens alguma coisa contra em recebermos revistas brasileiras? Não gostas, não compras. Eu continuo a dizer, entre as revistas brasileiras e nada, venham as brasileiras. São mais baratas e tudo.

      "e quanto continuarem a ser os Espanhois a deterem os direitos para publicar material no nosso país"

      Às vezes o facto de serem estrangeiros a deterem os royalties pra Portugal, pode ser bom. Que o digam aqueles que compraram os 70 HC's da coleção Star Wars da Planeta DeAgostini.

      "e os comics em Portugal têm uma equipa de marketing espanhola que não conhece o consumidor Português"

      E tu conheces tanto ou menos que eles. O principal problema da bd em Portugal é o preconceito da população relativamente a ela. A generalidade das pessoas não compra bd porque não gostam, porque não lhe interessa, porque não conhecem, porque parece foleiro comprar revistas do Homem-Aranha. Lembro bem quando andava no 8º ano, colegas meus gozarem comigo a dizerem que parecia uma criança porque lia revistas dos X-Men. Um exemplo do preconceito da população em relação à bd: o manga da adaptação do filme Twilight. A Gailivro - a mesma que lançou a coleção dos romances - lançou o 1º manga (de 2) ainda em plena altura em que a trilogia de romances e filmes estavam no auge. O 2º manga nunca saiu e a trilogia continua a vender e a ser reeditada provavelmente. E o 1º manga está atualmente à venda a 1/4 do preço original no site da Leya. Se tivesse vendido bem, o 2º volume teria sido lançado. Ou seja, mesmo em produtos que estão em voga a bd não vende. Super-heróis - idem. Muita gente adorou ver os filmes da franquia dos Vingadores, X-Men e Guardiões da Galáxia, mas perguntas a eles se querem comprar as bd's e dizem-te que não gostam.

      Eliminar
    4. "A tiragem destas revistas é muito pequena, e logo por aí elas não podem chegar a todo o lado e em quantidades."

      Por isso mesmo deviam ter investido em publicidade e não em cheques chorudos para as grandes superfícies lhes comprarem quase a totalidade das paletes dos exemplares que imprimiram.

      Assim chegaria a todo o país e as pessoas estariam informadas do novo produto.

      Como tomaram conhecimento das edições da A/CJ?

      Pelas publicidade que na altura passava ininterruptamente nos intervalos dos desenhos animados dos 3 canais televisivos. E nessa altura a internet ainda não servia sequer de meio de divulgação.

      Como se soube do material da Goody?

      Mais uma vez publicidade nos canais televisivos, publicidade intensa em todos os meios. E volto a falar dos expositores próprios, porque são sem qualquer dúvida uma prova do esforço e interesse da Goody em fazer o seu produto vingar nas bancas.

      "Em 1º lugar, não são sobras. São revistas reservadas de antemão pra ser distribuídas em Portugal."

      A sério que acreditas nisso? Com o material a chegar amachucado, rasgado e com aspecto envelhecido? Este material, como bem sabes, saiu há quase um ano no Brasil, é de uma ingenuidade achar que isto não são sobras quando se vê claramente que este material já rodou por todo o Brasil.

      Em 2º lugar, tens alguma coisa contra em recebermos revistas brasileiras? Não gostas, não compras.

      Não compro, não senhor. Prefiro comprar material produzido em Portugal, por equipas criativas portuguesas e que de preferência tenha um canal de comunicação que oiça as minhas sugestões/criticas e que esteja ciente do que interessa ou não ao consumidor Português.

      "Eu continuo a dizer, entre as revistas brasileiras e nada, venham as brasileiras. São mais baratas e tudo."

      E é por opiniões como a tua que este projecto vai acabar 11 meses depois. Logo quando apareceram as sobras ranhosas a editar exactamente o que saia no material Português que eu achei que havia de surgir muita gente que teria a mesma opinião que tu ao ver as edições mais baratas e ranhosas ao lado das Portuguesas.

      Não é pelo estigma social que referes que o projecto está em risco, mas por pessoas como tu que se acomodam em comer "uva mijona barata" não estarem para pagar mais uns cêntimos por produtos de comprovada qualidade.

      Se há um mês afirmei que obrigar o comprador a pagar mais 45 cêntimos era injusto, não foi por achar que o produto não tinha qualidade para isso, mas sim por estarem a obrigar o leitor a pagar mais por erros dos próprios. Isto é, para mim a súbida do preço justificada pelo aumento de páginas pontual, foi uma pesquisa de mercado mal amanhada para ver se as pessoas se importariam ou não com a subida do preço de capa. As 8 páginas a mais foram capas alternativas evitáveis e não mais páginas de história. No brasil as mega sagas são publicadas à parte ou em encadernados, não havia realmente necessidade de as meter nos mensais para servir de justificativo ao aumento de páginas.

      Como o mercado não gostou, mês seguinte vem a ameaça de cancelamento.

      Teria sido preferível mil vezes terem sido honestos como a devir foi quando aumentou os preços um ano depois do inicio do seu projecto de publicação e avisarem as pessoas que teriam de aumentar os preços por motivos reais, mas como a Espanholada se está marimbando resolveram criar lengalengas.

      "E tu conheces tanto ou menos que eles."

      Porra, acho que todos sabemos um pouco mais do que eles. Somos Portugueses,vivemos no nosso país e vemos o que acontece em cada quiosque e papelaria pelo menos das nossas zonas.

      A Panini Espanha, se fosse mesmo interessada fazia estudos de mercado e sabia o que a "casa" gastava. Mas para isso tinha de se interessar por este mercado desde que a Devir perdeu os direitos em 2007 em vez de mandar para cá sobras ranhosas.

      Eliminar
    5. ""Em 1º lugar, não são sobras. São revistas reservadas de antemão pra ser distribuídas em Portugal."

      A sério que acreditas nisso? Com o material a chegar amachucado, rasgado e com aspecto envelhecido? Este material, como bem sabes, saiu há quase um ano no Brasil, é de uma ingenuidade achar que isto não são sobras quando se vê claramente que este material já rodou por todo o Brasil."

      O material pode vir com alguns danos devido a problemas de logística. Aspeto envelhecido?! Nota-se mesmo que não compras estas revistas. E se estas fossem sobras, vinham com autocolantes e referências escritas a caneta, de terem estado nas bancas brasileiras como acontecia nos tempos da Abril Jovem. E a prova de que as edições são reservadas pra serem lançadas em Portugal está de quando saiu cá a edição de capa mole do Astronauta da MSP, sendo que esta esgotou no Brasil. Até lembro de ler posts de gajos brasileiros em fóruns que ficaram parvos, quando souberam que saiu em Portugal um livro ao qual já nem eles tinham como comprar.

      "E é por opiniões como a tua que este projecto vai acabar 11 meses depois. Logo quando apareceram as sobras ranhosas a editar exactamente o que saia no material Português que eu achei que havia de surgir muita gente que teria a mesma opinião que tu ao ver as edições mais baratas e ranhosas ao lado das Portuguesas."

      Lá eu tenho culpa que as edições não vendam? As edições PT-BR com material equivalente aos das PT-PT continuaram a sair, pois pra salvaguardar os leitores de possíveis cancelamentos. Porque nem a Panini nem qualquer qualquer leitor realista acreditava que este projeto seria duradouro. Eu comprei as edições PT-PT em detrimento das PT-BR. Também há malta que mesmo sendo comprador assíduo de bd, nem compra umas nem outras, e fazem-no porque já não confiam nada nestes projetos. As edições PT-PT vendem mal, mas as PT-BR vendem pior, isso é certo.

      "Não é pelo estigma social que referes que o projecto está em risco, mas por pessoas como tu que se acomodam em comer "uva mijona barata" não estarem para pagar mais uns cêntimos por produtos de comprovada qualidade."

      Em parte já respondi acima. Na verdade, eu acabo por contribuir mais do que tu. Pois eu tanto compro as PT-PT como as PT-BR de Wolverine e Universo Marvel e as edições DC. E eu como toda a gente que compra, compra as PT-PT em detrimento das PT-BR, mesmo pagando mais uns cêntimos porque damos sempre primazia ao produto nacional. Mas também sou dos que quando não há produto nacional, e se há brasileiro, compro o brasileiro. Ao contrário doutros, penso que se não dá pra caçar com cão, caço com gato. Deveria-me sentir mal por causa disso? E na verdade diga-se, que mesmo que as edições PT-BR fossem de melhor qualidade, haveria sempre gente que não comprava por mero preconceito para com o produto brasileiro. E relativamente ao estigma social, se ele não houvesse, certamente haveriam mais fãs, e haveriam mais vendas, e por sua vez, haveriam mais projetos duradouros.

      Eliminar
    6. Não preciso de comprar para ver o estado lastimável do produto, basta olhar para o que está nas prateleiras dos locais de venda. Pode ser que no teu local de venda o vendedor te reserve as que tenham melhor aspecto, mas já apanhei sobras de comics do brasil com números escritos (não falando dos rasgões próprios do manueseamento anterior em bancas brasileiras).

      Por mais que a logistica da distirbuidora urbanos seja má os mauricios de sousa chegam em perfeitas condições, há que concordar, e aí acredito que exista uma reserva prévia. E também não podia ser de outra forma visto que a MSP tal como a Goody investem com interesse no nosso mercado, infelizmente tal não acontece com o material da Panini e muito menos com este projecto actual, que devia ter concentrado todos os esforços da Panini Espanha e que infelizmente, mais uma vez, foi feito em cima do joelho.

      Quem perde? Os leitores Portugueses que mereciam o mesmo tratamento que os restantes leitores Europeus. É triste ver isto acontecer quando até a Grécia tem uma linha regular de comics nas bancas.

      Eliminar
    7. "mas já apanhei sobras de comics do brasil com números escritos (não falando dos rasgões próprios do manueseamento anterior em bancas brasileiras)."

      Nas bd's que vêm parar às bancas na minha terra têm números escritos e até autocolantes, mas esses foram colocados pelos lojistas portugueses. Hás-de reparar que deve ter algo como um U de Urbanos e um número que é a semana em que a revista é levantada. Não vês mais cenas escritas para além disso. Quanto aos rasgões, são defeitos de fabrico, que acontecem infelizmente, como em qualquer produto, e o papel também é fraco, por isso... Se fossem sobras, provavelmente as revistas que vêm com plástico, se calhar até viriam sem plástico.

      "Por mais que a logistica da distirbuidora urbanos seja má os mauricios de sousa chegam em perfeitas condições"

      Pergunto-te, se as edições Marvel e DC brasileiras tivessem a mesma qualidade de edição que as portuguesas, compravas?

      Não concordo. Chegam em condições equiparáveis às outras. Digo isto porque cheguei a colecionar Monica's Gang durante um tempo e também algumas vieram com os mesmos defeitos das outras.

      "Quem perde? Os leitores Portugueses que mereciam o mesmo tratamento que os restantes leitores Europeus. É triste ver isto acontecer quando até a Grécia tem uma linha regular de comics nas bancas."

      Se te serve de algum consolo, no Luxemburgo, Suíça e Áustria recebem as edições alemãs e na Bélgica, as francesas.

      Eu também lamento há muitos anos o facto de não termos ou de termos um mercado muito pequeno, e já não é só pra comics, é pra toda a bd em geral. Mas é assim, e a vida continua, não é?

      Um fator que para além dos já mencionados, do marketing, da distribuição, etc., há um que tem de ser lembrado, e é o da crise. A verdade é que o poder de compra diminuiu significativamente nos últimos anos e as pessoas gastam muito menos dinheiro, sobretudo em coisas supérfluas, é verdade. Dou-te um exemplo: há uns anos, aqui onde vivo, muita malta saía à noite à 6ª e sábado. Hoje em dia tenho visto que a tendência é de mais de sair num dia ou outro e consumir menos que antes, ou nem sair. Portanto, não me admiro se malta que antes até comprava bd, agora compre menos ou nem compre.

      Eliminar
  24. Só mais uma coisa, vejo por essa net fora gente a duvidar da palavra do Pedro Cleto. Já paravam com isso, pois é um profissional do jornalismo e o que nos transmite não são invenções, mas sim informação que lhe é transmitida por uma fonte.

    Na minha opinião o Caro Pedro devia transmitir quem foi a fonte do "rumor", porque assim acabavam logo as dúvidas dos comentadores.

    Acho que também que o José de Freitas, pessoa que desde o início do projecto da Panini, o divulgou e tirou dúvidas em vários meios enquanto "consultor" da Panini em Portugal se pronunciasse sobre o "rumor".

    É que se for mesmo para acabar com o projecto as revistas deste mês deveriam ter vindo com um comunicado do que se vai suceder e não com mais textos "psicadélicos" sobre os gostos musicais do Bendis, amores platónicos do Julian Clemente pela Jean Grey e pelo Stuart Immonen (sim, Julian, o Filipe Andrade, o Nuno Plati, o Jorge Coelho e o André Lima Araújo, são artistas muito mais originais que o Immonen) e ensaios filosóficos sobre os inimigos do Homem Aranha.

    Enfim, que se pronuncie e que esclareça quem têm "culpas" no cartório.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Só mais uma coisa, vejo por essa net fora gente a duvidar da palavra do Pedro Cleto. Já paravam com isso, pois é um profissional do jornalismo e o que nos transmite não são invenções, mas sim informação que lhe é transmitida por uma fonte."

      Acho que ninguém duvidou de que as notícias têm as suas fontes. Mas das duas uma: ou as fontes estão certas ou estão erradas. E o que temos atualmente é um blog a confirmar os cancelamentos e outro a desconfirmar. E sendo que a editora até ao momento, não veio oficialmente ela própria dizer nada sobre este assunto, da minha parte a dúvida subsistirá, e se até então não houverem novas notícias, pró final do mês a dúvida deverá ser desfeita quando os bloguistas receberem o checklist do mês de dezembro, e se no mesmo não vierem os anúncios de X-Men, Aranha Superior e Vingadores #s 11 e Vingadores-X TPB #2, já sabemos que se confirmam os cancelamentos.

      "É que se for mesmo para acabar com o projecto as revistas deste mês deveriam ter vindo com um comunicado do que se vai suceder e não com mais textos "psicadélicos""

      O Cleto explicou isso. Segundo ele, a equipa produziu as edições de dezembro, portanto a mesma contaria à partida que essas edições fossem lançadas.

      Eliminar
    2. "Acho que também que o José de Freitas, pessoa que desde o início do projecto da Panini, o divulgou e tirou dúvidas em vários meios enquanto "consultor" da Panini em Portugal se pronunciasse sobre o "rumor"."

      Acredito que mesmo que não haja cancelamentos, a editora não vá se dar ao trabalho de desmentir isso. E pode fazê-lo por princípio, pois se vai abrir um precedente para estar a responder por uma especulação, então por todas as especulações que se sigam, também teria de o fazer. E se houver mesmo cancelamento, não irão fazer um comunicado por isso, porque querem evitar a má publicidade, e que os leitores os chateiem por causa disso, e porque sentem que estão em posição de não ter de dar justificações a ninguém. E é a postura que, na generalidades, as editoras têm no que respeita a cancelamentos, que é de o fazer pela calada. Só me lembro dum caso duma editora que veio assumir os cancelamentos e pediu desculpas aos fãs, que foi a editora brasileira Globo quando se viu obrigada a cancelar os títulos Image de Gen13, WildC.A.T.S. e Cyberforce por baixas vendas, isto em 1997. Até pra nós portugueses foi um choque, porque na altura as editoras ainda não tinham grande presença na internet, e soubemos dos cancelamentos quando as revistas foram lançadas cá, ou seja, passados 7 meses de terem saído no Brasil.

      Eliminar
  25. Comprei pela primeira vez um comic desta nova fornada (edições em PT).
    Thor!
    Já me arrependi!
    Como desconfiava, deixa a história em aberto para que seja obrigado a comprar a próxima revista.

    Para telenovelas, basta-me a Violetta....

    Em contrapartida, tenho todas as edições da Levoir editadas em conjunto com os jornais. Tirando o raio do volume do Majipoor, apresenta blocos completos.

    Os hábitos dos USA não são os hábitos da Europa, ou se quiserem de Portugal, ou se preferirem, os meus. Eu pessoalmente, não compro telenovelas!

    Nota) isto não significa que concorde com o acabar de um projecto que nem um ano tem. Mas como foi referido, se estão a perder dinheiro, tal como na Bolsa, devem aplicar um 'Stop Loss'.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas os nas coleçoes da Levoir tem n hcs com o volume 1 Thor,Guardioes da Galaxia,Batman e Robin,etc

      Eliminar
    2. Eu sei que há continuações. Mas basicamente, a história apresentada tem principio meio e fim.

      Já agora, a BD europeia também me irrita quando fica pendurada à espera do volume seguinte. Um exemplo é o 'Águias de Roma' do Marini.... ou mais 'perto', o BRK ;-(

      Eliminar
  26. Quem faz a absurda afirmação que comics é literatura ''pimba'' demonstra que não faz a mínima ideia do que está a falar...nem sequer merece mais resposta...fiquem bem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pimba = Pop culture. Comics são Pop culture logo são o que designamos em Portugal de Pimba. Se queres ler literatura bedéfila a sério compra o livro "Habibi" de Craig Thompson que saiu esta semana pela Devir ou o "Deixa-me Entrar" que a Joana Afonso lançou pela Polvo no Amadora BD ou o Maus do Art Spielgman. Só para referir alguns como é lógico.

      Tudo o que seja Marvel, DC, Dark Horse velha Image, etc é cultura pop logo pode ser equiparado ao Tony, CM e Jogos do SLB, FCP, SCP, etc.

      Eliminar
    2. Parece-me totalmente despropositado, simplista e incorrecto fazer equivaler "pimba" a "pop culture". Aliás, "pimba" é uma expressão tipicamente portuguesa, com conotação depreciativa, que se refere a um produto musical, ou humorístico mais brejeiro, e não me parece que tenha correspondência no que diz respeito aos comics.
      Aliás, ainda hoje se discute o que se pode considerar como cultura pop e "alta cultura".
      Para mim, todas as expressões culturais tem a sua validade, e é um pouco elitista e pedante olhar de cima para baixo para algumas dessas expressões, ainda por cima mediante critérios subjectivos como o gosto pessoal.
      Que sentido faz comparar o trabalho de Jonathan Hickman na Marvel, ou de Grant Morrison na DC com os escritos do Correio da Manhã ou jogos de futebol (que nem expressões culturais são)?
      Comics são banda desenhada, e existem vários géneros: desde superherois, até drama, horror, ficção científica... Cada um escolhe o que mais lhe apela. Dos comics vieram autores como Neil Gaiman, Alan Moore, Garth Ennis.
      A mim, por exemplo, obras como "Habibi" ou "Deixa-me entrar" nada me dizem... Reconheço o seu valor intrínseco, mas as suas temáticas e estilo artístico não me interessam minimamente. Não posso por esse motivo apreciar literatura? Sou pimba?
      Quem pode dizer o que é "literatura bedéfila a sério"? As mesmas pessoas que há uns anos atrás desdenhavam a BD em geral, não a considerando literatura?
      Acho que o respeito por todas as expressões culturais é essencial, e cada um deve ler, ouvir e ver o que bem lhe apetecer sem ter de ser recriminado por isso. Não gosto de Tony Carreira e não ouço, mas quem gostar, pois que aproveite bem se essa música os fizer felizes. Quem sou eu para os menosprezar?

      Eliminar
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  28. "Quando me referi à Devir, por mais problemas que ela pudesse ter, há que sempre enaltece-la pelo facto de ter sido uma equipa Portuguesa a produzir tudo do principio ao fim. O que o Optimus refere de terem ficado volumes por publicar não foi culpa da Devir, mas da própria Panini que ao ver que as vendas na altura estavam a ficar reduzidas retiraram os direitos de publicação a essa editora e venderam-nas na altura a quem estava disposto a pagar, na altura a BD Mania, que apesar de saber vender franco-belgas, não tinha grande interesse em produzir material de comics porque por trás existe uma loja que importa os comics para Portugal e por isso nunca iriam matar a sua galinha dos ovos de ouro produzindo material mensal de melhor qualidade e a preços mais acessiveis que os originais americanos que vendem na sua livraria."

    Isso foi em 2007,ja muito antes disso a Devir tinha inundado o mercado com n 1 com Fabulas,Powers,Pulse etc que nunca sairam do vol.1 e que tinham que ser editados porque a Devir Brasil tinha direitos para os 2 paises.Foram tambem eles que abandonaram Extrem e Uncanny x-men a meio do Run,no 2 ate saltaram um arco do Asymia que na altura ate tinha manga deles.Tal como Avengers e iron Man do Busiek e Capitao America do Waid,Ultimates só editaram metade do volume 1.Ignoram Secret War que levou a criaçao dos Novos Vingadores e do Dissembled que o editor fez questao de saltar porque nao era Aranha ou X-men.Ignoraram o Jla/Avengers,Superman For Tomorrow afinal a Dc deles era só Batman.
    A bdmania tambem teve parte das culpas tal como a Panini es que na Mesma epoca editou Eternos,Homem Aranha mk 1 de 2 do Millar e Qf o Fim.E achas que sabem vender fb entao Universal War ficou sem fim tal como outras series deles

    "Há uns tempos o José de Freitas explicava até que as revistas não vendiam e a ideia da Panini no nosso país era vender compilações. Parece pois então que será o que vai acontecer."

    Eu defendi sempre isso desde o inicio do processo mas a Panini exigia as mensais.

    Mas a que ver que a Panini como Multinacional é fraquinha a linha Brasileira falta as mega sagas os tpbs.Já a linha tuga tem isso mas nao tem divulgaçao nem distribuiçao decente,nem redistribuiçao nenhuma assim que quer começar a ler Marvel now aquilo que tem na banca sao os mix zucas sem n titulos tipo Capitao America,Iron Man,

    ResponderEliminar
  29. O CentralComis confirma o cancelamento:

    http://www.centralcomics.com/2014/11/17/bd-confirma-se-o-cancelamento-dos-comics-marvel-da-panini/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro pco69,
      Infelizmente lamento ter tido razão...

      Boas leituras!

      Eliminar
    2. Caro Pedro,

      Quem foi afinal a sua fonte inicial do rumor?

      Se foi alguém ligado à editora essa pessoa podia através do seu blog esclarecer as hostes.

      Eliminar
    3. No centralcomics até vem referida a fonte de dentro da editora. Agora resta-me esperar que saiam as edições brasileiras. O Infinity provavelmente lá terei de comprar a mini-série brasileira via Casa da BD, porque pelos vistos, o tpb americano e os 2 tpbs britânicos também incluem os tie-ins e são mais caros.

      Eliminar
    4. Caro Cesário,
      Quem foi a fonte não interessa, o importante é que a notícia - infelizmente - era verdadeira.
      Quanto a esclarecimentos, o blog como sempre está aberto, mas duvido que a Panini se disponibilize para o fazer. Aliás, todos os contactos que fiz nesse sentido, mesmo antes de publicar a notícia, ficaram sem resposta.
      Possivelmente só daqui a algum tempo, será possível compreender na totalidade o que se passou.

      Boas leituras!

      Eliminar
    5. Reignfire,
      É verdade, será necessário esperar pelas edições brasileiras - ou procurá-las no caso do Infinity - ou recorrer às edições originais norte-americanas. Infelizmente, mais uma vez.

      Boas leituras!

      Eliminar
  30. Infelizmente, pelo menos até ao momento, não existe nenhum HC/TPB da Marvel ou Panini UK que contenha somente a mini-série principal; contém também os tie-ins, pelo menos alguns. E assim sendo os mesmos ficam muito caros - menos de 30€ não gastas.

    ResponderEliminar
  31. A Central Comics está a propor um abaixo assinado / carta aberta à Panini através dos representantes Portugueses. Bem, mal não faria. Se for para a frente contém com o meu voto.

    A união faz a força. Acho que é o que falta na comunidade bedéfila Portuguesa, para sermos levado um bocado mais a sério pelas editoras.

    ResponderEliminar
  32. E não se admirem que em breve a revista dos Simpsons siga o mesmo destino. Não sou de agoirar, mas algo me diz que aquilo vende mal e porcamente. Em qualquer banca que passe vejo sempre muitos exemplares não vendidos, até porque aquilo tem uma tiragem completamente absurda - 15 mil exemplares, quando se calhar, 5 mil já eram mais do que suficiente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Reignfire,
      Quanto às vendas da Simpsons Comics não sei, mas uma tiragem de 5 mil exemplares provavelmente seria insuficiente para ter a distribuição e a exposição actuais.
      Em termos de revistas Disney, sei que vendiam sensivelmente metade da tiragem...

      Boas leituras!

      Eliminar
    2. Espero que na eminência do cancelamento, decidam por lançar Simpsons noutros moldes, como em formatinho e com o dobro das páginas e com preços entre os 2 e 2.50€.

      Eliminar
  33. Gostava de saber se foi já com o cancelamento em mente, que algumas revistas alternaram entre os 3,50€ e os 3,95€, assim como o preço dos TPB, na tentativa de lucrar o máximo possível com os "crentes" que acreditaram no projecto, ou se foi por razões de produção/edição - honestamente não estou dentro do assunto, mas quando vi o aumento de preços, fiquei logo curioso.

    As consequências serão provavelmente zero, mas acho que se devia criar um texto em inglês, num blog/site, a expor a situação que ocorreu, e tentar divulgar perante algumas figuras da Marvel. Não somos muitos, mas isso não nos deveria impedir de mostrar que estamos "vivos" e merecemos um pouco mais de consideração. Há bastantes empregados da Marvel, que respondem no Twitter a perguntas e comentários de fãs, portanto seria positivo, se pelo menos uma dessas pessoas, tomasse conhecimento.

    Também se podia enviar para a Panini Espanha, visto que é esse o email que vem nas revistas...mesmo tendo noção, como já afirmei, que só por milagre alguma coisa mudaria.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Gostava de saber se foi já com o cancelamento em mente, que algumas revistas alternaram entre os 3,50€ e os 3,95€, assim como o preço dos TPB, na tentativa de lucrar o máximo possível com os "crentes" que acreditaram no projecto, ou se foi por razões de produção/edição - honestamente não estou dentro do assunto, mas quando vi o aumento de preços, fiquei logo curioso.

      Já foi dito e redito que o aumento de preço está relacionado com um aumento de páginas. Este mês X-Men e Aranha voltou ao número de páginas normal e o preço também.

      "As consequências serão provavelmente zero, mas acho que se devia criar um texto em inglês, num blog/site, a expor a situação que ocorreu, e tentar divulgar perante algumas figuras da Marvel."

      A Marvel não tem nada a ver com a atuação da Panini nos vários países do mundo.

      "Também se podia enviar para a Panini Espanha, visto que é esse o email que vem nas revistas...mesmo tendo noção, como já afirmei, que só por milagre alguma coisa mudaria."

      Pelo que já tenho lido, não vale a pena enviar mails à Panini Espanha até porque não foram eles que ordenaram os cancelamentos. A enviar um mail a mostrar o desagrado pela forma como as coisas aconteceram, é ao órgão máximo de decisão da Panini que é em Itália.

      Eliminar
    2. Obrigado pelos esclarecimentos!

      Eliminar
  34. Vejo muitos preocupados com este assunto, o quee normal visto que eu tambem estou e bastante zangado tambem mas acho que e melhor acreditar no Blog Universo Bd que iram continuar e teremos que esperar que no proximo mes os sites recebam as lista com as ediçoes portuguesas. Estou admirado que o S. Jose Freitas que ja deve saber se sim se nao nao tenha sido chamdo a esclarecer visto que ja esclareceu muitas das duvidas existente neste mesmo site. Aguardo esperançosamente a sua resposta rezando para ser um "vai continuar" mas preparado para o pior.

    Obrigada a todos os que leram e antecipadamente ao senhor Jose Freita.

    ResponderEliminar
  35. Boas fãs de bd's..
    só hoje dei conta do que se está a passar e depois de tantos anos sem bd's em versão portuguesa já querem acabar com estas edições fantásticas. .
    É escusado dizer que estou extremamente desapontado com tudo isto. . A esperança ainda continua de ver uma nova luz ao fundo do túnel. .
    Gostava de saber se é possível fazer mais alguma coisa. .
    Comprimentos a todos os fãs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cristiano,
      Infelizmente não deve haver mais nada a fazer...

      Boas leituras!

      Eliminar
  36. Caro Pedro, o quiosque onde comprava as revistas conseguia obter da Urbanos (embora por vezes demorando quase dois meses) os números atrasados.

    Uma pena, embora esteja em crer que a Panini Espanha cometeu aqui o mesmo erro que a Devir: exageraram na qualidade do papel. As edições brasileiras e americanas aguentam-se porque conseguem fornecer um formato barato com impressão em papel de jornal, isso reduz brutalmente o preço da produção (garanto, trabalho em vários jornais e já trabalhei com várias revistas).

    É um mercado pequeno com um público alvo descapitalizado, deixem-se da mania das grandezas e recuperem os formatinhos e o papel de jornal, a Goody ensina-vos como, o excelente é inimigo do bom.

    Desculpe lá o desabafo.

    ResponderEliminar
  37. "As edições brasileiras e americanas aguentam-se porque conseguem fornecer um formato barato com impressão em papel de jornal, isso reduz brutalmente o preço da produção (garanto, trabalho em vários jornais e já trabalhei com várias revistas)."

    Na realidade as ediçoes mensais usa Marvel/dc/image/dark horse/idw já usam papel semelhante as da Devir/Panini desde 2002 mais de uma decada,
    E o unico comic goody Simpsons tambem usa esse papel tem é uma tiragem maior apesar de vir a decrescer,e um formato maior que o americano.

    ResponderEliminar
  38. Anotado. Realmente não compro edições Made In USA há muito.

    A "Comix" e companhia não são comics?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Flávio Gonçalves,

      Geralmente o termo 'comics' utiliza-se para referir as edições de super-heróis.
      O mercado Disney em Portugal é bem maior do que o de super-heróis, o que justifica a aposta e o sucesso das edições da Goody
      Em relação às edições da Panini, que teriam tudo para poder vingar, faltou uma divulgação bem feita e a possibilidade de conseguir os números atrasados.

      Boas leituras!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...