Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

11/11/2014

Gotham estreia hoje na FOX


Com estreia anunciada para as 22h15 de hoje, no canal Fox, Gotham, que desvenda a cidade de Batman antes da sua aparição, é uma das estreias televisivas mais esperadas do ano, e não apenas por quem gosta de banda desenhada.

Tudo começa quando o detective James Gordon (interpretado por Ben McKenzie) regressa à sua cidade natal, com o intuito de combater o crime. Vai descobri-la mergulhada em violência e corrupção, que começam na própria polícia que se tornará um dos seus primeiros inimigos, devido à sua reputação irrepreensível e à sua postura honesta.
Um dos seus primeiros casos é o assassinato dos pais do pequeno Bruce Wayne (David Mazouz), a quem um emocionado Gordon promete descobrir o culpado, criando de imediato laços que permanecerão ao longo dos anos.
Com a cidade como protagonista, esta é uma narrativa em tom de policial negro, que narra não só as razões que deram origem ao Batman, mas também como surgiram diversos super-vilões da DC Comics, como Catwoman (Camren Biocondova), Pinguim (Robin Lord Taylor) ou Enigma (Cory Michael Smith). A galeria de personagens inclui igualmente Fish Mooney (Jada Pinkett Smith), vilã criada especialmente para a série, o detective corrupto Harvey Bullock (Donal Logue), Carmine Falcone (John Doman), o chefe mafioso local, ou o mordomo Alfred (Sean Pertwee), tutor de Bruce Wayne.
Esta apetência da televisão – e também do cinema - pelos heróis dos quadradinhos não vem de agora, sendo quase tão antiga como cada uma destas artes. Versões animadas à parte, entre os maiores casos de sucesso, contam-se a versão de Batman de 1966, interpretado por Adam West, ou a Wonder Woman da década de 1970, protagonizada por Linda Carter.
Curiosamente, ambas foram adaptadas frequentemente em versões em… banda desenhada!
O aprofundamento desta relação entre a BD e a TV – de que existem outros exemplos actuais, referidos no final deste texto – tem levado a incorporação nas histórias aos quadradinhos de personagens criados para o ecrã ou à aparição dos actores que os interpretam em capas alternativas das revistas regulares de BD.
As razões que têm feito tantos heróis de BD saltar para o ecrã são simples: por um lado as histórias – muitas histórias, de diversos tons – já estão escritas e por outro o público-alvo já conhece as personagens, dispensando o período de conhecimento e criação de empatia que normalmente é necessário. É isso que justifica a integração da Marvel no grupo Disney ou da DC Comics no da Warner Bross.
Gotham, cuja primeira temporada conta 22 episódios com cerca de 45 minutos cada, é um dos exemplos mais recentes disto mesmo, pois na sua origem está Batman: Ano Um, obra de 1987 escrita por Frank Miller (Sin City, 300) e desenhada por David Mazzucchelli, onde Bruno Heller, produtor da série que hoje estreia, foi beber muita da sua inspiração.

A TV que se alimenta da BD

Agents of SHIELD
Inspirada na agência SHIELD (da Marvel Comics)
Com início no final do primeiro filme dos Vingadores, narra o dia-a-dia dos membros da SHIELD, uma organização secreta mundial, que combate as mais complicadas e estranhas ameaças, dirigida pelo agente Phil Coulson (Clark Gregg).
A primeira temporada passou na Fox; a segunda teve início a 23 de Setembro nos Estados Unidos.



Arrow
Inspirado em Green Arrow (DC Comics)
Oliver Queen (Stephen Amell), um jovem playboy milionário, após um naufrágio que o exilou numa ilha durante 5 anos, regressa a Starling City decidido a combater o crime e a corrupção sob a máscara de Arrow, um justiceiro armado de arco e flechas.
Duas temporadas exibidas na RTP e no AXN; terceira temporada estreou em Outubro nos Estados Unidos.



Flash
Inspirada na personagem homónima (DC Comics)
A história de Barry Allen, aliás Flash (Grant Gustin), um assistente legista que depois de ser atingido por um raio, ganha superpoderes que o transformam no homem mais rápido do mundo e que utiliza para combater os vilões de Central City.
A primeira temporada estreou nos Estados Unidos em Outubro.



XIII
Baseada na BD homónima criada por Jean Van Hamme e William Vance (Dargaud)
A história de um amnésico (Stuart Towsend), com o número XIII tatuado num ombro, em busca da sua identidade, perseguido por ter assassinado a presidente dos Estados Unidos e que se vai vendo envolvido em diversas conspirações.
Segunda temporada em exibição no AXN.

(Versão revista do texto publicado no Jornal de Notícias de 11 de Novembro de 2014)

4 comentários:

  1. E o Constantine :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda não vi o terceiro mas gostei dos 2 primeiros. A melhor série, na minha opinião obviamente, está a ser o Flash. Boa escolha de actores, variedade de vilões (sem cairem no erro de os matarem ou se restringirem a 2 ou 3), uma história interessante a desenrolar-se como pano de fundo e, principalmente, respeito pelo ''source material'' e pelos fãs da bd.

      Eliminar
    2. E a Agente Carter...
      A intenção não era ser uma lista exaustiva, até porque o texto foi escrito para o jornal, onde o espaço é limitado.:.

      Boas leituras!

      Eliminar
  2. O Bruno Heller inpirou-se tanto no Year One do Miller como eu me inspirei na Mensagem do Pessoa para escrever este comentário. Já vi todos os episódios que sairam até agora e a série tem tanto em comum com o Year One como o Smalville tinha com Superman do Byrne.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...