Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

21/11/2014

Colecção XIII com o jornal Público






Como As Leituras do Pedro já tinham adiantado, a ASA em parceria com o jornal Público, vai editar a colecção XIII que, segundo anúncio publicado ontem naquele diário, terá início no dia 3 de Dezembro, uma quarta-feira.
Todos os títulos, algumas singularidades e equívocos da colecção, já a seguir.




A colecção XIII que o Público e a ASA vão editar será composta por 11 volumes, cada um com dois dos álbuns originais. O preço de capa é de 7,90 €.
As histórias escolhidas dizem respeito apenas á série principal, deixando de fora as narrativas derivadas, dedicadas às principais personagens da série – duas delas já incluídas numa anterior colecção ASA/Público, Os Incontornáveis da Banda Desenhada.
Estão assim contemplados os dois ciclos da série.

O primeiro, fundamental para quem aprecia boa banda desenhada, correspondente aos primeiros 19 volumes de XIII, escritos por Jean Van Hamme e desenhado por William Vance (com excepção de um tomo, desenhado por Jean Giraud).
XIII, é a história de um homem que um tiro deixou sem memória. Investigando o passado para descobrir quem é, vê-se perseguido como responsável pelo assassinato do presidente dos Estados Unidos e, posteriormente, envolvido numa série de conspirações e atentados que o levarão de descoberta em descoberta até desvendar o seu passado e quem realmente é. Excelente thriller de acção em BD, muito bem escrito, com os momentos de suspenses, os volte-faces e as revelações inesperadas a sucederem-se a um ritmo acelerado, este foi um dos maiores sucessos da banda desenhada franco-belga dos últimos 30 anos. Curiosamente, esse sucesso só chegou a partir do quarto tomo, quando uma forte campanha publicitária despertou os potenciais leitores para a sua qualidade. Depois, foram vendas de milhões de exemplares e traduções em duas dezenas de países…

Quanto ao segundo, ainda em curso, da autoria de Yves sente (argumento) e Youri Jigounov (desenho), corresponde à retoma da personagem após o seu abandono pelos autores originais.
Alguns equívocos narrativos, um ritmo bem mais baixo, a abordagem da infância e juventude de XIII e a forma como o relaciona com os pioneiros do Mayflower, futuros fundadores dos Estados Unidos, milícias privadas ou o Afeganistão, revelam-se pouco credíveis e fazem desta continuação da série uma obra bem menos interessante que o original, como é geralmente norma.

Sem mais, aqui ficam os 11 volumes da colecção que deverá terminar a 11 de Fevereiro.

Primeiro ciclo
Jean Van Hamme (argumento)
William Vance (desenho)

Volume 1
Le Jour du soleil noir (1984)
Là où va l'Indien... (1985) 

Volume 2
Toutes les larmes de l'enfer (1986)
S.P.A.D.S. (1987)

Volume 3
Rouge Total (1988)
Le Dossier Jason Fly (1990)

Volume 4
La Nuit du 3 août (1990)
Treize contre Un (1991)

Volume 5
Pour Maria (1992)
El Cascador (1994)

Volume 6
Trois montres d'argent (1995)
Le Jugement (1997)

Volume 7
Secret Défense (2000)
Lâchez les chiens ! (2002)

Volume 8
Opération Montecristo (2004)
L'Or de Maximilien (2005)

Volume 9
La Version irlandaise (2007)
Desenho de Jean Giraud
Le Dernier Round (2007)

Segundo ciclo
Yves Sente (argumento)
Youri Jigounov (desenho)

Volume 10
Le Jour du Mayflower (2011)
L’Appât (2012)

Volume 11
Retour à Greenfalls (2013)
Le Message du martyr (2014)

(As capas mostradas, pertencem à edição francófona,
mas a ilustração corresponde aos volumes a publicar nesta colecção Público/ASA.)

De fora da colecção fica o 13.º volume da série, The XIII mystery : L'Enquête (1999), uma espécie de dossier que combina texto e bandas desenhadas curtas centradas em pormenores do percurso de alguns dos protagonistas e funciona como um apanhado de tudo o que se passara até aí.
Equívoco maior é indicar como lançamento mundial – patente no anúncio do Público de ontem – o álbum A Mensagem do Mártir, que inclui Le Message du martyr, 23.º tomo da colecção original, pois este será publicado em França já no próximo dia 28 de Novembro, cinco dias antes do início da colecção no jornal português.
Este anúncio só faria sentido se a colecção começasse na próxima quarta-feira – e algum atraso poderá tê-la protelado – e logo pelo volume 11. Isso seria um tremendo equívoco – para não dizer pior - porque Le Message du martyr, o quarto tomo do ciclo em curso, apanha a (nova) narrativa a meio e utiliza personagens que muitos dos leitores a que o Público pretende agora chegar não conhecem, grande parte do álbum é narrado em voz off e a história não termina nele, sendo em meu entender meio caminho andado para afastar muitos deles…
O que seria pena, pois esta é uma daquelas colecções que importa não perder.

Acrescento ainda que os primeiros nove tomos foram publicados em português pela Meribérica/Líber, em capa mole e em capa dura, entre 1988 e 2004, e o décimo teve edição da ASA em 2006.

14 comentários:

  1. Confesso que apesar de ter visto muitas vezes estes livros nunca cheguei a comprar nenhum e a "culpa" devesse a ser uma serie e num ter encontrado os primeiros. Irei fazer esta colecção pois todas a malta fala muito bem dela.

    Só uma pergunta: os álbuns serão de capa dura ou capa mole?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marco,
      Suponho que serão em capa mole, com badanas, como tem sido hábito nas últimas colecções ASA/Público.
      E não percas, é mesmo uma grande obra!

      Boas leituras!

      Eliminar
  2. E venham mais coleções com Jornais. Até ao momento, têm sido garantia de publicação do totalidade que foi prometido. Parabéns a quem isso é devido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pco69,
      Os contratos feitos a isso obrigam. As vendas teriam de ser miseráveis para o jornal denunciar o contrato e cancelar a publicação.
      Aliás, em tempos (pelo menos, não sei como é actualmente) este tipo de contratos estavam indexados às vendas. Se estas fossem inferiores ao esperado, os lucros de ambas as partes eram menores.

      Boas leituras!

      Eliminar
  3. Muito bem. Ainda que "alguns" já por cá andem, estes, quero ver se não me escapam!...
    Só uma dúvida me assalta... sendo que cada volume terá dois álbuns, como irá a Asa resolver a parte das capas correspondentes?...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantareu,
      Para cada volume, a ASA seleccionou uma das capas dos dois álbuns incluídos nele para os seus livros. As que eu mostro acima, são as que foram escolhidas. Não sei se a outra capa é reproduzida no interior.

      Boas leituras!

      Eliminar
  4. Pedro, obrigado pela excelente informação. Uma dúvida: o XIII Mistery não foi nunca editado em português? Nenhum XIII foi editado antes pelo Público? Ia jurar que sim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui está a resposta: http://asleiturasdopedro.blogspot.pt/2011/03/xiii-mystery.html

      Eliminar
  5. Muito obrigado reignfire, é esse o livro que tenho mas a capa XIII Mistery induziu-me em erro...

    ResponderEliminar
  6. Bem finalmente vou completar a coleçao.

    ResponderEliminar
  7. paulo pereira21/11/14 22:42

    Espero que um dia ainda se lembrem um dia de editar a excelente BD Bruno Brazil, "pai" de muitas outras, com argumentos verdadeiramente fabulosos para a época, então outra grande BD: Barba Ruiva, Esperemos com toda a esperança.

    ResponderEliminar
  8. paulo pereira21/11/14 22:44

    As minhas desculpas pelo péssimo português, algum cansaço.

    ResponderEliminar
  9. Olá boa tarde,
    Sinceramente esta é a melhor noticia do ano em termos de lançamentos de BD Franco/Belga.
    Grande escolha da parceria Asa/Público, a um preço convidativo vamos ter a totalidade de uma das melhores coleções de BD de sempre!!
    Quero desde já agradecer à parceria Asa/Público e gostava também que no futuro fosse possível neste mesmo formato concluir as coleções destes senhores da BD mundial: Largo Winch, Alix (já com lançamento parcial da série, mas ainda faltam editar vários números em Português), Lefranc ou Yoko Tsuno por exemplo entre muitas séries de excelente qualidade.
    Um abraço e ainda estou nas nuvens com esta excelente noticia!

    ResponderEliminar
  10. Anónimo,
    É uma boa escolha, sem dúvida, que vem de alguma forma compor a quase total de ausência de BD franco-belga este ano, se exceptuarmos a outra colecção ASA/Público (Michel Vaillant).
    O preço convidativo é fruto da parceria com o jornal, que possibilita uma tiragem maior e uma distribuição menos onerosa.
    Largo Winch, seria outra boa escolha, sem dúvida.
    Quanto ás outras, parecem-me menos viáveis, seja em termos comerciais, seja em termos de extensão, pois este tipo de colecções necessitam de pelo menos 10 livros (ou seja 20 álbuns originais) para justificar o investimento publicitário necessário. A alternativa seria uma colecção do género da Heróis da Revista Tintin, que juntou álbuns de várias séries.

    Boas leituras!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...