Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

11/06/2014

Mandrake: 80 anos mágicos



A 11 de Junho de 1934, a banda desenhada ganhava um novo e carismático herói: Mandrake, the magician, que enfrentava bandidos, vilões e até extraterrestres utilizando magia – que, com o passar dos anos, deu lugar apenas ao ilusionismo e ao hipnotismo, devido à pressão de sectores cristãos.

Evocação do mago já a seguir.


Inspirado em Leon Mandrake, um prestidigitador canadiano, casado com uma mulher chamada… Narda, o novo protagonista dos quadradinhos distinguia-se pelo bigodinho fino, o smoking e a cartola, que lhe conferiam um ar calmo e elegante.
Noivo da princesa Narda (com quem casaria décadas mais tarde),e sempre acompanhado pelo fiel Lotário, um negro de grande estatura e força, que entrava em acção quando a magia falhava, Mandrake conquistou rapidamente os leitores, tendo saltado para o cinema cinco anos depois.
As aventuras, geralmente tendo como ponto de partida Xanadu, a sua mansão, tanto decorriam em cenários urbanos como exóticos e a galeria de personagens incluía Theron, pai de Mandrake e responsável pela escola de magia onde ele aprendeu, Hojo, o cozinheiro japonês do mágico e chefe secreto da Inter-Intel uma organização internacional de combate ao crime, ou os vilões Cobra, antigo professor da escola de magia e Derek, gémeo do protagonista.
A estreia de Mandrake foi em tiras diárias de imprensa e o seu autor era Lee Falk (1911-1999) – que dois anos depois criaria o The Phantom /Fantasma, outro clássico da BD norte-americana. Falk assinou as primeiras tiras sozinho, mas rapidamente entregou o desenho a Phil Davis (1906-1964) que o assegurou durante três décadas até falecer, sendo então substituído por Fred Fredericks que ainda hoje continua como responsável pela tira diária.
Portugal demorou década e meia a descobrir o mago dos quadradinhos, que se estreou no Mundo de Aventuras, em 1950, sendo depois presença recorrente nas páginas das revistas da Agência Portuguesa de Revistas e da Portugal Press, por vezes como Mandraque ou D. Enigma. As suas tiras marcaram também presença durante vários anos nas páginas do Jornal de Notícias.


(Versão revista e ampliada do texto publicado no Jornal de Notícias de 11 de Junho de 2014)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...