Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

07/02/2014

Perico #1









Como apreciador declarado da linha clara, tenho Philippe Berthet como um dos autores a que volto regularmente.
Perico, díptico de tom policial que inaugura a novel colecção Ligne Noire da Dargaud e cuja acção se passa entre Cuba e os Estados Unidos, é a sua mais recente proposta, onde se encontram todos os habituais motivos para o apreciar (ou não).
Mais pormenores nas linhas a seguir.


Tudo começa em Havana, em Junho de 1958, vivia o ditador Batista os seus últimos meses no poder, antes da sua tomada por um outro (futuro) ditador, Fidel Castro.
Santo Trafficante, nome a um tempo mordaz e apropriado para o cabecilha de negócios pouco claros envolvendo corrupção, tráfico, jogo e prostituição, prepara um jantar para Batista, onde apresentará a sua nova conquista/compra, a bela Elena (nome artístico de Lívia).
A paixão é imediata para o jovem Joaquin, empregado menor do clube que, devido ao envolvimento do irmão num roubo a Trafficante, acaba na posse de uma mala repleta de dólares e, num impulso, convence Lívia a partir com ele para os Estados Unidos, rumo a Hollywwod, meca de todos os sonhos.
Só que, rapidamente, o jovem vai descobrir que os seus sentimentos (mal disfarçados) não são correspondidos e o casal, a convite dela, terá a companhia de Sean, um americano demasiado (?) curioso.
Ao mesmo tempo, os fugitivos começam a ser perseguidos pelos homens de Trafficante, responsáveis por um longo rasto de violência e sangue, apostado em recuperar o dinheiro e em dar uma lição que possa servir de exemplo a outros que pensem em afrontá-lo.
Narrada de forma leve, como um misto de aventura e policial, com as mudanças em curso em Cuba como simples pano de fundo, esta é uma história linear mas bem contada, num ritmo lento, apropriado ao calor húmido que torna irrespirável quase todos os locais da acção.
Berthet, igual a si próprio, com todas as qualidades que lhe reconhecemos: traço suave, caras bonitas, total despojamento de pormenores, conseguidos efeitos gráficos de luz e sombras, repete as personagens que já vimos uma e outra vez noutros relatos, servido pelas agradáveis cores lisas e quentes de David D. que definem e reforçam o ambiente opressivo e a tensão que se estabelece em muitas das cenas.
Com vários pontos de interrogação no final deste primeiro tomo, o leitor fica em suspenso à espera da conclusão da história, certo de que o confronto será inevitável, embora seja expectável que surjam ainda algumas surpresas no longo percurso que leva Joaquin, Livia e Sean, de Miami até Los Angeles. 
 
Perico #1 (de 2)
Régis Hautière (argumento)
Philippe Berthet (desenho)
David D. (cor)
Dargaud
França, 7 de fevereiro de 201
241 x 318mm, 64 p., cor, cartonado
14,99 €

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...