Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

18/02/2014

João de Deus: A Magia das Letras











Kcecezêche, cequexe, metil, jêgue, rêre, zêxe, nenhetil…
Não, As Leituras do Pedro não mudaram de idioma nem adormeci em cima das teclas do computador. O que atrás fica escrito tem uma explicação lógica e coerente (por estranho que possa parecer…!) que podem descobrir já a seguir.


Na realidade, os vocábulos estranhos (no mínimo) que abrem este texto, são apenas o ‘nome fonético’ de algumas letras do alfabeto, segundo a nomenclatura da Cartilha Maternal João de Deus, atribuído em função dos valores que assumem na leitura. Este aspecto, um dos mais estranhos do método para mim, quando o meu filho mais velho começou a aprender a ler no Jardim-Escola João de Deus, curiosamente não é referido em João de Deus: A Magia das Letras, a biografia aos quadradinhos que José Ruy traçou do pedagogo português.
Seguindo a orientação que tem norteado os seus últimos trabalhos na área, o veterano dos quadradinhos portugueses optou – bem – por despir o mais possível a narrativa de datas e factos históricos que poderiam tornar a leitura menos atractiva e motivadora, conduzindo-a com uma combinação entre documentário e ficção.
Dessa forma, o relato assenta e avança a partir dos diversos contactos (mesmo que indirectos) entre João de Deus e a pequena (no início) Ana Maria, uma criança que aprendeu a ler pela Cartilha Maternal, através dos quais vamos conhecendo a infância e adolescência de João de Deus, os seus hábitos boémios na faculdade (e os 10 anos que demorou a concluir o curso!), as razões que o levaram a criar um método de ensino diferenciado e a sua aplicação – ainda nos nossos dias - nos jardins-escola que herdaram o seu nome.

João de Deus: A Magia das letras
José Ruy
Âncora Editores
Portugal, Junho de 2013
215 x 300 m, 32 p., cor, cartonado, 11,00 €

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...