Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

20/10/2013

The Walt Disney Company


Máquina de sonhos Disney já tem 90 anos



Há 90 anos, mais exactamente a 16 de Outubro de 1923, os irmãos Walt e Roy Disney formavam a The Walt Disney Company, responsável desde então por fazer sonhar sucessivas gerações.

Inicialmente designada Disney Brothers Cartoon Studios, tinha a sua sede em Los Angeles e não era a primeira investida dos irmãos Disney na produção cinematográfica, pois outras, por diversas razões, já tinham ficado pelo caminho.
A perda de duas personagens bem-sucedidas - Alice (criada em 1923), que combinava actores de carne e osso com animação, e Oswald, The Lucky Rabbit (1927) – devido a não haver contratos em seu nome, lição que Disney aprendeu como o demonstrou no futuro, não os impediu de prosseguir e o sucesso chegaria em Novembro de 1928, na forma de um rato – Mickey de nome próprio – estrela de Steamboat Willie, primeiro filme de animação sonoro, e de Plane Crazy, mais antigo – mas surpreendentemente actual e divertido - que só estreou posteriormente por ser mudo.



No novo estúdio, Roy Disney (1893-1971) assumia o controlo financeiro, Walt Disney (1901-1966), assumia a produção, e Ub Iwerks (1901-1971) era o responsável pelo desenho e pela animação.
Seria este último a assumir também as primeiras tiras de BD de Mickey Mouse, surgidas em 1930 na senda do sucesso dos filmes animados. Os quadradinhos foram numa primeira fase uma forma de alargar a divulgação das suas personagens, mas em breve, sempre sob rigoroso controle da Disney, seriam cedidos a companhias subsidiárias, primeiro nos Estados Unidos, depois nos países nórdicos. Brasil e Itália, este último o principal produtor das aventuras desenhadas de Mickey Donald e companhia na actualidade.
A década de 1930 assistiu ao nascimento das Silly Simphonies, curtas-metragens especialmente centradas nos elementos da natureza, que valeram ao estúdio sete Óscares – o primeiro em 1932 com Flowers and Trees - e viram nascer um certo Donald Duck – em The Wise Little Hen (1934).
Mickey ganhou cor em 1935 e, em 1937, estreava a primeira longa-metragem animada Disney, Branca de Neve e os Sete Anões, distinguida com um Óscar pelos progressos técnicos alcançados.
Foi neste último factor, a par da sua indiscutível qualidade e da vocação familiar das produções Disney, que assentou o sucesso cimentado ao longo dos anos em animações que marcaram - e continuam a marcar - sucessivas gerações como Fantasia (1940), Bambi (1942), Peter Pan (1953), 101 Dálmatas (1961), Rei Leão (1994), Carros (2006), entre muitas outras.
A par da produção cinematográfica e da banda desenhada, The Walt Disney Company ao longo das décadas impôs-se como uma das maiores corporações multimédia a nível mundial, apostando também na rádio, televisão – onde se recodam programas como O Clube do Mickey Mouse, Disneyland ou, mais recentemente, Duck Tales, Hanna Montana ou Phineas e Ferb - teatro, musica, parques temáticos e em conteúdos online.
Noventa anos depois da sua criação, mais de 300 filmes e 36 Óscares depois, The Walt Disney Company, que resistiu ao falecimento dos seus fundadores, emprega cerca de 165 mil pessoas, apresentou no ano passado lucros brutos de 6,5 mil milhões de euros, num volume de negócios de 30 mil milhões de euros e promete continuar a encantar crianças de todas as idades, mesmo que já sejam adultos…


(Versão revista e aumentada do texto publicado no Jornal de Notícias de 16 de Outubro de 2013)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...