Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

07/07/2013

Maurício de Sousa: “Os quadradinhos da Turma são um mundo em movimento”


De regresso a Portugal, desta vez para promover “As maisdivertidas aventuras da Mônica”, colecção de 12 volumes distribuída aos domingos – amanhã é publicado o tomo 2 – juntamente com o Jornal de Notícias e o Diário de Notícias, Maurício de Sousa acedeu a uma agradável conversa, que começou ao telefone – após lhe interromper o banho! – e acabou num encontro pessoal.
Com a abertura e a amabilidade habitual, falou desta nova colecção, do projecto Turma da Mônica Adulta, do livro “Viagem a Portugal” e de muito mais que não coube aqui ou não fosse ele um grande conversador…
Fica na íntegra – tanto quanto foi possível recriar e transcrever – a conversa que deu origem ao texto que publiquei no Jornal de Noticias de 30 de Junho último.

As Leituras do Pedro - Como é que mais de 50 anos depois a Turma da Mônica continua viva, actual, divertida e sempre a cativar novos fãs?
Maurício de Sousa – Penso que isso se deve ao facto dos seus componentes terem captado a energia que encontramos nas crianças, nos filhos, nos jovens cheios de vida
A Mônica não é só baseada na minha filha. Surgiu inspirada nela mas foi adquirindo pormenores de outras pessoas. A Mônica foi criada cheia de energia e essa energia continua a chegar até nós hoje.
A cada 5 anos o público da Turma renova-se, o que implica que a cada 5 anos recomeçamos tudo de novo. Os quadradinhos da Turma são um mundo em movimento, por isso o nosso esforço vai no sentido de não deixar a Mônica parar em relação aos usos e costumes das crianças da idade dela. A Mônica, sem deixar de ser quem é desde o início, tem que falar a mesma linguagem utilizar as mesmas ferramentas e jogar os mesmo jogos dessas crianças, pois só assim continuará a agradar aos novos leitores, sem desiludir os antigos.
Para aqueles que abandonaram a turma original quando cresceram, nós criamos a Turma da Mônica Jovem e, daqui a algum tempo, talvez dentro de 3 anos, espero criar a turma adulta, mais profunda, mais sofisticada e mais corajosa.

As Leituras do Pedro - Tem consciência em que momento a Turma passou a ser “da Mônica”? Como reagiu o Cebolinha?
Maurício de Sousa – Comecei a perceber que a Mônica estava a invadir a rua do Cebolinha, a aparecer cada vez mais, a ganhar cada vez mais protagonismo, cerca de dois anos depois de a ter criado.
Foi algo natural, que aconteceu, não foi planeado. Aí, tive de optar por manter o título original ou mudá-lo para a nova protagonista, o que iria agastar e entristecer o Cebolinha. Nos jornais, ainda hoje, é o nome dele que surge nos cabeçalhos mas, em 1970, cerca de cinco, seis anos após a sua estreia, quando surgiu a primeira revista, que era um veículo novo, não houve hesitação em baptizá-la como Mônica e passou a ser ela a ”dona” da turma.

As Leituras do Pedro - E como é que o criador da Turma da Mônica, mais de 50 anos depois, continua mais vivo e dinâmico do que a própria Turma?
Maurício de Sousa – Sou um babá responsável que controlo e cuido das minhas crianças, tendo atenção aos seus hábitos, costumes, moral… Ao fazê-lo, evito deparar-me com situações desagradáveis que poderia não controlar.

Isso obriga-me também a seguir o comportamento actualizado das minhas criações para não as perder.

As Leituras do Pedro - Qual a importância do mercado português – onde mensalmente chegam 15 a 20 títulos -  para a Turma da Monica?
Maurício de Sousa - Estrategicamente, com a actual aposta na criação de desenhos animados, que estamos a produzir em grande número, não podemos encarar apenas o peso económico de cada mercado, mas também a necessidade de estar no maior número de locais do mundo que for possível, mesmo que os resultados económicos não sejam os ideais.
Portugal, do ponto de vista económico, não é um grande mercado, mas é um local simbólico, muito importante para nós, como Pátria-Mãe e berço da língua que falamos. Está a haver um grande esforço em voltar a ocupar o lugar que a Turma da Mônica já teve junto dos mais novos mas que de certa forma ainda desfruta junto da geração que tem 35 a 45 anos.
Se ainda há dúvidas se devemos lançar edições das revistas de histórias aos quadradinhos em português, essa vai ser a língua dos livros ilustrados que estão previstos.

As Leituras do Pedro - Pode indicar algum desses livros?
Maurício de Sousa – Sim, “Uma viagem a Portugal”, cuja primeira edição brasileira está praticamente esgotada ao fim de poucos dias. Trata-se de uma espécie de estudo sobre as palavras ou expressões diferentes usadas nos dois países para descrever coisas ou situações similares. Têm grafia diferente, por vezes são completamente diferentes e apesar de serem sinónimos são desconhecidas num e noutro país.
Como a Mônica é embaixadora oficial do Brasil para o turismo, também tem como função aproximar as crianças dos dois países.
A edição do livro em Portugal está em estudo, a aguardar por uma decisão da provável editora.

As Leituras do Pedro - Como nasceu a colecção “As histórias mais divertidas da Turma da Mônica”?
Maurício de Sousa – Foi uma ideia da Levoir, dentro do hábito que já existe em Portugal e noutros países europeus de lançar livros de BD com jornais. Espero que no Brasil algum periódico se interesse pelo projecto e repita a experiência.

As Leituras do Pedro - Foi difícil seleccionar as histórias que foram incluídas? Qual o critério adoptado?
Maurício de Sousa – Fazer a selecção das histórias não foi nada fácil. Temos uma variedade imensa de histórias, de temas, de grafismos, pelo que foi muito complicado escolher tão poucas, pois sempre houve o desejo de conferir uma unidade gráfica e à colecção e de escolher histórias com temática actual e moderna. Desde 1970 temos acumulado pérolas e com o material seleccionado esperamos satisfazer tanto os novos leitores quanto os antigos.

As Leituras do Pedro - Se tiver sucesso, poderemos ter mais volumes da Mônica?
Maurício de Sousa – Temos material para fazer mais 10 anos de edições (risos)! Actualmente produzimos uma revista por dia no Brasil e temos em stock mais de 40 anos de histórias aos quadradinhos. E eu continuo a rever todas essas páginas: mais de 1000 todos os meses!

As Leituras do Pedro - Em Setembro abre na Amadora um parque Temático da Turma da Mônica. O que vamos encontrar nele?
Maurício de Sousa – Eu gosto mais de lhe chamar jardim temático. Vai ser um local tranquilo, calmo, para passear e brincar, com algumas diversões para as crianças andarem, mas especialmente um local de lazer e convívio, com os cenários das histórias da turma e esculturas com os seus protagonistas que serão a grande atracção do espaço. Domingo (30 de Junho) vou visitar a área para acompanhar os primeiros passos da sua instalação.


2 comentários:

  1. Não é só a Mônica que funciona como embaixadora, mas o próprio Maurício de Sousa é um verdadeiro embaixador das Histórias em Quadrinhos em todo o mundo. Sabe do que faz, como deve ser feito e tem o segredo do êxito. Prezo muito a sua amizade e será com muita honra que o receberei na Amadora quando inaugurar o «Parque Temático». Como embaixador digno, espero que convide para ao pé da Turma da Mônica os nossos heróis «Zé Pacóvio & Grilinho» que simbolicamente figuram em alto relevo no troféu de honra do Festival de DB da Amadora. O seu criador, o diretor artístico do mítico jornal O Mosquito, o Tiotónio, ficará orgulhoso e feliz.
    Aquele ABRAÇO ao Maurício de Sousa

    José Ruy

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro José Ruy,

      Fica o elogio de um grande senhor da BD portuguesa a um grande senhor da BD brasileira.

      Boas leituras... e obrigado pela sua participação.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...