Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

01/06/2013

IX Festival Internacional de BD de Beja: A festa começa hoje













E, finalmente (!) começa hoje o IX festival Internacional de BD de Beja, ou seja a grande festa da BD no nosso país.

Embora de dimensão menor que o AmadoraBD, o Festival de Beja distingue-se pelo calor humano que dele emana e pela cumplicidade que consegue gerar entre organizadores, convidados e visitantes, que tanto se cruzam na Casa da Cultura, que funciona como núcleo central e acolhe o indispensável Mercado do Livro, como nos diversos locais de exposição espelhados pelo centro histórico da cidade, ruas, restaurantes ou bares, em especial durante o primeiro fim-de-semana, que concentra todos os convidados bem como a maior parte da programação paralela - que apresenta extensões à música e ao cinema - que pode ser consultada na íntegra aqui.

Este ano, o Festival de Beja apresenta originais de 80 autores, distribuídos por 21 mostras situadas em 9 locais diferentes e, como é também habitual – e os bons hábitos são para manter! – o grande destaque é dado à BD portuguesa, não só através das exposições de originais mas também pelo lançamento e apresentação de novos projectos que, só neste fim-de-semana, são mais de uma dezena: “Splaft!” (catálogo do Festival), “Ouro Formigas” (Bedeteca de Beja), de André Ferreira, “Vamos aprender” (Kingpin Books) de Carlos Rocha e Aida Teixeira, “Outros mundos”, de João Raz, “Mahou #2 – Perdidos no tempo” (ASA), de Hugo Teixeira e Vidazinha, “Os Escudos da Lusitânia” #0 (Verbos & Letras/Grupo Entropia), “O baile” (Kingpin Books), de Joana Afonso e Nuno Duarte, “Psicose” (El Pep), de João Sequeira e Miguel Costa Ferreira, “F(r)icções” (El Pep), de João Sequeira, Nuno Duarte e Pepedelrey, “Super Pig: Roleta Nipónica” (Kingpin Books), de Osvaldo Medina e Mário Freitas, “Efeméride #6” (editor: Geraldes Lino), “Zakarella”, de Jo Bonito e Nuno Amado, “Kassumai” (Chili com Carne), de David Campos, “Paradoxa”, de André Pimentel e Ricardo Rosado, “Espaço Marginal (LAB-ACM)” de Ana Velhinho.
Depois do hiato de 2012, Beja volta a trazer ao nosso país um nome grande da BD, no caso o francês Jean-Claude Mezières, desenhador da série Valérian, que dispensa maiores apresentações.
Entre os convidados internacionais, presentes hoje, sábado, e amanhã domingo, estão também o brasileiro Sama e o argentino Jorge González, para conversas com os seus admiradores e as informais sessões de autógrafos com que Beja costuma brindar os seus visitantes.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...