Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

06/11/2012

Heróis Marvel II - #3 Homem de Ferro - Extremis









Warren Ellis, Adam Warren, Mark Haven Britt, Matteo Casali, Tim Fish (argumento)
Adi Granov, Salva Espin, Nuno Plati, Steve Kurth e Filipe Andrade (desenho)
Levoir/Público (Portugal, 1 de Novembro de 2012)
170 x 260 mm, 216 p., cor, cartonado
8,90 €



Assumida e recorrentemente tenho destacado aqui em As Leituras do Pedro a publicação de autores portugueses pela Marvel, nomeadamente de Filipe Andrade e Nuno Plati, sem dúvida os mais produtivos.
Nuno Plati em cima) 
e Filipe Andrade (em baixo)
Por isso, quanto mais não fosse por uma questão de coerência, não podia deixar de referir a sua estreia em português (enquanto autores da Marvel claro está).
Isso aconteceu na passada quinta-feira, no terceiro tomo da segunda série da colecção Heróis Marvel, publicada semanalmente com o jornal Público.
Os seus trabalhos – histórias curtas ­- estão incluídos na mini-série Titanium, um one-shot publicado nos EUA à boleia da versão cinematográfica do Homem de Ferro, sobre a qual não me vou alargar, uma vez que na altura escrevi sobre ela aqui.
E também porque, apesar de tudo, esta “estreia portuguesa” de Andrade e Plati terá apenas um valor simbólico e, acima de tudo, o valor que cada um deles lhe quiser dar.
(Deixo apenas a estranheza de este tomo concluir com uma mini-entrevista e alguns extras de Filipe Andrade desta sua primeira BD publicada pela Marvel e não ter sido dado a Nuno Plati o mesmo tratamento. Opção editorial ou algo mais?)
De qualquer forma, seguindo em frente, esse não é o único aspecto a destacar neste volume que corrige uma lacuna da série I, a ausência do Homem de Ferro.
O seu prato forte é a banda desenhada Extremis, que abre o livro e que de alguma forma relança a personagem e o seu alter-ego Tony Stark e faz a ponte para o uniforme mais moderno apresentado no cinema.
Na sua origem está um Tony Stark atormentado pelos efeitos causados pelas armas que desenvolve e vende e a tentar justificar-se perante si próprio da inevitabilidade desse comércio para conseguir concretizar outros aspectos mais benéficos para o ser humano, igualmente desenvolvidos pelas suas empresas.
(Um Tony Stark algo deprimido e com pena de si próprio, de certa forma a evocar o período em que dependeu do álcool…)
Entretanto, o roubo por um grupo terrorista (uma temática que os super-heróis têm abordado muitas vezes nos últimos anos) de um protótipo de uma nova versão, mais potente, do soro do super-soldado que esteve na origem do Capitão América, obriga-o a acelerar o processo de desenvolvimento de uma nova armadura.
A história é narrada de forma directa e enleante por Warren Ellis, que faz as pontes necessárias entre o passado e o presente para situar o herói e basear os seus temores e indecisões, e combina em doses equilibradas cenas intimistas com outra de acção (com um grau de violência invulgares nos comics de super-heróis).
A transformação experimentada pelo terrorista, o seu ataque a uma dependência do FBI, a sequência entre o flashback que recria a origem do fato do Homem de Ferro e a passagem para a sua versão hipermoderna ou o combate final, são momentos altos desta história que justificam por si só a sua leitura.
Mas o final, com um inesperado volte-face é também uma mais-valia.
Acresce a isto o trabalho gráfico de Adi Gramov, mais eficaz nas cenas de acção do que seria de esperar dado o seu registo algo estático e possivelmente de base fotográfica, pese embora a sua inegável beleza estética.




13 comentários:

  1. O trabalho do Filipe Andrade e do Nuno Plati cada vez me impressionam mais. É bom podermos dizer que também cá existem artistas deste nivel :) Em relação ao Adi Gramov também concordo que o seu forte (neste livro) são (estranhamente) as cenas de acção. Quanto a fotografias não sei, mas sem duvida que usa software 3D (os cenários dele não me deixam mentir).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá de novo, Luís!
      E estes são dos primeiros trabalhos do Plati e do Andrade!
      Boas leituras!

      Eliminar
  2. olá Pedro. Se me tens perguntado, quando me pediste as imagens, ter-te-ia explicado. O dossier é dedicado apenas ao Filipe Andrade, porque o Plati não se mostrou interessado em colaborar. Os dois autores foram contactados ao mesmo tempo, mas enquanto o Filipe Andrade se mostrou desde logo disponível, o Nuno Plati disse-nos logo, educadamente é certo, que não tinha tempo nem interesse em responder a duas ou três perguntas, nem em enviar imagens.
    Como não o podíamos obrigar, o dossier ficou só dedicado ao Filipe Andrade...
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá João Miguel!
      Pois... não me ocorreu na altura... Mas assim esclareceste todos os leitores d'As Leituras do Pedro...! Obrigado!
      Boas leituras!

      Eliminar
  3. Só mais um pormenor. A imagem que aparece como sendo do Filipe Andrade,é da história anterior, desenhada pelo Steve Kurth...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que tens toda a razão! Já alterei a imagem!
      Boas leituras... atentas!

      Eliminar
  4. "A transformação experimentada pelo terrorista, o seu ataque a uma dependência do FBI, a sequência entre o flashback que recria a origem do fato do Homem de Ferro e a passagem para a sua versão hipermoderna ou o combate final, são momentos altos desta história que justificam por si só a sua leitura."

    Por acaso essas sequencias são o melhor da história com o desenho de Granov,mas o meu arco favorito ainda é Armor Wars 1. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Optimus,
      Por uma vez estamos de acordo! Já era tempo!
      ;)
      Boas leituras!

      Eliminar
  5. "O seu prato forte é a mini-série Extremis"

    Não é mini-serie é o 3 relançamento no volume 4 do comic mensal do Latinha depois dos Herois Renascem,e do relançamento por Busiek/Chen editado parcialmente pela Devir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    2. Olá Optimus,
      Obrigado pela correcção. Já alterei no texto...
      Boas leituras!

      Eliminar
  6. Nunca tinha lido esta saga. A história tem uma qualidade comparável à de Matt Fraction.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Reignfire,
      Não conheço o Homem de Ferro do Matt Fraction, mas gostei desta abordagem do Ellis e do Granov!
      Boas leituras!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...