Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

26/11/2012

Combates Navais


Heróis do Mar, Contra os Canhões…
LUTAR… LUTAR


Fazer o levantamento – embora tal se apresente como tarefa árdua, pela forma como muitas delas “desaparecem” (ou não chegam a aparecer) e nunca cheguem realmente a circular – de todas as edições de BD feitas e/ou apoiadas por câmaras, institutos e instituições, privadas e públicas, em Portugal, ao longo dos últimos anos, daria com certeza origem a algumas descobertas surpreendentes.
Desde logo pelo elevado número de títulos que, acredito, seria encontrado (constituindo alguns deles a (única?) fonte de rendimentos dos seus autores) mas também pelo desconhecimento (natural…) do meio narrativo e da realidade editorial nacional por parte de quem as editou – mas, se assim não fosse, dirão alguns, quantas destas edições chegariam a ver a luz do dia…?
Desconhecimentos visíveis, por exemplo, em prefácios e notas introdutórias descabidas ou em tiragens mirabolantes, que podem chegar aos 5 ou 10 mil exemplares!
E tiragens (mirabolantes) essas que se destinam – tantas vezes! – a ser distribuídas (com que critério…?) por estabelecimentos de ensino, instituições e/ou bibliotecas (ou a ficarem esquecidas em armazéns), sem que qualquer parcela seja direccionada para os seus leitores naturais.
Não obedecendo implicitamente a (tudo) o que atrás fica escrito, segue-se o registo de duas destas edições, que recebi recentemente.













A. Vassalo
Edições Culturais da Marinha (Portugal, 2011)
210 x 297 mm, 24 p., pb, capa fina



Com uma invulgar tiragem de 10.000 exemplares, esta edição de algum modo “responde” ao quesito que estabeleci a propósito do álbum Cinzas daRevolta, sobre a falta de abordagens à Guerra Colonial na BD portuguesa.
O seu autor é A. Vassalo (que também já assinou Vassalo de Miranda), já com currículo razoável no género (incluindo corajosa glorificação dos comandos nacionais em África logo após o 25 de Abril) que, mais uma vez, opta por exaltar os feitos guerreiros (apesar de tudo) recentes dos soldados portugueses, em 1961. (O que só soa estranho pelo seu lado de contemporaneidade, pois o mesmo se faz há muito tempo em relação a figuras como D. Afonso Henriques, Nuno Álvares Pereira ou Mouzinho de Albuquerque…)
Agora, para além da época, muda o local da acção – Diu, na costa ocidental da Índia – e os protagonistas – a guarnição portuguesa local… Desenhada de forma clássica, em traço fino, perde pela falta de profundidade devida à ausência de sombreado ou de manchas negras, e também pelo uso de legendagem mecânica pouco agradável.
Tendo como ponto de partida uma homenagem actual da marinha indiana a “heróis” portugueses, entra depois num longo flashback que evoca o confronto entre uma lancha portuguesa e forças aeronavais indianas. Assumindo um tom documental e didáctico, abusa dos textos de apoio, mesmo quando predominam os combates, mas tem o mérito de evocar um episódio pouco conhecido de um período da nossa História que muitos ainda têm dificuldade em revisitar.

2 comentários:

  1. Informação da Marinha relativa ao livro em questão:

    "Os livros das coleções de Banda Desenhada, não estão disponíveis ao público, destinam-se tão-somente a serem distribuidos gratuitamente no âmbito das actividades de divulgação para o recrutamento da Marinha."

    :-(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro pro69,
      Essa é uma situação que eu refiro no texto introdutório e que embora possa ser compreensível pois normalmente este tipo de entidades não têm vocação comercial, é também de lamentar porque impede que quem gosta de BD consiga estas obras.
      Eu pedi o meu exemplar para divulgação às Edições Culturais da Marinha e eles enviaram-mo... Já o tenho feito noutros casos similares, umas vezes com sucesso, outras não...
      Boas leituras!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...