Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

12/10/2012

AmadoraBD 2012 (II)

Programa actualizado


AmadoraBD 2012 - Autobiografia
26Out-11Nov
23º Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora 2012
Câmara Municipal da Amadora
 

A Festa da BD em Portugal
Entre os dias 26 de Outubro e 11 de Novembro, o Fórum Luís de Camões, na Amadora, é o ponto de encontro internacional da Banda Desenhada.
 

Fórum Luís de Camões
Núcleo Central de Exposições
Destaques

A Autobiografia na Banda Desenhada
Exposição central

Estaremos pois dispostos a entrar nesse jogo,
a perceber o que subjaz à calma aparência da chamada realidade das coisas,
a discernir o que envolve um eu e o seu ensejo auto-biográfico?
Pedro Santos Maia
Da Autobiografia. Em torno de Luigi Pirandello e Manuel Gusmão,
 

(…) depois de ter enviado os seus heróis para Marte
ou ter empregue até ao limite os ingredientes do romance de aventuras para a infância,
a banda desenhada apraz-se, nos nossos dias, a colocar em cena a vida daqueles, e mais raramente, enfim, daquelas que a produzem.
Jan Baetens

 

Autobiografias e bandas desenhadas
Nota do editor: título e edição original,
“Autobiographies et bandes dessinées” in Belphégor, Littérature Populaire et Culture Médiatique, Vol. IV, no. 1,
2004 (disponível online; URL: http://etc.dal.ca/belphegor/vol4_no1/articles/04_01_Baeten_autobd_fr.html). Tradução portuguesa de Pedro Moura, autorizada pelo autor e pelo editor da revista, Vittorio Frigerio.
Os nossos agradecimentos a ambos.
 

O tema central da 23ª edição do AmadoraBD é a Autobiografia.
Este assunto será, devidamente, abordado no catálogo oficial do Festival e objeto de uma exposição comissariada por Pedro Moura, no Fórum Luís de Camões, o núcleo central do evento.
Na exposição serão apresentadas documentos, publicações, pranchas e ilustrações originais dos vários autores que têm trabalhado este tema e que foram gentilmente cedidas
por museus, galerias de arte e coleccionadores particulares.
Por isso um agradecimento especial ao Museu de Banda Desenhada de Angoulême (França), aos Achives Szukalski, Los Angeles (EUA), à Fantagraphics e a Bernard Mahé (França).
 

A Autobiografia
por Pedro Moura
A autobiografia é um género que no modo de expressão da banda desenhada se consolidou por volta dos anos 1960, quer nos Estados Unidos, sobretudo com os autores afectos ao movimento dos underground comix, quer em França com pequenas experiências pelo humor irrisório de Gotlib, Mandryka, Gire ou mesmo Jean Giraud.
Existem exemplos que podem ser colhidos ao longo da história da banda desenhada, e no caso português a menção de Rafael Bordalo Pinheiro não seria, como sempre, descabida. Contudo, enquanto género próprio, ou até possibilidade de criação,
apenas emerge na contemporaneidade. Autores como Justin Green, Robert Crumb, Aline Kominsky, Edmond Baudoin, Carlos Giménez, Keiji Nakazawa e Harvey Pekar
são fundamentais e influentes na abertura dessa possibilidade.
Os anos 1990, mais uma vez nos três pólos principais da produção de banda desenhada global (França, Estados Unidos e Japão) marcariam uma viragem e exposição substancial: aí poderíamos destacar nomes tais como Seth, Chester Brown, David B., Julie Doucet, Jean-Christophe Menu, James Kochalka, Fabrice Neaud, Debbie Drechsler, Howard Cruse, Marjane Satrapi, Craig Thompson, Alison Bechdel,
entre tantas outras possíveis referências num universo muito alargado.
Portugal, por todas as vicissitudes e especificidades da sua história particular da banda desenhada, tem uma presença no campo da autobiografia mais tímida, mas não seria errado pensar nos nomes de Fernando Relvas, Alice Geirinhas e Ana Cortesão nesse balanço. Mais recentemente, autores como Marcos Farrajota e Marco Mendes
exploram esse território de um modo explícito e criativo.
Tendo em conta que a história da banda desenhada, sobretudo no século XX, foi ocupada sobretudo por géneros infanto-juvenis e associados a géneros fantasiosos, escapistas ou delimitados por regras de expectativas mercantis, a autobiografia foi um dos géneros que mais e melhor contribui para uma sua abertura e desenvolvimento cultural.
Quer dizer, a paulatina mas assegurada consolidação da banda desenhada como uma arte ou modo de expressão passível de ser empregue para quaisquer fins, narrativos, artísticos, estilísticos, políticos ou filosóficos, que sejam desejados pelos autores, encontrou nesse género em particular uma das vias de expansão. É aí que encontramos um contributo decisivo para o aparecimento de editoras alternativas dedicadas à produção não apenas de revistas mas de livros (a canadiana Drawn & Quarterly e a francesa L'Association poderão servir de exemplos maiores), e que influenciariam igualmente editoras mais tradicionais, assim como é graças a esses novos autores e essas obras que a banda desenhada ganha um espaço mais digno e crítico na recepção crítica cultural, levando mesmo à sua inclusão em prémios literários prestigiados, bolsas de desenvolvimento artístico, residências, convites aos autores para participarem em encontros transdisciplinares, já para não falar do enorme ímpeto que deram aos estudos académicos de banda desenhada.
A mostra que o AmadoraBD agora leva a cabo tentará fazer um retrato do desenvolvimento deste género, dar conta da sua diversidade interna, revisitar alguns dos seus nomes principais e revelar alguns dos novos artistas. Sendo um dos principais campos da banda desenhada contemporânea, o Festival apresenta assim, a um só tempo, um balanço do que se passou e um relançar das questões para o futuro.
 

Spiderman
O Homem Aranha faz 50 Anos e a capital da Banda Desenhada recebe mais um super-herói
e seus amigos. Uma exposição que não vai querer perder.
Co-produção: Marvel, Fundação Franco Fossati e Museo del Fumetto, dell’illustrazione
e dell’immagine animata, Milão.
 

Paulo Monteiro
AUTOR DA ILUSTRAÇÃO ORIGINAL DO AMADORABD
O autor de O Amor Infinito que te Tenho premiado em 2011 com o troféu Melhor Álbum Português do AmadoraBD foi o convidado do Festival para criar a ilustração original que serve de base à imagem global da edição deste ano.
Paulo Monteiro é assim o autor em destaque do 23º AmadoraBD 2012 com uma exposição sobre a sua obra e sobretudo com álbum vencedor do troféu.
Para que fique a conhecê-lo melhor aqui fica uma breve biografia.
 

BIOGRAFIA
Paulo Monteiro nasceu em Vila Nova de Gaia em 1967. A partir dos 13 anos começou a ilustrar fanzines de poesia, cartazes e murais. Depois de desistir da admissão às Belas-Artes, matriculou-se em Letras, na Universidade de Lisboa, em 1987. Durante esse período estudou Pintura e Cenografia para Teatro. Quando se licenciou, em 1991, foi viver para Beja, onde ainda vive. Tem um filho: Manuel.
Teve (e tem) interesses e actividades muito diferentes: trabalhou nas vindimas, passou filmes de Buster Keaton e Charlot de terra em terra, escreveu para a rádio e para os jornais, trabalhou no Cais Marítimo de Alcântara, compôs músicas, tocou guitarra em lares, foi professor de Geografia e Ciências da Natureza, fez cenários e figurinos para teatro, fez teatro de sombras chinesas e teatro de fantoches, participou em escavações arqueológicas, etc., etc. Também fez a curadoria de dezenas de exposições de escultura, ilustração, pintura antiga e contemporânea, etc.
Escreveu e publicou três fanzines de poesia: Poemas (1988), Poemas a andar de carro (2003) e Poemas Japoneses (2005).
Viaja regularmente pelo Sul de Portugal visitando escolas em pequenas vilas e cidades para falar de banda desenhada.
Desde 2005 que faz a direcção da Bedeteca de Beja e do Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja, por onde têm passado alguns dos mais excitantes autores de banda desenhada da actualidade como Craig Thompson, Dave McKean, David B., Gipi, Lorenzo Mattotti ou Miguelanxo Prado, entre muitos outros.
Foi também a partir de 2005 que se começou a dedicar essencialmente à banda desenhada, como autor…
A partir dessa altura publicou várias bandas desenhadas curtas em Portugal, no Brasil, na Colômbia e em Espanha. Realizou e participou em várias exposições de banda desenhada, essencialmente em Portugal, mas também no Brasil, Espanha, França, Itália e Roménia.
O seu primeiro livro, O Amor Infinito que te tenho, publicado pela Polvo em 2010, ganhou o Prémio Melhor Álbum Português Amadora BD 2011, e o Prémio Melhor Publicação Independente Central Comics 2011.
O Amor Infinito que te tenho será publicado em 2013 pela Blank Slate Books, no Reino Unido e na Irlanda, pela Balão Editorial, no Brasil, e pela Timof, na Polónia.
Neste momento encontra-se a trabalhar no segundo livro, que deverá estar concluído no final de 2015.
 

Ricardo Cabral
O livro Newborn 10 Dias no Kosovo,
que conquistou o troféu para Melhor Desenho de Álbum Português, em 2011,
será o ponto de partida para esta exposição que apresenta o processo criativo
deste livro e uma retrospetiva da sua obra.
 

Ana Afonso
Uma nova geração de autores portugueses, com trabalhos publicados em Portugal
e no Estrangeiro, espera por si no Fórum Luís de Camões. Apareça.
 

Cyril Pedrosa
O álbum Portugal deste autor com ascendência portuguesa foi prémio FNAC em França.
O lançamento da obra em português,
com a chancela das Edições ASA/Leya terá lugar no AmadoraBD.
A primeira vez que Pedrosa visitou o país de seus pais foi em 2006 a convite de Luís Beira,
Director do Salão de BD da Sobreda da Caparica.
Mais tarde, e já em fase de produção do álbum “Portugal”,
o autor fez parte importante da sua pesquisa sobre BD portuguesa no CNBDI.
Em França Portugal foi prémio FNAC e no AmadoraBD será lançada a versão portuguesa, com a chancela das Edições ASA.
O autor estará presente nos dias 26 e 27 de Outubro.
 

Victor Mesquita
Eternus 9
Um dos decanos da BD Portuguesa, Victor Mesquita, viu o seu álbum Eternus 9 A Cidade dos Espelhos ser premiado em 2011 com o troféu Melhor Argumento de Álbum Português.
Em exposição estará, naturalmente, este seu último trabalho assim como o anterior
Eternus 9 Um Filho do Cosmos.
Distando 30 anos entre os 2 álbuns,
esta mostra permite ver como se mantém a identidade de uma série
com métodos de trabalho completamente diferentes. 

Ana Afonso
O Lobo Prateado
A Melhor Ilustração de Livro Infantil de Autor Português, foi atribuída a O Lobo Prateado, de Ana Afonso com texto de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada.
Ana Afonso tem um currículo artístico onde se incluem o desenho, a ilustração, a pintura e a gravura e é um pouco de todos estes trabalhos que será possível conhecer nesta exposição.
 

José Carlos Fernandes
Agencia de Viages Lemming
Premiado com o troféu Melhor Álbum de BD de Autor Português Editado no Estrangeiro,
A Agencia de Viages Lemming é um exemplo notável de talento e versatilidade,
uma inspiração nascida em plena silly season.
Feita para alegrar o Verão de um jornal,
libertou-se das amarras do calor e condensou em livro.
As suas portas estão agora abertas a todos os que através dela
quiserem continuar a viajar, pela vida fora.
 

Infante Portugal
Deriva de um fascínio pessoal de José de Matos-Cruz pelas histórias em quadradinhos que, liado ao apelo da escrita acabou por gerar um universo múltiplo e peculiar.
Conjugando fenómenos lúdicos e fantasistas com matrizes heróicas e simbólicas
da qual se evidencia uma alusão crítica e irónica à sociedade vulnerável mas global.
Participam neste projecto um conjunto tão vasto quanto
diverso de ilustradores e desenhadores de BD.
 

ZEP
Titeuf e Happy Sex
É um autor suiço, de seu nome Philippe Chapuis. Como apaixonado que é pela música em geral e o rock em particular, adoptou o seu nome artistico em homenagem à banda Led Zeppelin. No AmadoraBD apresenta-se no com duas das suas obras mais emblemáticas Titeuf, dedicado aos mais jovens e Happy Sex para um público adulto. 
 

Ano Editorial Português
Apresentação de todas as edições de banda desenhada de autores portugueses em 2012

 
AmadoraBD Júnior
Sábados e Domingos de manhã, no Fórum Luís de Camões.
 

Oficinas
Pinturas Faciais
É só escolher a pintura que mais gostas e o resto fica por nossa conta.
Todos os produtos são adequados e anti-alérgicos.
 

Modelagem de Balões
De todos os tamanhos e feitios em forma de flores, espadas, cães, chapéus, corações…
para distribuir às crianças.
 

Cinema de Animação
Vem conhecer e experimentar os jogos ópticos e as técnicas do cinema de animação.
Vais ver como é divertido fazer um filme.

 

Música Digital
Para criar os sons dos filmes de animação.
Com recurso a um computador e aparelhos electrónicos, os mais novos podem compor a música que dará vida aos filmes.
 

Oficina de Origami
A partir de uma folha de papel podes criar as figuras que quiseres.
Vem conhecer o origami, uma arte ancestral japonesa.
 

Fórum Luís de Camões
Núcleo Central de Exposições
 
Rua Luís Vaz de Camões – Brandoa — T (+351) 214 948 642
Coord GPS: LAT 38°45’52.84”N / LONG 9°12’49.60”O

Seg a Qui, Dom e Feriado — 10:00h-20:00
Sex e Sab — 10:00-23:00

Autores Nacionais e Estrangeiros

Sessões de Autógrafos

Exposições

Debates e Colóquios

Feira do Livro

Novidades Editoriais

Espectáculos Musicais

Animação Infantil

 

O Festival pela Cidade
Para além do núcleo central do AmadoraBD, no Fórum Luís de Camões, existem outros espaços expositivos na Amadora e que são de acesso gratuito.
 

— Na Amadora
Maria João Worm
Prémio Nacional de Ilustração 2011
Constelations
Os dez anos da Maison des Auteurs, em Angoulême
Casa Roque Gameiro
Largo 1º de Dezembro 54 — Venteira — T (+351) 214 369 058
Seg a Sab 10:00-12:30 e 14:00-17:30 / Encerrado Dom e Feriados.

 

A Peregrinação de Fernão Mendes Pinto
Centro Nacional de Banda Desenhada e Imagem
Av. do Brasil 52 A — Falagueira — T (+351) 214 369 057
Seg a Sex — 9:30-12:30 e 14:00-18:00 / Sab e Dom — 14:00-19:00
 

A Pintura de Vitor Mesquita
Galeria Municipal Artur Bual
Av. MFA – Edifício dos Paços do Concelho — Mina — T (+351) 214 369 059
Ter a Sex — 10:00-12:30 e 14:00-18:00 / Sab, Dom e Feriados 15:00-18:00
 

Amadora Cartoon
Recreios da Amadora
Av. Santos Matos 2 — Venteira — T (+351) 214 927 315
Ter a Dom — 14:00-17:30 / Encerrado Seg

 

— Em Lisboa
Comic-Transfer
UrbanSketches Till Laßmann e Ricardo Cabral
ORG: Goethe Institute
Campo dos Mártires da Pátria 37 — 1169-016 Lisboa — T (+ 351) 218 824 510
 

BDs Autobiográficas Francesas
Cyril Pedrosa e Mathieu Sapin
Instituto Francês em Portugal
Avenida Luís Bívar 91 — 1050-143 Lisboa — T (+ 351) 213 111 400
 

Intervenções de grafiters e artistas de BD Amadora e Lisboa
Galeria de Arte Urbana da C. M. Lisboa
 

(Texto da responsabilidade da organização)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...