Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

03/08/2012

As Aventuras de Philip e Francis #2

A Armadilha Maquiavélica










Pierre Veys (argumento)
Nicolas Barral (desenho)
ASA (Portugal, Junho de 2012)
240 x 310 mm, 56 p., cor, cartonado
13,95 €


Resumo
Apanhados numa armadilha à qual são atraídos pelo testamento (mais um) deixado pelo pérfido Miloch, Philip e Francis vão ter a uma realidade alternativa, descobrindo uma Londres caótica: os autocarros têm 3 andares, os táxis são conduzidos por cegos, a Marks & Spencer virou Spencer & Marks (!), Olrik vai casar com a rainha e os seus duplos locais nada têm de heróicos!

Desenvolvimento
Depois da divertida surpresa que constituiu “Ameaças ao Império” , Veys e Barral regressam ao universo de Edgar P. Jacobs para mais uma conseguida sátira.
E o que primeiro se destaca nesta série paralela, é a apropriação desse mesmo universo, das suas personagens e referências, de uma forma tão próxima e credível – embora bem combinadas (ou distorcidas) com os elementos satíricos – que surpreende como os detentores dos direitos de Blake & Mortimer o permitiram.
Mas em boa hora o fizeram, porque o resultado é francamente bom, com os autores a desmontarem a partir do interior (quase) tudo aquilo que identificávamos como canónico na série original de Jacobs, para lhe dar uma roupagem a um tempo reconhecível mas nova, que a transforma num belíssimo exercício de humor. Que pode assentar em gags directos e imediatos, em piadas com segunda leitura ou quanto em piscadelas de olho aos fãs de Blake e Mortimer que só estes identificarão.
E a tudo isto, acrescentam um relato criativo, divertido, que vai além da simples combinação de gags mirabolantes e cuja ideia base e algumas das soluções, de certa forma, até poderiam pertencer ao próprio Jacobs!


2 comentários:

  1. Sou um grande fã de Blake e Mortimer. Além de ter a colecção completa (o que não é difícil), tenho alguns livros sobre o autor e a a obra.
    E adorei esta caricatura. Quando li o primeiro livro, também pensei que era estranho os detentores dos direitos terem permitido tal coisa. Mas também pensei logo, tal como o Pedro, que ainda bem que o fizeram!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Zé Dias da Silva,
      Estamos então em sintonia!
      E ao contrário de opiniões que já tenho lido, ambos concordamos que esta é uma bela paródia aos heróis de Jacobs!
      Boas leituras!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...