Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

25/05/2012

Star Wars: 35 anos no cinema... em BD!














Há 35 anos estreava o primeiro filme de Star Wars, mas o universo imaginado por George Lucas, rapidamente saltou da tela para os quadradinhos, onde se desenvolveu e expandiu de forma nunca vista.
Aliás, a revista com a adaptação de “Star Wars” - título mais tarde complementado com “Episódio IV – Uma nova esperança” - surgiria nas bancas norte-americanas apenas dois meses volvidos sobre a estreia cinematográfica, em Julho de 1977, com o selo da Marvel e a assinatura de dois gigantes dos comics: o argumentista Roy Thomas e o desenhador Howard Chaykin, como viria a acontecer posteriormente, de forma pontual ou mais ou menos recorrente, com Al Williamson, Dave Gibbons, Alan Moore e muitos mais.
Aquele era o primeiro número de uma revista que duraria 10 anos, na qual o universo e os conceitos de Lucas foram aprofundados, contribuindo para transformar Star Wars num fenómeno de massas e num dos ícones do século XX.
A publicação diária em jornal, no formato de tiras arrancaria em 1980, com arte de Russ Manning, o célebre desenhador de Tarzan, numa versão que o Diário Popular chegou a publicar. A Agência Portuguesa de Revistas, a Distri e a Planeta DeAgostini e a Devir (com o Correio da Manhã) apostaram entre nós em Star Wars, mas sem grande expressão.
Com as vantagens dos (baixos) custos das aventuras em papel, os quadradinhos abarcaram um período de muitas dezenas de séculos, desvendaram novos mundos, exploraram o passado e o futuro de Luke Skywalker, Han Solo, princesa Leia, C-3PO, R2-D2, Yoda ou Darth Vader, elevaram à categoria de heróis meros figurantes dos filmes e criaram outros novos, mantendo viva até à actualidade o seu fulgor e magia.
Após uma década de grande acalmia, em 1997, quando os 20 anos da série foram assinalados com o lançamento de uma versão restaurada da segunda trilogia, no Japão foi feita a sua adaptação em manga, enquanto nos Estados Unidos a Dark Horse apostava na franquia, acolhendo-a no seu catálogo, onde se mantém até hoje, com as novidades a sucederem-se regularmente, prova de que a força continua com os quadradinhos.

(Versão revista do texto publicado no Jornal de Notícias de 25 de Maio de 2012)


3 comentários:

  1. Pedro a Abril Cj também editou Star Wars uma mini serie após os eventos do episódio 6a o Dark Empire;

    http://cdn.ifanboy.com/wp-content/uploads/2011/07/Star-Wars-Dark-Empire-Trilogy.jpg

    Numa mini serie de 6 números em formato americano aonde o Imperador é Clonado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Optimus,
      Obrigado pela atenção e pela adenda! Essa informação não a encontrei em nenhuma das minhas fontes...
      Boas leituras

      Eliminar
  2. Optimus Prime,
    Tenho essa mini série e de vez em quando releio. Tanto a história como a arte são muito boas na minha opinião, e foram o que me fez interessar pela BD da Guerra das Estrelas. Acho que parte do meu desalento com os 3 ultimos filmes que sairam vem do facto de estar habituado às boas narrativas da Dark Horse no universo da Força.
    Espero que continuem durante muito tempo a expandir o universo criado pelo Lucas.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...