Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

27/05/2012

Leituras Novas

Maio de 2012

ASA
Spirou – QRN sobre Bretzelburgo
Franquin e Greg
O Marsupilami engole um rádio que confundiu com um caramelo. Devido a uma particularidade anatómica do Marsupilami, o aparelho aloja-se no nariz, funcionando permanentemente com o volume no máximo. Esta situação acaba por provocar uma perturbação nas comunicações entre um rádio amador, Switch e o rei de Bretzelburgo (rei de um país fictício) que é prisioneiro do general Schmetterling. Fantásio é raptado em vez de Switch e é levado para a prisão Snapfurmich aonde o Dr Kilikil, uma personagem genial, o vai torturar.
Spirou, Switch, Spip e o Marsupilami vão para Bretzelburgo numa tentativa de os salvar.

Corto Maltese na Sibéria
Hugo Pratt
“Quando nos apercebemos de que o sonho é demasiado grande para se concretizar, restam duas alternativas: deixar de sonhar, ou continuar até ao fim, até à lenda…
Nos confins da China e da Sibéria, Corto e Rasputine perseguem o comboio blindado que transporta o ouro dos czares. Atravessam, assim, uma região que se encontra a ferro e fogo, esquartelada entre sociedades secretas e senhores da guerra, entre Russos vermelhos e brancos, entre tropas regulares e exércitos privados…
O campo de acção ideal para estes aventureiros românticos!”


A minha 1ª BD – Branca de Neve
Richard di Martino e Beney
A minha 1ª BD – Capuchinho Vermelho
Domas/Beney
Esta colecção dá início a um novo conceito de livros que são inovadores, lúdicos e clássicos. É aconselhável a crianças entre os 3 e os 7anos e pode ser usado por educadores para  estimular a imaginação e a criatividade infantis.


ASA/Público
Thorgal
A Espada-Sol
A Fortaleza Invisível
A Marca dos Banidos
A Coroa de Ogotaï
Gigantes
Jean van Hamme e Grzegorz Rosinski


Associação Tentáculo

Leporidae
Cori
Leporidae nasceu do desafio para criar um livro de ilustrações e do animal que mais apraz à autora Cari; o coelho. Toda a ideia surgiu naturalmente de um par de desenhos retratando humanos com cabeças animalescas, com um estilo inocente mas também com um arrepiante toque corrupto.
Ao longo de 34 páginas, o objectivo é transmitir um sentimento de desconforto, criado pelo contraste entre a menina normal e inocente e a estranha figura antropomórfica.
Trata-se de um a obra apaixonante onde a omissão da palavra escrita grita sobretudo pela crueza do desenho, a linha sem preenchimento, e pelo inusitado das imagens e da narrativa apresentada.


Cru

Cru #34
Vários autores
NÃO RECEIE, PECADOR… A CRU É A SALVAÇÃO!
Casa de nomes como Esgar Acelerado, Rui Torres, Rui Ricardo, Eduardo de Portugal, Helen Gossip, Emerenciano Osga, Mário Moura, Paolo Matlam, Asnaldo di Pietro, Randy Alvey, Cunha Rêgo, entre muitos outros, a CRU, revista rasca e vadia, foi o fanzine mais representativo do no-design e do do it yourself português durante a década de 1990. Com tiragens que não ultrapassavam os 100 exemplares, a CRU é hoje um valioso objecto de colecção, que agora se (re)introduz a uma plateia mais vasta. No limbo desde 1999, a CRU regressa aos escaparates com uma nova edição, mais Rasca e Vadia de que nunca, com antigos e novos colaboradores. CRU, uma publicação pelintra, repleta do melhor da cultura underground.
Valter Hugo Mãe (que aqui se estreia como argumentista de BD), Nuno Saraiva, Alex Gozblau, Esgar Acelerado, Valquíria Aragão, Johnny Ryan, Rudolfo, Darren Merinuk ou Zita Carícias são alguns dos colaboradores desta edição, repleta de banda desenhada, ilustração, contos, críticas de discos, cinema, colunas de opinião e muitos outros motivos de interesse.
Com impressão offset limitada a 300 exemplares a revista esgotará certamente mais depressa do que o Diabo esfrega um olho. Reserve já a sua cópia!…



Devir
Ohba e Obata

Sin City - Inferno, Ida e Volta
Frank Miller


El Pep
Sangue Violeta e Outros Contos
Fernando Relvas
“É preciso  não ter medo da vida”
O livro “Sangue violeta e outros contos”, editado pela El Pep, reune as BD’s “Sangue violeta”, “Tax driver” e “Sabina” que tinham sidos publicadas no extinto semanário SE7E, entre os anos de 1982 e 1988.
São as BD’s que mais marcaram a memória dos leitores do semanário. Um traço elegante e ágil, contrastado nas manchas negras num preto e branco nervoso e com um registo dinâmico do grafismo punk dos cartazes de concertos de música dos anos 80.



Gailivro
A Senhora da Cantina e o Substituto Ciborgue
J. Crosoczka
Hector, Terrence e Dee sempre quiseram saber a verdade sobre a Senhora da Cantina da sua escola. O que faz ela quando não está a servir o prato do dia? Onde vive? Será que tem muitos gatos em casa? Mal sabem eles que a Senhora da Cantina não se limita a servir empadão. Ela também serve a justiça! E está sempre atenta a qualquer professor substituto que pareça estranho... Seja qual for o perigo não há adversário à altura da SENHORA DA CANTINA! Ou para os miúdos que já a toparam!

Geraldes Lino
Efeméride #4 – Corto Maltese no Século XXI
Alice Geirinhas, Álvaro, Ana Madureira, André Ruivo, Andreia Rechena, Arlindo Fagundes, Carlos Páscoa, Carlos Zíngaro, Daniel Lopes, David Campos, Miguel Falcato, Ricardo Ferrand, Filipe Abranches, J.Coelho (des.) / David Soares (Arg.), J. Mascarenhas, Joana Afonso, João Chambel, João Sequeira (des.) / Luís Pedro Cruz (Arg.), José Lopes, José Pedro Costa, João Lam, Luís Guerreiro, Machado-Dias, Marco Mendes, Maria João Careto, Mota, Nazaré Álvares, Nuno Saraiva, Paulo Monteiro, Pedro Massano, Pedro Nogueira, Pepedelrey, Regina Pessoa, Renato Abreu, Ricardo Cabral, Ricardo Cabrita, Ricardo Santos, Roberto Macedo Alves, Rui Pimentel, Susa Monteiro, Tiago Baptista, Vasco Gargalo e Victor Mesquita


Grupo Entropia
Funzip #7

Agonia Sampaio, Álvaro, João Amaral, João Figueiredo,
João Sá-Chaves, João Raz, Marc, Paulo Marques, 
Rocha, Sara Mena

KZine III
Miguel Martins, Nuno Sarmento, Paulo Marques, Agonia Sampaio, Catarina Guerreiro, Daniela Varela, Filipe Duarte, Joel Sousa, Melanie Romão, Shoot to Kill (Gisela Martins e Sara Ferreira), Tiago Pimentel, Telmo Alcobia e Telmo Vinagre


Mundo Fantasma
Marco Mendes


Polvo

Han Solo
Rui Lacas

 Ao abrigo do Programa Erasmus, Hän, um holandês, ruma a Lisboa
 para estudar. Depressa se ambienta às novas rotinas, acabando por arranjar casa, namorada(s) e trabalho, o que o leva a permanecer. Ficamos a conhecer, em flashes, a história pessoal de Hän (dádiva de Deus, em alemão) e as suas relações com personagens que surgem e desaparecem.
Mas nem tudo são rosas na vida deste fotógrafo freelancer, que ama o desenho e a pintura. Uma doença do foro mental aflige-o e circunstâncias várias acabam por levá-lo a Madrid, onde conhece um curioso grupo e acaba por ganhar um novo nome.
Nesta obra Lacas demonstra todo o seu amor por Lisboa, reproduz fielmente uma certa boémia do Bairro Alto e mostra estar atento ao momento de crise e tensão que atravessamos, retratando as manifestações recentemente ocorridas na capital espanhola, na qual nos conduz igualmente numa pequena visita guiada.


 (Os textos, quando existem, são da responsabilidade das editoras)

3 comentários:

  1. Enquanto autor publicado no Funzip e no Kzine e enquanto membro do Grupo Entropia, obrigado pela divulgação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro João Figueiredo,
      É (também) para isso - divulgar - que aqui estou!
      Boas leituras... e boas publicações!

      Eliminar
    2. Apenas uma correcção às minhas palavras...eu participei no Kzine mas não no deste ano...mas a tiragem está toda em minha casa (enquanto não for para o "circuito").

      E, mais uma vez, parabéns pelo blog.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...