Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

13/04/2012

Titanic (I) – La Malédiction du Titanic








Colecção 1000 Feuilles
Cedric Rassat (argumento)
Emre Orhun (desenho)
Glénat (França, 21 de Março de 2012)
250 x 358 mm, 48 p., pb, cartonado
25,50 €



Introdução
Este é o primeiro de uma série de textos que vou publicar em As Leituras do Pedro, ao longo dos próximos dias, sobre bandas desenhadas (e não só…) de alguma forma relacionadas com o Titanic, que naufragou há sensivelmente 100 anos, a 15 de Abril de 1912.

Resumo
E se um egiptólogo tivesse levado em segredo para bordo do Titanic uma criatura fantástica capaz de espalhar o terror a bordo e provocar a perda do inafundável paquete…?

Desenvolvimento
Este é um álbum que assume desde o início um tom trágico-cómico, assente não só no traço semi-caricatural adoptado, mas também na forma como utiliza os lugres comuns - as personagens, as situações, as frases… - vulgarmente associadas ao Titanic e algumas piadas – por vezes de gosto duvidoso mas – bem apropriadas ao que vai sendo descrito.
Desta forma, Rassat e Orhun, condimentam um relato de pretenso terror mas também divertido, que torna original o recontar – mais uma vez – da tragédia que há um século se abateu sobre o navio. Embora, desta vez, a explicação para o infausto acontecimento tenha uma base diferente, a tal maldição (egípcia) que o título refere.
Com uma galeria equilibrada de personagens e diálogos contidos mas suficientes para orientarem o leitor, a grande originalidade do livro surge ao nível gráfico, devido à técnica utilizada por Emre Orhun, um chinês de origem turca radicado em França (!).
Isto porque ele parte de páginas totalmente negras – o que acentua o tom sombrio da história que nos é contada por Cedric Rassat – das quais raspou (literal e cirurgicamente!) o preto para que surjam com grande esplendor os tons cinzentos e o branco em que assenta o seu traço forte, dinâmico, pormenorizado e muito expressivo, com que compõe pranchas de grande impacto e esteticamente muito conseguidas.


A reter
- A originalidade da técnica de Orhun…
- … na origem das belíssimas pranchas que compõem o álbum.
- O (bom) aproveitamento do centenário do naufrágio do Titanic, reflexo da forma profissional como funciona a edição de BD em França.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...