Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

11/11/2011

Outras leituras (IX)

Graphic MSP: O futuro (alternativo) da Turma da Mônica?Samir Naliato no Universo HQ

Autores portugueses no Salão Europeu de Banda Desenhada de Bucareste
Pedro Moura no LerBD


Mickey e Mussolini
No AFNews.info

O Surfista Prateado de Moebius e Stan Lee, relido 20 anos depois
Por Álvaro Pons em La Cárcel de Papel

A edição definitiva de Tintin - Os Cigarros do Faraó…?
Em À La recherche du Tintin perdu

2 comentários:

  1. É lá! Vou querer ler essas "mónicas" (hehe!). Um projecto muito interessante.

    Tenho esse TPB e gostei do post do Álvaro Pons, mas, pergunto-me, se não desconstroiem demasiado uma suma tentativa de "fazer dinheiro" (conforme o Álvaro muito bem começa por escrever) e um "dream team attempt" que, ao contrário da anterior, não funcionou tão bem conforme se desejaria? Foi pena terem ficado por aqui, pois presumo que futuras parcerias entre os dois autores poderiam ter encaixado melhor.

    Não falo e tão pouco leio neerlander. Mas parece-me uma gozação esta edição de três exemplares ultra hiper luxuosa (e por um preço, digamos, baratuxo)de uma "só nos teus sonhos" edição de um dos mais carismáticos títulos do Tintin; ainda mais com uma obviamente inacreditável "relíquia" (santa para os seguidores do autor do eternamente jovem repórter) incluída. Enfim, não conheço a Cashen, por isso tentei encontrá-la, para verificar algo que me pareceu logo inverosímil, mas não a encontrei; assumo ser uma "Taschen" caricaturizada de "cash"(guito!). Se fosse verdade, já teria encomendado essa edição (provavelmente estaria no milionésimo lugar na fila de espera), e teria encomendado logo os três exemplares! hehe. Se estiver errado, por favor, haja alguém que me diga!

    O Topolino (rato Mickey) e a sua geração de fumetti e influências no público italiano sob a égide do fascismo dos camisas negras comparar-se-á bastante àquele da BD portuguesa durante o jugo do regime salazarista; idem para os espanhóis do franquismo no expoente do Capitão Trueno e outros tebeos. Muito interessante.

    Quanto ao salão de Bucareste, só posso escrever que qualquer intercâmbio é bom, mesmo que não signifique "dinheiro".

    ResponderEliminar
  2. Olá refemdabd,
    Hoje estás imparável!
    Sim, as Graphic MSP prometem; pessoalmente estou muito curioso em ler as dos irmãos Cafaggi e do Danilo Beyruth.
    Não sou fã do Surfista e acho que o traço de Moebius não fez tanta diferença nessa obra. Claro que uma eventual continuação da parceria poderia trazer boas surpresas...
    Não duvido que a "edição definitiva" do Tintin é apenas uma brincadeira, mas muito bem conseguida. Mas se a Moulinsart puder concretizar algo assim, se der dinheiro é bem capaz de avançar!
    mais do que se pensa, Mussolini não foi o único ditador a gostar de BD. Hitler também desenhava heróis Disney...
    E para concluir, se o dinheiro dá jeito, não pode ser esse o único objectivo de quem faz e/ou divulga BD...
    Boas leituras... depois de tanta escrita!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...